Menu
Busca segunda, 25 de junho de 2018
(67) 9860-3221

MEC deve criar sistema de cotas nas Universidades federais

11 dezembro 2003 - 15h31

O Ministério da Educação (MEC) e a Secretaria de Igualdade Racial estudam projeto para alterar as regras de acesso a Universidades públicas em todo o Brasil. Entre as idéias em discussão, estão a adoção de uma política nacional de cotas para alunos negros, mudanças nos critérios do vestibular e a cobrança de mensalidades dos alunos ricos. Segundo a assessoria do MEC as idéias são discutidas pelo Ministério neste momento, mas nenhuma delas é definitiva ou foi encaminhada formalmente à Presidência da República. De acordo com projeto elaborado pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), a adoção de cotas em todas as universidades públicas do País buscaria reservar ao menos 20% das vagas para alunos negros, que seriam admitidos nas Universidades em detrimento de estudantes brancos com notas melhores que os negros no vestibular. O CNE é formado por representantes de 11 Ministérios do Governo Federal e, com o sistema de cotas, visa reverter a exclusão dos negros no ensino superior brasileiro. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os alunos brancos têm 5 vezes mais chances de ingressar no ensino superior que um negro. Entre a população branca com mais de 25 anos, 10% possuem curso superior completo. Entre os negros este número fica abaixo de 2%. A Secretaria de Promoção Racial admite que a adoção de políticas afirmativas é uma iniciativa excludente. Para a Secretaria, não se pode tratar de forma igual coisas desiguais. O projeto inicial - que será encaminhado ao presidente Lula - obrigaria as Universidades públicas a reservar 20% das vagas a estudantes negros. Assim, em um curso com 100 vagas, os estudantes não-negros poderiam ocupar no máximo 80 vagas. As demais vagas ficariam estariam reservadas para os 20 melhores colocados entre os estudantes negros. O Ministério da Educação também discute a idéia de cobrar mensalidades dos alunos ricos em cursos públicos. O ministro da Educação, Cristovam Buarque, disse que o governo é a favor da gratuidade de todos os cursos, mas não se recusa a discutir a proposta.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

LAÇOS DE FAMÍLIA
Quadrilha chefiada por PM abastecia o tráfico em todo país
COPA DO MUNDO
Seleção faz treino tático a dois dias de duelo decisivo
EDUCAÇÃO
ProUni abre inscrições amanhã; estudantes podem consultar vagas
VAQUINHA VIRTUAL
Populares dizem que não vão contribuir com dinheiro em campanha política
MUNDIAL 2018
Juiz do ouro olímpico, iraniano apitará duelo decisivo entre Brasil e Sérvia
PREVENÇÃO
Seminário sobre dependência química é nesta quarta-feira
PRAZO
Prazo para parcelamento do Simples Nacional termina dia 09 de julho
41ª FESTA JUNINA DE DOURADOS
Evento consolida participação popular em Dourados
PONTO DIGITAL
Prefeitura de Campo Grande tem 30 dias para implantar pontos eletrônicos nas Unidades de Saúde
COTAÇÕES
Com alta do dólar, gastos no exterior estão desacelerando

Mais Lidas

TRAGÉDIA
Mulher morre e 8 ficam feridos após colisão na MS-379
POLÍCIA
Homem é assassinado em bar em Dourados
BR-163
Adolescente morre após ser atropelado por motorista bêbado em Dourados
POLÍCIA
Veículo é roubado e recuperado horas depois em Dourados