Menu
Busca terça, 28 de janeiro de 2020
(67) 9860-3221

Novos servidores da cultura iniciam seminário amanhã

06 agosto 2006 - 08h29

O Teatro Aracy Balabanian em Campo Grande, vai sediar entre os dias 7 e 10 de agosto um ciclo de palestras e debates sobre a Gestão Pública da Cultura. O “Seminário da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul”, além de servir como acolhida aos novos funcionários da instituição, será um momento de reflexão sobre temas ligados à cultura e arte sul-mato-grossense e de apresentação da estrutura administrativa do órgão, unidades e projetos continuados. Participam do evento cerca de 150 servidores da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS) e da Secretaria de Cultura (SEC), sendo a maioria destes, recém-contratados por meio de concurso público. Na abertura do Seminário, às 7h30 do dia 7 de agosto, também estão previstas as presenças do Governador Zeca do PT, do Secretário de Cultura, Silvio Nucci, do diretor-presidente da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, Pedro Ortale, do diretor-presidente da TVE Regional, Bosco Martins e um representante do Conselho Estadual de Cultura.As atividades durante os quatro dias de Seminário vão começar às 7h30, prolongando-se até 12 horas. Serão realizadas doze palestras, ministradas por gestores públicos da área de cultura estadual e nacional, além de artistas, intelectuais e personalidades da área. “A idéia é repassar aos novos funcionários um pouco da nossa experiência e discutir temas ligados ao exercício de suas atividades, pois serão eles os agentes à frente dos futuros projetos culturais do Estado”, explica o diretor-presidente da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, Pedro Ortale.Entre os temas que serão abordados estão a “Ação cultural e identidade”, “Ações, projetos e programas de difusão cultural”, “Patrimônio cultural e memória em Mato Grosso do Sul”, “Procedimentos administrativos e financeiros para a ação cultural”, “Gestão e políticas públicas de cultura em Mato Grosso do Sul”, “Literatura, música e teatro sul-mato-grossense”, “A dança em Mato Grosso do Sul”, “A Relação entre Poderes Legislativo e Executivo e sociedade civil na construção do Plano Nacional de Cultura”, “Artes plásticas em Mato Grosso do Sul”, “Democracia e república na prática do fomento à arte”, “Políticas públicas para as culturas populares” e “Perspectivas para os cinemas brasileiro e sul-mato-grossense”. Concurso público - A contratação de mais funcionários para as instituições estaduais ligadas à cultura era uma antiga reivindicação do setor. “O último concurso público foi realizado há doze anos e dessa época pra cá, as estruturas aumentaram. Hoje temos o Museu de Arte Contemporânea, os Parques Jacques da Luz e Ayrton Senna, a Concha Acústica e o Museu de Porto Murtinho, além de uma demanda maior de atividades no Centro Cultural, no MIS, na Casa do Artesão e em outras unidades. Fizemos uma solicitação ao governador Zeca do PT, que foi sensível ao problema e autorizou a chamada de novos funcionários”, lembra Pedro Ortale.No ano de 2005 o Governo do Estado autorizou a realização de concurso público para a ampliação do número de servidores efetivos, juntamente com a implantação um plano de cargos e carreiras, instituindo funções e prevendo especificidades da área cultural, até então inexistentes dentro do poder público estadual. Em fevereiro de 2006 foram realizadas as provas para a contratação de 400 novos funcionários com as mais diversas qualificações, como Música, Teatro, Artes Visuais, Fotografia, Cinema, História, Psicologia, Serviço Social, Comunicação Social, Administração, Análise de Sistemas, Arquitetura, dentre outras.Até o momento já foram chamadas aproximadamente 100 pessoas, todas aprovadas no concurso. Elas foram lotadas na sede e nas unidades da Fundação de Cultura em Campo Grande, Corumbá, Porto Murtinho e Três Lagoas. Ainda serão chamados os aprovados que vão atuar nas futuras instalações em Bela Vista, Dourados, Miranda e Ponta Porã.Para Ortale, a classe artística sul-mato-grossense obteve muitas conquistas nos últimos anos. “Temos novos espaços para as manifestações culturais; o FIC, que é um mecanismo democrático de financiamento à cultura, exemplo no país; uma série de projetos e ações de sucesso; a contratação de novos funcionários e dentro de dois meses vamos entregar o Memorial da Cultura. Sem dúvida, o reaparelhamento do setor cultural em nosso Estado será um dos maiores legados que a administração do governador Zeca do PT vai deixar para a população”, avalia.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍCIA
Paciente em surto arranca soro do braço e deixa UPA ensanguentada
JUDICIÁRIO
Plano de saúde incluirá criança sob guarda judicial como dependente
CAMPO GRANDE
Homem acusado de estuprar enteada de 11 anos foge após denúncia
DOURADOS
Secretário destaca esforço para garantir crianças em salas de aula
CAPITAL
Família procura por homem com alzheimer desaparecido a quatro dias
CRISE
Governo anuncia demissão do presidente do INSS, Renato Rodrigues Vieira
PARAÍSO DAS ÁGUAS
Identificado homem que morreu em capotamento provocado por anta na BR-060
ENSINO SUPERIOR
Resultado do Sisu 2020 é liberado após STJ atender recurso do MEC
POLÍCIA
Casal que levava carro roubado para fronteira é preso
JUSTIÇA
Companhia aérea indenizará passageiro por tratamento indevido

Mais Lidas

VÍDEO
Ventania derruba árvores e destelha casas na região sul de Dourados
REGIÃO
Condutor de caminhonete é preso após atingir sete veículos estacionados
IVINHEMA
Confusão em posto termina com um morto e outro ferido por PM de folga
DOURADOS
Mulher deixa carro com chave na ignição e tem surpresa 15 horas depois