Menu
Busca sexta, 29 de maio de 2020
(67) 99659-5905

PF apreende avião com 400 quilos de maconha em MG

09 agosto 2002 - 16h59

A Polícia Federal apreendeu na tarde de hoje um avião monomotor que transportava cerca de 400 quilos de maconha em Pimenta, no Sudoeste de Minas Gerais. Dois suspeitos de pertencer à quadrilha foram presos.
O avião estava na pista de pouso e decolagem de um clube, às margens do Lago de Furnas. A Polícia Militar foi acionada pelo dono do clube. Até o início da noite, o avião carregado com a droga continuava no local, com as polícias militar e federal fazendo a guarda.
Segundo o delegado da Polícia Federal de Varginha, no Sul de Minas Gerais, Sebastião Augusto de Camargo Pujol, a quadrilha é de São Paulo e já vinha sendo investigada. Os dois suspeitos de integrar o bando foram presos em Campo Belo, no Sul do Estado. Eles foram encaminhados para a delegacia da Polícia Federal de Varginha para prestar depoimento.

Deixe seu Comentário

Leia Também

COSTA RICA
Menina de 3 anos dormia com a mãe que foi assassinada a facadas pelo ex
POLÍTICA
Bolsonaro diz que auxílio emergencial poderá ter a quarta parcela
JUDICIÁRIO
MP denuncia juiz por ter recebido propina para liberar precatórios
ENSINO SUPERIOR
Ainda sem data, Enem 2020 já tem 6,1 milhões de inscritos
TRÊS LAGOAS
Motociclista é atingida por linha com cerol e garotos que soltavam pipa fogem
ECONOMIA
Compras com auxílio emergencial poderão ser pagas via celular
CARTILHA
Tribunal de Justiça lança Guia de Boas Práticas para Pessoas com Deficiência
CAPITAL
Idoso é enganado por golpistas, entrega dois cartões e fica no prejuízo
JUSTIÇA
Ministro do STF nega recurso e mantém pena de prefeito condenado por tráfico
DESCAMINHO
Receita Federal apreende duas toneladas de narguilé contrabandeadas

Mais Lidas

DOURADOS
Paciente com suspeita de coronavírus afasta mais de 20 profissionais da saúde no HV e UPA
PANDEMIA
Dourados é "campeã" de casos de coronavírus em MS pelo 3º dia consecutivo
PANDEMIA
Dourados investiga morte com suspeita do novo coronavírus
DOURADOS
Empresários cobram de Délia prova científica para justificar toque de recolher