Menu
Busca quinta, 20 de setembro de 2018
(67) 9860-3221
OPINIÃO

Leia o artigo "Tradição a céu aberto", por Rosildo Barcellos

13 julho 2018 - 09h09Por Rosildo Barcellos

Miranda cantada em versos, Miranda contada em prosa, de façanhas sem fronteiras, de área portentosa, pelo desenvolvimento, pela hospitalidade, pelo exemplo sulino, pelas personalidades, a ti cidade sorriso, baluarte da nação, hei de honrar a tua flâmula, hei de amar o teu brasão, assim conta um trecho do Hino da cidade de Miranda, berço da história do Estado e um dos municípios mais antigos do Mato Grosso do Sul.

Possui um patrimônio histórico que remonta a Guerra da Tríplice Aliança, sendo palco de muitos acontecimentos, que refletem hoje no que é o nosso Estado. Fundada a partir da construção do Presídio Nossa Senhora do Carmo do Rio Mondego, reduto construído pelo governador Caetano Pinto de Miranda a mando do Capitão das Conquistas João Lemes do Prado, que desbravou os rios Mbotetei (Miranda) e Arariani (Aquidauana), encontrando as ruínas de Xerez, cidade fundada em 1579 e destruída pelos índios Guaicurus, e, que, na ocasião, tinha o objetivo de defender a região contra possíveis ataques dos (Castelhanos de Assunção). A 16 de julho de 1778, era chamada de Mondego, e em 1835, o local passou a se chamar Nossa Senhora do Carmo de Miranda e sua comarca abrangeu todo o Planalto do Amambai.

Em 1857, Francisco Rodrigues do Prado (irmão do fundador do presídio) consegue por meio de lei provincial transformar a localidade em vila com o nome de Miranda, sendo uma homenagem ao ex-governador que iniciou a construção do presídio. Entretanto, os homens de Francisco Izidoro Resquim, num total de cinco mil soldados, invadiram Mato Grosso, com uma coluna chagando até Miranda. A invasão se deu em 28 de dezembro de 1.864, por Bela Vista, tendo as tropas paraguaias chegando à vila de Miranda em 12 de janeiro de 1.865, causando destruição e se apropriando a maioria do gado e cavalos existente na Fazenda Imperial do Betione.

Com seu povo batalhador que buscava o progresso, a cidade é reconstruída novamente. No primeiro censo nacional realizado 94 anos depois, Miranda era a cidade mais populosa do sul de Mato Grosso com 3852 habitantes. Atualmente a cidade possui cerca de 28 mil habitantes e comemora aniversário em 16 de julho. Nesta data também é celebrado o Dia de Nossa Senhora do Carmo, padroeira da cidade e nome da Igreja Matriz. Há duas importantes páginas da história, que foram escritas na região, a primeira em 1865 quando os paraguaios destruíram edificações na cidade, e depois quando, em 1885 (três anos antes da declaração da Princesa Izabel pela Abolição da Escravatura), o Clube Emancipador de Miranda, com o apoio da Câmara Municipal, alforriou seus escravos. Assim é Miranda, história e tradição a céu aberto.

 

*Articulista

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

EDUCAÇÃO
UEMS abre inscrições para o Mestrado em Ensino em Saúde
MUNDO NOVO
Integrante do PCC que fugiu de presídio é preso na região de fronteira
DRENO
Bolsonaro passa por procedimento para tirar líquido no abdômen
OPERAÇÃO OIKETICUS
Tenente-coronel é condenado a 3 anos de prisão por obstrução da Justiça
ECONOMIA
Brasileiros poderão receber remessas do exterior em reais
JUSTIÇA
Comerciante é condenado por vender bebida alcoólica a menor
FIT
Orquestra UFGD abre hoje o 9º Festival de Teatro de Dourados
CORUMBÁ
Tráfego na MS-184 é liberado após recuperar ponte de madeira
ECONOMIA
STF mantém decisão que manda corrigir saldo do FGTS no Plano Collor 2
PREVENÇÃO
Centros de assistência de saúde mental ajudam na prevenção ao suicídio

Mais Lidas

DOURADOS
Colisão frontal mata passageiro de caminhonete e deixa três pessoas feridas
DOURADOS
Homem esfaqueado pelo filho morre no Hospital da Vida
DOURADOS
Polícia fecha entreposto de drogas e prende três no Jardim Colibri
BR-163
Acidente envolvendo caminhão e caminhonete deixa dois em estado grave e um morto