Menu
Busca Sábado, 18 de Novembro de 2017
(67) 9860-3221
Corpal Novo site

Moka diz que orçamento 2004 será o mais magro dos últimos anos

16 Dezembro 2003 - 14h40

O deputado federal Waldemir Moka (PMDB/MS) disse que o orçamento da União para 2004, que deve ser aprovado pelo senado na próxima semana, será o mais enxuto dos últimos anos. “Só para ter uma idéia, os recursos do Ministério da Integração Nacional teve uma liberação de recursos 40% inferior que no ano passado”, comparou. Segundo o deputado outras pastas também tiveram de se ajustar. O Ministério da Agricultura ficou com um recurso 20% menor que o mais baixo já executado.Apesar do corte na receita, Moka acredita que os Estados poderão continuar crescendo porque a verba, pela proposta do governo federal, não corre o risco de ser contingenciada, como aconteceu este ano. “Como o governo garantiu a liberação dos recursos o orçamento pode ficar mais apertado. Esse ano o orçamento era maior, mas como pouco foi liberado, foi uma desgraça”, argumenta.

Deixe seu Comentário

Leia Também

VIOLÊNCIA
Idoso é encontrado morto na sala de casa com perfurações de faca
CÂMARA DOS DEPUTADOS
Comissão aprova redução de IPI a consumidor que entregar carro antigo para desmanche
SÉRIE B DO ESTADUAL
Operário de Dourados e Misto se enfrentam em jogo que pode definir acesso a Série A
DOURADOS
Ladrão invade e furta posto na avenida Guaicurus
CORUMBÁ
Dono de restaurante é flagrado com pescado ilegal e multado em R$ 76 mil
BR-262
Motorista é preso trafegando sob efeito de drogas
BRASIL
Anvisa autoriza registro de genérico contra câncer de próstata
TRAGÉDIA
Homem é assassinado durante discussão com a ex
DOURADOS
Em 40 minutos, chuva quase ultrapassa acumulado em 17 dias
REFORMA
Estudo aponta tendência de precarização do trabalho no Brasil

Mais Lidas

DOURADOS
Estudante é encontrado pela família após horas desaparecido
DESAPARECIDO
Estudante desaparece e deixa família desesperada em Dourados
IPÊ ROXO
Homem é preso ao tentar estuprar menor em Dourados
DÉFICIT DE R$ 21 MILHÕES
Prefeitura declara “emergência financeira” na Funsaud