Menu
Busca sábado, 23 de março de 2019
(67) 9860-3221

Pesquisadores da USP desenvolveram clone de vaca nelore

20 dezembro 2003 - 16h11

Pesquisadores da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP anunciaram ontem ter clonado uma vaca da raça nelore. A equipe coordenada por José Antonio Visintin confirmou o sucesso do procedimento por meio de um teste de DNA. Mais detalhes sobre o experimento serão divulgados pela equipe numa entrevista coletiva às 10h de hoje. A bezerra clonada passa bem.Os bovinos da raça nelore estão entre os mais importantes para a pecuária de corte brasileira. No entanto, segundo a assessoria de imprensa da USP, o principal motivo do experimento é tentar entender os problemas que cercam o desenvolvimento dos clones de animais adultos.Confusões de reprogramação genética parecem acarretar problemas de saúde, envelhecimento e morte precoces aos mamíferos clonados. A reprogramação acontece na fecundação normal, mas é truncada na clonagem, quando o núcleo de uma célula adulta é fundido com um óvulo sem núcleo.Visintin e seus colegas poderão fazer isso graças a outro clone criado pela equipe no ano passado, o bezerro Marcolino, criado a partir de células fetais, e não adultas. Se a idade do animal que doou as células para serem clonadas influi no desenvolvimento de sua cópia, é possível que os dois envelheçam em ritmo diferente.O primeiro clone de Visintin deu, a princípio, um susto na equipe. É que todos esperavam uma fêmea, mas Marcolino nasceu macho. O problema decorreu de uma troca acidental de embriões durante a experiência.    Pesquisadores da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP anunciaram ontem ter clonado uma vaca da raça nelore. A equipe coordenada por José Antonio Visintin confirmou o sucesso do procedimento por meio de um teste de DNA. Mais detalhes sobre o experimento serão divulgados pela equipe numa entrevista coletiva às 10h de hoje. A bezerra clonada passa bem.Os bovinos da raça nelore estão entre os mais importantes para a pecuária de corte brasileira. No entanto, segundo a assessoria de imprensa da USP, o principal motivo do experimento é tentar entender os problemas que cercam o desenvolvimento dos clones de animais adultos.Confusões de reprogramação genética parecem acarretar problemas de saúde, envelhecimento e morte precoces aos mamíferos clonados. A reprogramação acontece na fecundação normal, mas é truncada na clonagem, quando o núcleo de uma célula adulta é fundido com um óvulo sem núcleo.Visintin e seus colegas poderão fazer isso graças a outro clone criado pela equipe no ano passado, o bezerro Marcolino, criado a partir de células fetais, e não adultas. Se a idade do animal que doou as células para serem clonadas influi no desenvolvimento de sua cópia, é possível que os dois envelheçam em ritmo diferente.O primeiro clone de Visintin deu, a princípio, um susto na equipe. É que todos esperavam uma fêmea, mas Marcolino nasceu macho. O problema decorreu de uma troca acidental de embriões durante a experiência.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Agehab vai aos bairros para regularização de loteamentos sociais
PONTA PORÃ
Adolescente é apreendida com maconha que levaria para São Paulo
LUTO
Ator e diretor Domingos Oliveira morre aos 83 ans no Rio de Janeiro
FUTEBOL
Paquetá marca, mas Brasil só empata com Panamá em amistoso
BRASIL
Caminhoneiros se mobilizam para nova paralisação, mostra monitoramento
IVINHEMA
Médico veterinário morre em acidente de moto na MS-276
CICLISMO
Desafio das Araras de Mountain Bike abre inscrições para 2ª etapa
TRÊS LAGOAS
Homens tentam dar calote de R$ 4,5 mil em boate e acabam na delegacia
VIOLÊNCIA
Líder rural é assassinada a facadas em assentamento no sudeste do Pará
DOURADOS
Homem é assaltado por trio quando trafegava próximo ao shopping

Mais Lidas

HU
Dengue hemorrágica causa morte de menino de 11 anos em Dourados
LUTO
Fundadora da ADL, Ruth Hellman morre em Dourados
DOURADOS
Protesto contra a Reforma da Previdência leva centenas ao Centro
DOURADOS
Trio que matou e roubou cabeleireiro é condenado a 62 anos de cadeia