Menu
Busca quinta, 27 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221

MEC lançará programa virtual para tornar aulas mais atraentes

12 janeiro 2004 - 15h29

Tornar a aula de matemática mais atraente pode parecer uma tarefa bastante difícil. A última avaliação de desempenho realizada pelo Ministério da Educação, em 2001, revelou que pelo menos 67% dos alunos do terceiro ano do ensino médio possuem desempenho considerado muito crítico nesta disciplina.Para tentar mudar essa realidade, o Ministério da Educação lançará neste ano a Rede Internacional Virtual de Educação (Rived), um projeto que pretende enriquecer as aulas nas disciplinas que os resultados são os piores da educação: matemática, física, química e biologia.O Rived consiste na elaboração de módulos de ajuda para o professor que poderá trabalhar o planejamento das aulas com mais facilidade e mais criatividade. “A escassez de material e a evolução das disciplinas nas áreas de ciências e exatas é muito grande. O livro didático se torna defasado, longe do dia-a-dia do adolescente”, explica o coordenador do programa, Jean Marc Mutzig.Com o programa, o professor precisará apenas de um computador para aplicar as dicas e metodologias sugeridas, desde joguinhos até desafios para estimular a participação nas aulas. “A tecnologia permite uma melhor visualização do que está sendo ensinado, da aplicação real que a matemática, por exemplo, pode ter”, afirma o coordenador.Inicialmente o Rived será testado nas escolas de ensino médio do Distrito Federal e logo depois poderá ser estendido para todo o país e outros países, como Peru e Venezuela. O projeto conta com 20 temas, mas deverá contar com o apoio das universidades para multiplicar o número de módulos. “A intenção é mobilizar também os alunos de licenciatura das universidades para que eles possam participar da criação de novos módulos e também para que cheguem às salas sabendo como funciona o programa”, disse Mutzig. A professora de matemática Maria Jurema Martins reconhece que as aulas não são muito atraentes. “Eu acho o ensino de matemática monótono. Ficar 50 minutos dentro de uma sala só ouvindo enunciados e fazendo exercícios não dá. O ideal é ir para o laboratório de informática com o professor, que poderá acompanhar a aprendizagem de cada aluno”, defende ela.Lecionando há mais de 25 anos no Centro Educacional Gisno, em Brasília, a professora fala da necessidade de renovar os métodos pedagógicos nessas disciplinas. “Confesso que a falta do aspecto lúdico principalmente para o ensino médio causa a desmotivação do aluno. Não adianta ele ter um computador em casa e chegar na escola e voltar para idade da pedra!”, alerta.A partir de quinta-feira (15), os interessados poderão acessar o endereço http://rived.proinfo.mec.gov.br para se cadastrar e conhecer melhor o projeto. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

ARQUITETURA & DESIGN
Transformando lavanderias em lugares agradáveis por Juliana Saraiva
STF
OAB questiona resolução do CNJ que trata da presença de advogados em audiência de conciliação
FUTEBOL
Seleções Principal e Olímpica serão convocadas no dia 6 de março
BR-262
Ambiental encontra onça-pintada atropelada e morta em rodovia
INFORME PUBLICITÁRIO
Além de pneus, Impacto Prime Dourados garante serviços de qualidade ao seu carro
BELEZA E ESTÉTICA
Botox Capilar: Entenda esse tratamento e evite o frizz
ESTADO
Sefaz-MS disponibiliza página de autoatendimento do IPVA na internet
MS
Mulher pede R$ 120 mil de indenização após ofensas de inquilina no WhatsApp
LUTO
Técnico Valdir Espinosa morre no Rio de Janeiro
EDUCAÇÃO
Termine seus estudos com o EMFA

Mais Lidas

MULTIDÃO
Carnaval na praça central de Dourados termina em ‘confusão e sujeira’
DOURADOS
Mulher tenta sair de mercado com quase R$ 700 em compras sem pagar
INVESTIGAÇÃO
Ex-prefeito de Amambai foi morto após discussão por desacordo trabalhista
PONTA PORÃ
Estado monitora caso suspeito de Coronavírus na fronteira