Menu
Busca quarta, 26 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221

Mãe de bebê abandonado em Cascavel é encontrada morta

18 agosto 2002 - 10h38

O caso da bebê encontrada engatinhando em uma calçada na cidade de Cascavel, no Paraná, que inicialmente se acreditava abandonada, parece prestes a ser esclarecido. O corpo da mãe da menina, Leandra Pimentel, 18 anos, foi encontrado. Dois suspeitos pelo crime foram presos.
O produtor rural e professor de educação física Hélio Teles, 30 anos, suposto pai da criança, e um homem que prestava serviços para ele, Lindomar da Silva, conhecido como Nego Belo, estão detidos por suposto envonvimento no crime. Eles teriam confessado o crime e levado a polícia até o corpo.
Segundo a versão apresentada pela polícia, Teles, casado e pai de três filhos, teria prometido comprar uma casa para Leandra e a filha em Cascavel, que fica a 240 km da cidade natal das duas, Itapejara do Oeste, na região de Pato Branco. Teles também teria prometido abandonar a esposa e viver com Leandra, com a condição de que ela não contasse à família que ambos iriam para Cascavel.
Leandra teria aceitado. No dia 8 de agosto, à tarde, ela seguiu viagem com os dois acusados e a bebê pela rodovia PR-182 no Chevrolet Omega de Teles. A cerca de cinco quilômetros do trevo de acesso à cidade de Capitão Leônidas Marques, o produtor teria entrado em uma estrada de terra na qual planejava executar a amante.
Pouco depois, Lindomar da Silva teria executado Leandra. Dados preliminares dão conta de que ela morreu golpeada por uma pá no lado direito da face e com três canivetadas no pescoço. Lindomar teria recebido R$ 1.000 para matar a jovem e teria proposto matar também a bebê, mas Teles não teria aceitado.
O motivo do crime teriam sido as cobranças de Leandra para que Teles ajudasse a criar a bebê, apelidada de Aparecida por aqueles que a encontraram. Leandra teria ameaçado entrar na Justiça contra Teles para obter pensão alimentícia. Depois de ocultarem o corpo de Leandra, Teles e Lindomar abandonaram o bebê no bairro de Vila Tolentino, em Cascavel.
A criança foi exibida em programas locais de TV durante quase uma semana, mas só depois de o caso ter sido noticiado pelo Jornal Nacional, da TV Globo, é que sua avó, Leonilda Pimentel, 43 anos, a reconheceu.
Leonilda, que está com a guarda temporária da bebê, concedida pelo juiz Sérgio Kreuz, reconheceu hoje o corpo da filha, que será sepultado em Itapejara do Oeste. As informações são dos jornais "Gazeta do Paraná" e "O Paraná".

Deixe seu Comentário

Leia Também

MERCADO FINANCEIRO
Ações: como começar a investir
REGIÃO
Delegado pede prisão de acusado pelo assassinato de ex-prefeito e governo decreta luto por 3 dias
FUTEBOL
Flamengo e Independiente del Valle decidem hoje a Recopa SUl-Americana
COMER BEM
Marmita Torre: comodidade e praticidade no dia-a-dia das famílias
DOURADOS
Casal agride mulher e leva celular dela em assalto no Centro
Educação
Hiperpoliglotismo: tudo sobre a habilidade de falar muitos idiomas
SUSPEITA EM SP
Isolamento domiciliar em caso suspeito de coronavírus é previsto em MS
DOURADOS
Após furtar compra de R$ 678, mulher paga mais de R$ 1 mil para responder em liberdade
FUTEBOL AMADOR
Congresso técnico define últimos detalhes da Copa Abevê, que terá 28 equipes
MS-276
Homem que pagou R$ 2,5 mil por CNH a despachante é preso com documento falso

Mais Lidas

DOURADOS
Ex-prefeito de Amambai não resiste e morre no Hospital do Coração
MULTIDÃO
Carnaval na praça central de Dourados termina em ‘confusão e sujeira’
ATENTADO
Aeronave pousa em Dourados e fica a disposição de Lanzarini
DOURADOS
Mulher tenta sair de mercado com quase R$ 700 em compras sem pagar