Menu
Busca quinta, 25 de abril de 2019
(67) 9860-3221

Pai social pode ter direitos trabalhistas e previdenciários

15 maio 2011 - 09h52

A figura do pai social, que se dedica a cuidar, no sistema de casas-lares, de crianças e adolescentes em situação de risco, é regulamentada em proposta aprovada nesta quinta-feira (12) pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH).

De autoria do deputado Nelson Pellegrino (PT-BA), o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 98/09 recebeu parecer favorável na forma de substitutivo apresentado pelo relator, senador Cícero Lucena (PSDB-PB), e deverá receber decisão terminativaDecisão terminativa é aquela tomada por uma comissão, com valor de uma decisão do Senado.

Quando tramita terminativamente, o projeto não vai a Plenário: dependendo do tipo de matéria e do resultado da votação, ele é enviado diretamente à Câmara dos Deputados, encaminhado à sanção, promulgado ou arquivado.

Ele somente será votado pelo Plenário do Senado se recurso com esse objetivo, assinado por pelo menos nove senadores, for apresentado à Mesa.

Após a votação do parecer da comissão, o prazo para a interposição de recurso para a apreciação da matéria no Plenário do Senado é de cinco dias úteis. da Comissão de Assuntos Sociais (CAS).

O pai social é equiparado à mãe social, cuja atividade é regulamentada pela Lei 7.644/87. Para propiciar ao menor ou adolescente em situação de risco as condições familiares ideais a seu desenvolvimento e reintegração social, as instituições de assistência poderão contratar pai ou mãe social.
Direitos

A exemplo da mãe social, o pai social terá direito a anotação na Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS), salário mínimo , repouso semanal remunerado de 24 horas, férias de 30 dias, 13º salário e Fundo de Garantia do Tempo de Serviço ( FGTS ). É também considerado segurado obrigatório da Previdência Social.

No relatório favorável ao projeto, o senador Cícero Lucena (PSDB-PB) destacou a importância de uma estrutura familiar substituta para a criança abandonada, na qual ela se sinta protegida e amparada.

O sistema de casas-lares possibilita, sim, que as crianças separadas precocemente de seus pais tenham uma convivência em famílias estruturadas, com melhores condições para o estabelecimento dos vínculos fundamentais ao seu desenvolvimento global - afirma o relatório lido pelo senador Sérgio Petecão.


Deixe seu Comentário

Leia Também

CAMPO GRANDE
Homem suspeito de estuprar sobrinhas durante 3 anos é preso
EMPREGO
JBS abre vagas de trainee nas regiões Sudeste e Centro-Oeste
CAPITAL
Gestante e filho de 7 anos são resgatados após enxurrada cobrir carro
UEMS
Curso de Pedagogia realiza encontro brincante no próximo sábado
CORUMBÁ
Adolescente morre após bater a cabeça durante partida de futebol
PRÉ-HABILITADOS
Vale Universidade divulga lista de aprovados e convoca para nova etapa
CAMPO GRANDE
Suspeito de matar enteada por “tchau irônico” é preso após 4 anos
LAVA JATO
PGR cobra de Delcídio parcela de R$ 85 mil do acordo de delação
PEDRO JUAN
Estudantes brasileiros são expulsos do Paraguai e entregues à PF
JUSTIÇA
Fabricante de aparelho defeituoso é condenada por danos morais

Mais Lidas

DOURADOS
Homem é assassinado com oito tiros no Jardim Pantanal
DOURADOS
Vídeo mostra momento em que carona desce da moto e executa dono da lava-rápido no Jardim Pantanal
DOURADOS
Homem é assassinado no Jardim Pantanal
PEDRO JUAN
Agente penitenciário é executado na fronteira