Menu
Busca quinta, 20 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221

Lula se encontra hoje com Bush no México

12 janeiro 2004 - 08h36

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai se encontrar hoje com o presidente norte-americano, George W. Bush. A reunião ocorrerá na Cúpula Extraordinária das Américas, que acontecerá hoje e amanhá em Monterrey, no México. A conversa entre os dois mandatários será às 11 horas da noite desta segunda-feira.De acordo com o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim um dos assuntos abordados no encontro será a questão do fichamento dos norte-americanos. Lula pedirá a Bush que retire os brasileiros da lista de estrangeiros que têm que ser fotografados e fichados ao desembarcar nos Estados Unidos. "Se estamos querendo integração das Américas é natural que tenha que haver não dificuldades, mas facilidades para as pessoas", afirmou o ministro. "Respeitamos e entendemos os problemas de segurança que os Estados Unidos têm, mas temos que encontrar uma solução que respeite também o tratamento digno aos cidadãos de todos os países", comentou Celso Amorim. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva embarcou ontem à noite para Monterrey. O encontro de chefes de Estado e Governo de 34 nações do hemisfério ocidental tem por objetivo discutir assuntos comuns aos diferentes países e desenvolver uma visão compartilhada para o futuro da região nas áreas econômica, social e política. A discussão estará centrada nos temas crescimento com equilíbrio, desenvolvimento social e governabilidade democrática. Lula inicia sua agenda hoje pela manhã, quando participará do ato de inauguração da Cúpula e, mais tarde, da primeira sessão de trabalho sobre o tema "Crescimento Econômico com Eqüidade para a Superação da Pobreza". Às 21h, comparecerá ao jantar que o presidente mexicano Vicente Fox oferecerá em homenagem aos chefes de Estado e de Governo. Amanhã pela manhã, Lula participará de duas sessões de trabalho, uma sobre o tema "Desenvolvimento Social", da qual é o principal orador, e outra sobre "Governabilidade Democrática". À tarde, seguirá para solenidade de assinatura da Declaração e Encerramento da Cúpula. A agenda será encerrada com uma sessão de foto oficial dos participantes e um almoço de trabalho. A convite do presidente mexicano, o presidente Lula deverá participar de entrevista coletiva restrita a nove chefes de Estado e governo que integram o Comitê Executivo da Cúpula. Está previsto, ainda, almoço com o presidente da Venezuela, Hugo Chavez. O retorno a Brasília está previsto para as 20h de amanhã. A Cúpula foi denominada Extraordinária pelo fato de estar prevista para acontecer apenas em 2005, na Argentina (quatro anos após a última, realizada em 2001, em Quebec, no Canadá). Segundo boletim da OEA (Organização dos Estados Americanos), problemas urgentes, como o lento crescimento econômico, a pobreza persistente e a crescente demanda pela maior participação cidadã no processo democrático justificaram a antecipação do evento. Outra razão foi a substituição de cerca de 13 chefes de Estado desde a última Cúpula. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

BALANÇO
Em 40 dias, apreensões de agrotóxicos superam quase 200% do acumulado em 2019
DOURADOS
Após negociação, mulher é resgatada de torre no Guaicurus
COTAÇÃO
Dólar fecha em alta e renova patamar recorde
BRASIL
Greve não impacta preço dos combustíveis, diz Petrobras
TECNOLOGIA
Empresários de MS receberão R$ 2 mi para incentivar produtos e serviços inovadores
DOURADOS
Mulher ameaça se jogar de torre no Jardim Guaicurus
DEFINIÇÃO
Nomeados novos membros do Comitê Estadual para Refugiados, Migrantes e Apátridas de MS
KIT RONI
Em apreensão, policiais encontram “kit” que transforma pistola em submetralhadora
DEFRON
Mais de 15t de drogas são incineradas no Distrito Industrial em Dourados
PAULISTÃO
Palmeiras e Guarani abrem hoje a sétima rodada

Mais Lidas

APÓS 9 ANOS
Hipermercado fecha as portas em Dourados no final do mês
DOURADOS
Policial aposentado mata homem e diz ter sido ameaçado com faca
VIOLÊNCIA
Homem é assassinado em frente a padaria em Dourados
DOURADOS
Júri termina com réu condenado a 15 anos por matar desafeto em 2018