Menu
Busca sexta, 07 de agosto de 2020
(67) 99659-5905
INCENTIVO FISCAL

Nova lei de incentivos fiscais beneficiará duas mil empresas, diz Fecomércio

24 outubro 2017 - 13h35Por Da redação

Os empresários do comércio comemoraram as novas regras para a concessão de incentivos fiscais no Estado, cuja lei foi sancionada pelo governador Reinaldo Azambuja ontem (23), em solenidade realizada na sede da Federação das Indústrias do Estado (Fiems). Pelo menos 2 mil empresas do setor devem ser beneficiadas.

“Essa lei é de suma importância e para o nosso segmento vai beneficiar, principalmente, atacadistas e distribuidoras, que estão dentro do projeto”, afirmou Edison Araújo, presidente da Federação do Comércio de Mato Grosso do Sul (Fecomércio-MS). Ele explica que o setor do comércio ganhou um aumento de cinco anos no prazo, com a prorrogação dos incentivos até 2033.

Já o presidente da Fiems, Sérgio Longen, avaliou que a regulamentação da política de incentivos fiscais vai refletir na geração de mais empregos. A criação de novos postos de trabalho, além dos investimentos em ativos, são as principais contrapartidas das empresas incentivadas. “Teremos resultados expressivos na geração de empregos e na repactuação”, disse Sérgio Longen, destacando que as medidas do governo “são ações de extrema importância ao desenvolvimento econômico e social”. 

Para o presidente da Fiems, a regulamentação também abriu a política de incentivos, tornando-a transparente, já que os benefícios só serão concedidos com aprovação do Conselho de Desenvolvimento Industrial.

Para o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), a lei dá segurança jurídica aos empresários, ampliando o período de concessão dos benefícios aos investidores e aumentando a taxa de emprego. “É momento de estabilidade, novos empregos, segurança jurídica, tanto para o governo quanto para o investidor que escolhe Mato Grosso do Sul para investir”, afirmou.

Reinaldo Azambuja também destacou a criação do fundo de estabilização, que vai arrecadar R$ 120 milhões ao ano e reforçar o Tesouro nas despesas com o custeio da máquina, obrigações sociais e investimentos. “Os recursos serão usados para qualquer tipo de despesa. Para o Estado isso é muito importante, vai ajudar no equilíbrio e garantir a estabilidade fiscal”.

Os incentivos acabariam em 2028, mas com a convalidação os benefícios poderão ser concedidos até 2033 para os empreendimentos que se enquadrarem nas novas normas, que incluem a contribuição, por adesão, ao fundo de estabilização.

Durante o evento, o governador anunciou também a possibilidade de as empresas regularizarem outras pendências com o Estado, como as taxas ambientais e de vistoria dos bombeiros, entre outras obrigações com o fisco.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Empresa vence licitação para revitalizar margens de córrego por R$ 264 mil
BRASIL
População desocupada sobe para 12,4 milhões em julho, diz IBGE
LEGISLATIVO
Câmara de Dourados apresenta balanço do 1º semestre de 2020
24H
Perto de 30 mil casos de coronavírus, MS tem quase uma morte por hora
CAMPO GRANDE
Acidente entre caminhonete e moto deixa duas pessoas mortas
MEIO AMBIENTE
Onça de 70kg é atropelada e morre em rodovia de MS
PANDEMIA
Dourados ultrapassa 4 mil pessoas recuperadas do coronavírus
DOURADOS
Eleição municipal terá 164 mil votos em disputa, 53% de mulheres
COMBATE AO AEDES
“Sábado sem Mosquito” acontece no Estrela Verá
ECONOMIA
Inflação oficial fica em 0,36% em julho, diz IBGE

Mais Lidas

PANDEMIA
Dourados registra mais três óbitos por coronavírus; um deles é de outro município
DOURADOS
Guardas capturam foragido da justiça próximo a residenciais de luxo
INVESTIGAÇÕES
Polícia desarticula quadrilha responsável por furtos e tentativa de homicídio em Dourados
TRÁFICO DE DROGAS
Polícia prende dupla que contratou guincho para carregar veículo com drogas