Menu
Busca domingo, 22 de julho de 2018
(67) 9860-3221
OPINIÃO

O rebaixamento da nota do Brasil

O rebaixamento da nota do Brasil

12 janeiro 2018 - 14h35Por Dirceu Cardoso

O rebaixamento da nota de crédito do Brasil pela agência Standard & Poor’s é a luz vermelha que se acende. Tanto que o seu anúncio gerou rusga entre o governo e o Congresso Nacional (Senado e Câmara) que se acusaram mutuamente como culpados do ocorrido. Por conta dessa classificação, teremos juros mais elevados e isso dificultará a recuperação econômica, pois precisamos de investimentos tanto para comprar quanto para vender mercadorias e serviços. O presidente Michel Temer, sabedor da necessidade das reformas, tem pago o preço da impopularidade para implementá-las.

Atente-se que o rebaixamento decorre da falta de aprovação de medidas que reequilibrem e deem sustentabilidade à administração e às finanças públicas. Além das reformas trabalhista e da Previdência, pela qual Temer e sua equipe têm se batido, existem outras necessidades que também poderiam nos conduzir a bons patamares de avaliação e  melhores condições de desenvolvimento. Depois do impeachment, o governo deveria ter diminuído o número de ministérios e eliminado os milhares de cargos de livre nomeação que pouco ou nada representam à administração pública, pois se destinam à acomodação de cabos eleitorais. Poderia ter enfrentado os aliados e feito essa reforma fundamental. Além disso, deveria ter investido firmemente num programa de desestatização para desmontar o estado-empresário, que só se justificou existir nos tempos de montagem da infraestrutura, mas hoje é pesado e ineficiente. Prova disso é o prejuízo de R$ 19,1  bilhões que o Tesouro Nacional contabilizou no ano de 2016 (último dado disponível) para manter em funcionamento as 151 empresas estatais federais. Esse rombo representa um imposto de R$ 92 ao ano para cada cidadão brasileiro.

É verdade que os governos petistas realizaram administração temerária ao longo dos 13 anos em que estiveram no poder. Tomaram muitas medidas que constituem crimes e parte delas são hoje já apuradas na Operação Lava Jato e similares e outras ainda deverão surgir e passar pelo crivo da polícia e do Judiciário. Uma vez concluído o “impeachment”, isso tudo é passado e aquilo que restar capitulado como crime será problema para a Justiça, que tem o dever de identificar, punir os envolvidos e promover as reparações possíveis. Ao governo pós-impeachment cabe a tarefa de corrigir o curso da administração, o que tem ocorrido timidamente, já que os aliados cobram contrapartida.

Michel Temer partiu para o sacrifício. Seria para ele fácil escolher o terreno demagógico e deixar o país correr como um barco à deriva, sem as reformas que o equilíbrio econômico exige. Espera-se que os congressistas também tenham esse desprendimento e, mais do que as próximas eleições, tenham o interesse nacional em sua pauta de trabalho. É dever de deputado e senador apreciar as matérias colocadas sob seu crivo e assumir os riscos inerentes à atividade. E para esse cumprimento não precisa (nem deve) exigir ou receber benesses, até porque, esse procedimento é crime de concussão, capitulado no artigo 316 do Código Penal (Exigir, para si ou para outrem, direta ou indiretamente, ainda que fora da função ou antes de assumi-la, mas em razão dela, vantagem indevida: Pena - reclusão, de dois a oito anos, e multa).

Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves - dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo)

 

 

 

 

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAMPO GRANDE
Mulher fica gravemente ferida após ser lançada contra arame farpado
AMPLAVISÃO 1315
Nas pontes de Roma a lembrança de André
DOURADOS
Poste derrubado após roubo de veículos continua caído na Marcelino Pires
TRADIÇÃO CATÓLICA
27ª Festa a São Cristóvão leva caminhões às ruas de Dourados
EDUCAÇÃO
IFMS encerra nesta segunda inscrições para transferências
FÓRMULA 1
Hamilton vence após Vettel parar no muro no GP da Alemanha
SINOP
Adolescente é flagrando com maconha que seria comercializada no MT
DIRETRIZES
Período eleitoral impõe restrições na Comunicação da UFGD
CRIME AMBIENTAL
Homem é multado por construir muro que degrada matas ciliares
ELEIÇÕES
PSL faz convenção neste domingo para lançar candidatura de Bolsonaro

Mais Lidas

ÁGUA BOA
Ferido com tiro durante comemorações na Copa é preso com drogas em Dourados
CAMPO DOURADO
Jovem nega tráfico e diz que pedido de carona o levou até casa com droga
DOURADOS
Índios invadem fazenda, torturam e fazem caseiro refém por 6h
CAMPO GRANDE
Mulher morre ao bater carro na traseira de caminhão parado