Menu
Busca sábado, 23 de março de 2019
(67) 9860-3221

MEC deve criar sistema de cotas nas Universidades federais

11 dezembro 2003 - 15h31

O Ministério da Educação (MEC) e a Secretaria de Igualdade Racial estudam projeto para alterar as regras de acesso a Universidades públicas em todo o Brasil. Entre as idéias em discussão, estão a adoção de uma política nacional de cotas para alunos negros, mudanças nos critérios do vestibular e a cobrança de mensalidades dos alunos ricos. Segundo a assessoria do MEC as idéias são discutidas pelo Ministério neste momento, mas nenhuma delas é definitiva ou foi encaminhada formalmente à Presidência da República. De acordo com projeto elaborado pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), a adoção de cotas em todas as universidades públicas do País buscaria reservar ao menos 20% das vagas para alunos negros, que seriam admitidos nas Universidades em detrimento de estudantes brancos com notas melhores que os negros no vestibular. O CNE é formado por representantes de 11 Ministérios do Governo Federal e, com o sistema de cotas, visa reverter a exclusão dos negros no ensino superior brasileiro. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os alunos brancos têm 5 vezes mais chances de ingressar no ensino superior que um negro. Entre a população branca com mais de 25 anos, 10% possuem curso superior completo. Entre os negros este número fica abaixo de 2%. A Secretaria de Promoção Racial admite que a adoção de políticas afirmativas é uma iniciativa excludente. Para a Secretaria, não se pode tratar de forma igual coisas desiguais. O projeto inicial - que será encaminhado ao presidente Lula - obrigaria as Universidades públicas a reservar 20% das vagas a estudantes negros. Assim, em um curso com 100 vagas, os estudantes não-negros poderiam ocupar no máximo 80 vagas. As demais vagas ficariam estariam reservadas para os 20 melhores colocados entre os estudantes negros. O Ministério da Educação também discute a idéia de cobrar mensalidades dos alunos ricos em cursos públicos. O ministro da Educação, Cristovam Buarque, disse que o governo é a favor da gratuidade de todos os cursos, mas não se recusa a discutir a proposta.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

VIOLÊNCIA
Líder rural é assassinada a facadas em assentamento no sudeste do Pará
DOURADOS
Homem é assaltado por trio quando trafegava próximo ao shopping
SELEÇÃO
Brasil enfrenta hoje o Panamá no primeiro amistoso da temporada
CRIME AMBIENTAL
Fazendeiros são autuados em R$ 19,5 mil por quatro desmatamentos
DESACOMPANHADOS
Nova lei exige autorização judicial para menores de 16 anos viajarem
CENTRO
Jovem de 22 anos perde motocicleta durante assalto em Dourados
EDUCAÇÃO
IFMS divulga local de prova e ensalamento de concurso para docentes
PONTA PORÃ
Clientes de mercado ficam na mira de 4 bandidos durante assalto
MÚSICA
Estão abertas as inscrições para o III Festival da Canção da UEMS
AQUIDAUANA
Colisão entre dois veículos deixa um morto e oito feridos na BR-262

Mais Lidas

HU
Dengue hemorrágica causa morte de menino de 11 anos em Dourados
LUTO
Fundadora da ADL, Ruth Hellman morre em Dourados
DOURADOS
Protesto contra a Reforma da Previdência leva centenas ao Centro
DOURADOS
Trio que matou e roubou cabeleireiro é condenado a 62 anos de cadeia