Menu
Busca segunda, 24 de setembro de 2018
(67) 9860-3221
TECNOLOGIA

Pesquisadores carregam câmera com sinal de Wi-Fi

06 junho 2015 - 14h00

Pesquisadores americanos conseguiram usar sinais de wi-fi para carregar uma câmera de segurança.
A câmera, que não possuía bateria, foi modificada para conseguir extrair energia de sinais de wi-fi no ambiente, armazená-la e usá-la para tirar fotos.

O experimento foi apenas um entre diversos realizados pela equipe do Sensor System Labs na University of Washington, em Seattle. Eles tentam encontrar maneiras de usar wi-fi como forma de carregar pequenos aparelhos.

Os pesquisadores afirmam que a técnica pode ser útil para os dispositivos que devem formar a "internet das coisas", ou seja, a intercomunicação entre aparelhos eletrônicos residenciais.

Sugando energia

O sistema, conhecido como power-over-wi-fi (energia por wi-fi, em tradução livre) está sendo desenvolvido pelo estudante de PhD Vamsi Talla e seus colegas do laboratório.

A ideia partiu da observação, pelos pesquisadores, de que a energia contida em sinais de rádio wi-fi era frequentemente próxima da voltagem necessária para fazer funcionar uma série de aparelhos de baixa potência.

Infelizmente, a energia que os faria funcionar só ficava totalmente disponível de maneira intermitente e não podia ser usada – os sinais de wi-fi são transmitidos em "soluços", emitidos em frequências diferentes.

Para solucionar o problema, a equipe americana modificou os hotspots e roteadores de wi-fi para que eles transmitissem ruído quando um canal não estava sendo usado para enviar dados.
Isso significou que a potência dos sinais de wi-fi permaneceu constante e, mesmo baixa, era suficiente para carregar alguns aparelhos.

O ruído adicionado a alguns canais de transmissão, no entanto, não deixou a transmissão de dados mais lenta entre os hotspots, de acordo com os pesquisadores.

A equipe usou a energia transmitida pelo sistema para fazer funcionar um sensor de temperatura e uma pequena câmera de segurança, ambos a poucos metros de um hotspot.

A câmera captou energia do sinal de wi-fi e a armazenou em um capacitor que, uma vez carregado, permitiu que ela tirasse uma foto.

Ao sugar energia dos sinais de rádio, o aparelho conseguia carga suficiente para tirar uma foto a cada 35 minutos.

Em um artigo detalhando o trabalho, Talla e seus colegas afirmam que a ideia tem potencial para ajudar a carregar os sensores e mecanismos que podem se tornar comuns em casas e escritórios como parte da internet das coisas.

"A habilidade de entregar energia sem fio para uma variedade de dispositivos autônomos e sensores é muito significativa. Isso poderia trazer a internet das coisas à vida", afirmou a publicação Technology Review, do MIT (Massachusetts Institute of Technology).

Deixe seu Comentário

Leia Também

FAMOSOS
Luisa Sonza relata críticas após procedimento: 'Acharam feio'
MEDIDA
ANP vai fazer consulta para substituir GNL importado por gás doméstico
LADÁRIO
Três pessoas ficam feridas em capotagem de carro
INVESTIGAÇÃO
Polícia Federal reforça versão de que agressor de Bolsonaro atuou sozinho
CAPITAL
Carreta tomba com 27 toneladas de agrotóxico
POLÍTICA
Temer viaja a Nova York para participar da Assembleia Geral da ONU; Toffoli assume Presidência
PONTA PORÃ
PM recebe solicitação por desentendimento familiar e captura foragido
CAPITAL
Homem é encontrado morto com tiro na cabeça
TRÁFICO DE DROGAS
PRF apreende 42kg de maconha e skank após fuga de condutor
BRASIL
Multas por uso de celular ao volante crescem 33% em 2018

Mais Lidas

DOURADOS
Amiga de jovem encontrada morta é presa acusada por tráfico e por alterar a cena do crime
TEMPORAL
Chuva e ventos fortes derrubam árvores em Dourados
POLÍCIA
Presos em Dourados são transferidos para capital
POLÍCIA
Homem sofre tentativa de homicídio em Dourados