Menu
Busca quinta, 24 de janeiro de 2019
(67) 9860-3221
BRASIL

Lei Seca reduz uso de álcool ao volante e número de acidentes, diz pesquisa

19 junho 2015 - 19h00

Agência Brasil

Após o endurecimento da Lei 11.705/2008, a chamada Lei Seca, em 2012, caiu o índice de adultos que admitem beber e dirigir nas capitais do país. A queda foi de 16% entre 2012 e 2014, de acordo com a pesquisa Vigilância de Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) 2014, do Ministério da Saúde. O dado foi divulgado hoje (19), data em que a lei completa sete anos.

A pesquisa mostra que 7% dos entrevistados em 2012 responderam ainda manter o hábito de consumir álcool e dirigir. Em 2014, o percentual para 5,9%. A Vigitel ouviu 40,8 mil pessoas com mais de 18 anos de idade, nas capitais do país.

Dados da Polícia Rodoviária Federal mostram ligeira queda no número de acidentes ocorridos por influência do álcool após a lei ter estabelecido tolerância zero ao álcool e aumentado o valor da multa para quem for flagrado embriagado ao volante, em 2012. Naquele ano foram registrados 7.594 acidentes, 7.526 em 2013 e 7.391 no ano passado.

Na avaliação do professor de direito penal, do Centro Universitário Iesb, e autor do livro Embriaguez ao Volante e na Aplicabilidade Jurídica do Exame Visual, Marcelo Zago, os sete anos de vigência da Lei Seca tiveram efeitos positivos. “Quando se leva em conta que o número de veículos aumentou, possivelmente o número de acidentes iria aumentar, mas eles permanecem estáveis e vêm diminuindo em alguns pontos de rodovias federais”, disse.

Para Marcelo Zago, em paralelo à legislação que proíbe a combinação de álcool e direção, é importante que sejam feitas campanhas de educação no trânsito, constantemente. “É uma legislação que vem sendo endurecida à medida que o tempo passa, porque é um clamor social grande, e o endurecimento da legislação, por si só, não gera efeito tão benéfico quanto o efeito veiculado juntamente com a educação no trânsito. É necessário que haja uma mudança de mentalidade”, ressaltou.

De acordo com a pesquisa Vigitel 2014, as capitais em que os entrevistados mais admitiram dirigir após beber são Florianópolis e Palmas. Os menores índices foram em Vitória, no Rio de Janeiro e Recife. Dos que mais admitiram consumir álcool antes de assumir e direção, 10,7% são homens. Apenas 1,7% das mulheres assumem o risco da mistura bebida e volante.

A Lei 11.705 alterou o Código Brasileiro de Trânsito e estabeleceu limites de concentração de álcool no sangue para motoristas. Em dezembro de 2012 foi sancionada a Lei 12.760 que fez nova alteração no código de trânsito e e estabeleceu tolerância zero ao álcool.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAMPO GRANDE
Médico é sequestrado no estacionamento da Santa Casa, mantido refém e ladrões levam BMW
EDUCAÇÃO
Arquitetura e Urbanismo do IFMS tem maior concorrência no 1º dia do Sisu
CHOCOLATE
Torta palha italiana repleta de brigadeiro, super cremosa
NAVIRAÍ
Trio é preso com revólver e maconha quando iam dar uma ‘voltinha’
EDUCAÇÃO
Em Semana Pedagógica, Senai alinha ações e calendário de atividades para 2019 no Estado
INSPIRE-SE
Apartamento de 46 m² com cozinha escondida e adega suspensa
CAPITAL
Governo reforça segurança no Aquário do Pantanal
DOURADOS
Festa com adolescentes e bebidas alcoólicas termina com 12 pessoas na delegacia
DADOS
Detran-MS é o primeiro do país a dispor de painel atualizado com números do trânsito
GOVERNO
Na Capital Federal, Reinaldo Azambuja se reúne com governadores do Brasil Central e ministros de Bolsonaro

Mais Lidas

OPERAÇÃO PREGÃO
Ex-secretário de Fazenda João Fava Neto é preso na Capital
POLÍCIA
Rapaz vai parar na cadeia após ser flagrado empinando moto em Dourados
POLÍCIA
Homem é flagrado com mais de 150 kg de cocaína em fundo falso de caminhão
PARANHOS
Sogro de narcotraficante é executado a tiros na região de fronteira