Menu
Busca domingo, 07 de junho de 2020
(67) 99659-5905

Mãe de bebê abandonado em Cascavel é encontrada morta

18 agosto 2002 - 10h38

O caso da bebê encontrada engatinhando em uma calçada na cidade de Cascavel, no Paraná, que inicialmente se acreditava abandonada, parece prestes a ser esclarecido. O corpo da mãe da menina, Leandra Pimentel, 18 anos, foi encontrado. Dois suspeitos pelo crime foram presos.
O produtor rural e professor de educação física Hélio Teles, 30 anos, suposto pai da criança, e um homem que prestava serviços para ele, Lindomar da Silva, conhecido como Nego Belo, estão detidos por suposto envonvimento no crime. Eles teriam confessado o crime e levado a polícia até o corpo.
Segundo a versão apresentada pela polícia, Teles, casado e pai de três filhos, teria prometido comprar uma casa para Leandra e a filha em Cascavel, que fica a 240 km da cidade natal das duas, Itapejara do Oeste, na região de Pato Branco. Teles também teria prometido abandonar a esposa e viver com Leandra, com a condição de que ela não contasse à família que ambos iriam para Cascavel.
Leandra teria aceitado. No dia 8 de agosto, à tarde, ela seguiu viagem com os dois acusados e a bebê pela rodovia PR-182 no Chevrolet Omega de Teles. A cerca de cinco quilômetros do trevo de acesso à cidade de Capitão Leônidas Marques, o produtor teria entrado em uma estrada de terra na qual planejava executar a amante.
Pouco depois, Lindomar da Silva teria executado Leandra. Dados preliminares dão conta de que ela morreu golpeada por uma pá no lado direito da face e com três canivetadas no pescoço. Lindomar teria recebido R$ 1.000 para matar a jovem e teria proposto matar também a bebê, mas Teles não teria aceitado.
O motivo do crime teriam sido as cobranças de Leandra para que Teles ajudasse a criar a bebê, apelidada de Aparecida por aqueles que a encontraram. Leandra teria ameaçado entrar na Justiça contra Teles para obter pensão alimentícia. Depois de ocultarem o corpo de Leandra, Teles e Lindomar abandonaram o bebê no bairro de Vila Tolentino, em Cascavel.
A criança foi exibida em programas locais de TV durante quase uma semana, mas só depois de o caso ter sido noticiado pelo Jornal Nacional, da TV Globo, é que sua avó, Leonilda Pimentel, 43 anos, a reconheceu.
Leonilda, que está com a guarda temporária da bebê, concedida pelo juiz Sérgio Kreuz, reconheceu hoje o corpo da filha, que será sepultado em Itapejara do Oeste. As informações são dos jornais "Gazeta do Paraná" e "O Paraná".

Deixe seu Comentário

Leia Também

FAMOSOS
Filho de Flávio Migliaccio desabafa sobre morte do pai
CLIMA
Em sábado frio, temperatura não passou dos 20°C em Dourados
COM PREMIAÇÃO
Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul selecionará 150 projetos
MEIO AMBIENTE
Prevenção e combate a incêndios florestais em MS envolverá setor público e privado
SIDROLÂNDIA
Homem que estava desaparecido é encontrado morto sem as orelhas em açude
BRASIL
Prefeito de Santa Quitéria do Maranhão morre por Covid-19
BRASIL
Estudo defende aprimoramento de norma que avalia endividamento público
CAPITAL
Vítima salta de porta-malas com carro em movimento para fugir de bandidos
BRASIL
Bolsonaro defende divulgação atrasada e parcial de dados
SAÚDE
CCZ notifica seis pessoas para limpar quintal neste sábado, em Dourados

Mais Lidas

PANDEMIA
Dourados bate novo recorde e se aproxima de 500 casos de coronavírus
DOURADOS
Suspeito de apontar arma na cabeça de motoboy para roubar veículo é apreendido
DOURADOS
Polícia descobre central que abastecia “bocas de fumo” e prende traficante
PANDEMIA
“Há projeções de que o pior está por vir”, diz secretário após apresentar números da Covid