Menu
Busca sexta, 22 de março de 2019
(67) 9860-3221

Marido pode ter matado mulher achada semi-nua na Capital

10 dezembro 2003 - 10h27

A Polícia Civil começa a esclarecer o assassinado de Aparecida Vanusa Siqueira, que foi encontrada semi-nua no domingo, na saída para Sidrolândia, perto do Lixão e da fábrica da Frutilla. Já sabe por exemplo que a última ocasião em que foi vista com vida foi na boate "Porteira Quebrada", onde esteve se divertindo com o marido, o tenente-coronel bombeiro Medina. A mulher foi morta com pancadas na testa.À polícia, o marido disse que deixou esposa com uma amiga e foi embora para casa cuidar dos dois filhos. A mãe da mulher assassinada está acusando o tenente-coronel de ser o mandante do assassinato, informou há pouco a FM Capital. No "Porteira Quebrada", Vanusa teria sido "paquerada" por dois homens, conhecidos como Beto Panataneiro e Gilson. A polícia, contudo, não tem ligações dois dois com o crime. O próximo passo será vistoriar o carro do tenente-coronel.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZZ
Camila Alves resgata foto com barriga chapada e diz: "antes das crianças"
AMAMBAI
Homem de 43 anos morre após sofrer mal súbito no local de trabalho
ECONOMIA
Conta de luz pode ter aumento de 15% a partir de abril em MS
JUDICIÁRIO
STF adia julgamento sobre compartilhamento de dados da Receita
CRIME AMBIENTAL
Paulistas são multados em R$ 2,5 mil por transportar pescado ilegal
CAPITAL
Com dores e febril após parto, mulher expele pano durante o banho
LEÃO
Receita recebe quase 5 milhões de declarações do IR em duas semanas
CORUMBÁ
Pai e 2 filhos são presos ao manter depósito de combustível no quintal
CONCURSO
Governo abre seleção profissionais para gestão de recursos hídricos
SAÚDE
STJ autoriza João de Deus a deixar prisão para tratamento médico

Mais Lidas

DOURADOS
Tripla colisão deixa dois feridos em cruzamento movimentado
DOURADOS
Universitária morre no HV quatro dias após acidente de moto
RIO BRILHANTE
Dono de oficina baleado pela manhã morre no Hospital da Vida
OPERAÇÃO PREGÃO
Investigações apontam assinatura de morta em contrato de empresa de refrigeração com prefeitura