Menu
Busca sábado, 20 de julho de 2019
(67) 9860-3221

Para Promotor lei do prefeito da capital sobre áreas é inconstitucional

10 dezembro 2003 - 14h35

O promotor de justiça Aroldo José de Lima disse há pouco, na FM Cidade, que é "inconstitucional" a lei municipal, publicada ontem pelo prefeito André Puccinelli, que permite alienação ou permuta de 169 áreas desafetadas em Campo Grande. A lei permite que a prefeitura negocie praças pública e até pedaços de rua, como uma parte da Pedro Celestino, no bairro Monte Castelo, além de áreas verdes, áreas institucionais e outros espaços públicos. "Orgãos da Promotoria deverão tomar medidas cabíveis. A meu ver essa lei não tem muita chance de vingar", afirmou o promotor.Ontem, o Cedampo (Centro de Documentação e Apoio a Movimentos Populares) ingressou com uma representação no Ministério Público pedindo providências contra essa lei (nº 4114, de 8 de dezembro de 2003). "A venda de áreas públicas inalienáveis é uma afronta à Lei e ao bom senso", diz Nelson Batisti, vice-presidente do Cedampo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Maior aeronave militar feita no Brasil entra em fase final de testes
CLONE
Veículo roubado no Brasil é recuperado com deputado paraguaio
BRASIL
Já estão em vigor as novas regras do frete mínimo para caminhoneiros
FLAGRANTE
Ambiental apreende barco e redes com paulistas no rio Sucuriú
DOURADOS
Após reunião com lideranças, Câmara suspende audiência sobre extinção de cargos indígenas
IMUNIZAÇÃO
Campanha imunizou mais de 11 mil presos contra a gripe em MS
BRASILEIRÃO
Três jogos encerram rodada da Série B neste sábado
TRÂNSITO
Mulher morre após acidente entre carro e moto
BRASILEIRÃO
Vasco vira diante do Fluminense e volta a vencer no campeonato
DOURADOS
Bancada de MS terá que "brigar em Brasília" para garantir hospital da mulher e da criança

Mais Lidas

DOURADOS
Homem é baleado com quatro tiros no Estrela Verá
DOURADOS
AGORA: Homem é baleado no Estrela Verá
HOMICÍDIO
Jovem é assassinado com tiro de 9mm em Itaporã
INVESTIGAÇÕES
Preso no RJ, suspeito de planejar morte de “chefão da fronteira” é acusado de lavagem de dinheiro em MS