Menu
Busca quarta, 19 de junho de 2019
(67) 9860-3221
CAPITAL

Merendeira é morta a facadas e corpo é abandonado em terreno

12 janeiro 2019 - 11h00Por Da redação

No final da tarde desta sexta-feira (11), o corpo de uma mulher morta a facadas foi encontrado no Portal Caiobá, em Campo Grande.  Conforme o Midiamax,  moradores do bairro reconheceram o corpo como sendo de Silvana Tertuliana Pereira, merendeira da Escola Municipal Antonio Lopes Lins, moradora em bairro vizinho, o residencial Celina Jallad.

O local em que o corpo foi encontrado não possui muros e proprietário se mudou aparentemente. 

Silvana foi morta com pelo menos quatro facadas e o corpo enrolado em uma rede. Ela vestia uma calça, porém estava sem blusa.

Silvana tem duas filhas, com idades entre 10 e 13 anos, que ainda não foram localizadas.

Silvana era separada e os vizinhos não possuem informações sobre o ex-marido ou se ela estava sendo ameaçada por alguém.

O caso é investigado. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZZ
Em cenário paradisíaco, Letícia Lima brinca: "estou insuportável"
CAMPO GRANDE
Mãe procura rapaz de 21 anos que desapareceu no último sábado
UEMS
Estão abertas as inscrições para o Programa de Mobilidade Nacional
JUSTIÇA
Homem é condenado por esfaquear mulher e terá que pagar R$ 8 mil
TRÂNSITO
Mais de 233 mil veículos devem passar pela BR-163 no feriado
POLÍTICA
Cinco partidos de oposição anuncia obstrução à reforma da Previdência
DIA 24
Luiza Brunet será empossada embaixadora do Mãos EmPENHAdas
RURAL
Plano Safra terá R$ 225,59 bilhões em créditos para agricultores
CAMPO GRANDE
Mulher vai ao salão de beleza e quando sai encontra veículo incendiado
POLÍTICA
Senado aprova parecer que pede suspensão dos decretos das armas

Mais Lidas

FATALIDADE
Corpo de douradense é encontrado no rio Aquidauana
DOURADOS
Perseguição na Coronel Ponciano termina com homem preso e apreensão de mais de 700kg de maconha
PARAGUAI
Homem escapa de sequestro, mas acaba executado por pistoleiros em posto
RESERVA INDÍGENA
Dois são presos suspeitos pelas mortes de tio e sobrinho em Dourados