Menu
Busca quinta, 24 de outubro de 2019
(67) 9860-3221

Mãe de bebê abandonado em Cascavel é encontrada morta

18 agosto 2002 - 10h38

O caso da bebê encontrada engatinhando em uma calçada na cidade de Cascavel, no Paraná, que inicialmente se acreditava abandonada, parece prestes a ser esclarecido. O corpo da mãe da menina, Leandra Pimentel, 18 anos, foi encontrado. Dois suspeitos pelo crime foram presos.
O produtor rural e professor de educação física Hélio Teles, 30 anos, suposto pai da criança, e um homem que prestava serviços para ele, Lindomar da Silva, conhecido como Nego Belo, estão detidos por suposto envonvimento no crime. Eles teriam confessado o crime e levado a polícia até o corpo.
Segundo a versão apresentada pela polícia, Teles, casado e pai de três filhos, teria prometido comprar uma casa para Leandra e a filha em Cascavel, que fica a 240 km da cidade natal das duas, Itapejara do Oeste, na região de Pato Branco. Teles também teria prometido abandonar a esposa e viver com Leandra, com a condição de que ela não contasse à família que ambos iriam para Cascavel.
Leandra teria aceitado. No dia 8 de agosto, à tarde, ela seguiu viagem com os dois acusados e a bebê pela rodovia PR-182 no Chevrolet Omega de Teles. A cerca de cinco quilômetros do trevo de acesso à cidade de Capitão Leônidas Marques, o produtor teria entrado em uma estrada de terra na qual planejava executar a amante.
Pouco depois, Lindomar da Silva teria executado Leandra. Dados preliminares dão conta de que ela morreu golpeada por uma pá no lado direito da face e com três canivetadas no pescoço. Lindomar teria recebido R$ 1.000 para matar a jovem e teria proposto matar também a bebê, mas Teles não teria aceitado.
O motivo do crime teriam sido as cobranças de Leandra para que Teles ajudasse a criar a bebê, apelidada de Aparecida por aqueles que a encontraram. Leandra teria ameaçado entrar na Justiça contra Teles para obter pensão alimentícia. Depois de ocultarem o corpo de Leandra, Teles e Lindomar abandonaram o bebê no bairro de Vila Tolentino, em Cascavel.
A criança foi exibida em programas locais de TV durante quase uma semana, mas só depois de o caso ter sido noticiado pelo Jornal Nacional, da TV Globo, é que sua avó, Leonilda Pimentel, 43 anos, a reconheceu.
Leonilda, que está com a guarda temporária da bebê, concedida pelo juiz Sérgio Kreuz, reconheceu hoje o corpo da filha, que será sepultado em Itapejara do Oeste. As informações são dos jornais "Gazeta do Paraná" e "O Paraná".

Deixe seu Comentário

Leia Também

JUSTIÇA
Comparsa de homicídio de adolescente é condenado a 8 anos
BALANÇO
TRE/MS realiza audiência para tratar da biometria em Terenos
CESSÃO ONEROSA
Congresso aprova projeto que garante R$ 34,6 bi à Petrobras
CAPITAL
Falso repórter engana treinador de futebol com entrevista e clona WhatsApp
UEMS
Mestrado em Ensino em Saúde prorroga período de inscrições
NOVA ALVORADA
Homem esfaqueou pastor porque ele ‘fomentava’ separação, diz polícia
REFORMA APROVADA
Ponto a ponto: saiba o que vai mudar nas aposentadorias
TRÊS LAGOAS
Homem atira para matar ex-mulher e acaba baleando dono de restaurante
MÚSICA
Livro sugere que Raul Seixas entregou Paulo Coelho à ditadura
MEIO AMBIENTE
PMA usa satélite e drone para autuar infrator por desmatamento

Mais Lidas

EM DEZEMBRO
‘Natal para Todos’ terá show com famosos no aniversário de Dourados
INFORME PUBLICITÁRIO
Loja de materiais de construção traz caminhões com pisos direto da fábrica e aquece a briga pelo cliente
FRONTEIRA
Gerente de loja de pneus é baleado por pistoleiros
POLÍCIA
Rapaz é baleado nas costas enquanto conversava com amigo no Flórida