Menu
Busca quarta, 19 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221

Membros do "blocão" queriam que reunião fosse secreta

27 janeiro 2004 - 09h18

Os membros do "blocão" que se reuniram ontem à noite na sede recreativa da Associação dos funcionários da Secretaria estadual de Fazenda não gostaram nenhum pouco da divulgação antecipada do local do encontro. Isso ficou claro ontem, na abertura da reunião, quando um dos líderes do movimento anti-Tetila, o vereador Paulo Falcão, presidente municipal do PSDB, disse que "o que era para ser um namoro, acabou ficou escancarado demais". Segundo ele, os dirigentes dos partidos teriam muito mais para falar se não tivessem uma platéia ansiosa de assessores políticos e representantes da imprensa, todos curiosos e a uma distância de aproximadamente cinco metros da mesa principal, anotando e ouvindo as várias colocações feitas pelos políticos. Falcão também atribuiu à vaidade de alguns dos presentes, sem citar nomes, a falta de maiores conclusões desse primeiro encontro.

Deixe seu Comentário

Leia Também

COMBUSTÍVEIS
Petrobras aumenta preço da gasolina nas refinarias pela 1ª vez no ano
AQUIDAUANA
Falso delegado envia nudes e ameaça ‘infernizar’ vida de menina de 13 anos
LOTERIA
Confira as dezenas da Mega-Sena, que deve paga R$ 170 milhões
PROPOSTA
Projeto de lei prevê afixação de cartazes educativos sobre adoção
PUNIÇÃO
Idoso que atirou em morador de rua é exonerado da Assembleia Legislativa
BENEFÍCIO
UEMS abre inscrições de 770 auxílios para acadêmicos da graduação
CINEMA
Morre em São Paulo aos 83 anos José Mojica Marins, o Zé do Caixão
EMPREGO
Comarca de Mundo Novo realiza processo seletivo de estagiários
DOURADOS
Ladrão leva carro de autoescola e o abandona na Cachoeirinha
COTAÇÃO
Dólar renova recorde e fecha a R$ 4,36

Mais Lidas

APÓS 9 ANOS
Hipermercado fecha as portas em Dourados no final do mês
DOURADOS
Policial aposentado mata homem e diz ter sido ameaçado com faca
VIOLÊNCIA
Homem é assassinado em frente a padaria em Dourados
DOURADOS
Júri termina com réu condenado a 15 anos por matar desafeto em 2018