Menu
Busca domingo, 23 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221

Lanzarini diz que eleições não devem atrapalhar relações

05 janeiro 2004 - 10h47

O presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul) e prefeito de Amambai, Dirceu Lanzarini (PL), afirmou no fim de semana que as eleições municipais deste ano não devem atrapalhar as relações institucionais. Segundo ele, apesar do pluripartidarismo que envolve a entidade, composta por prefeitos de várias correntes partidárias, a relação com os poderes constituídos, principalmente o governo estadual, não pode mudar. Em sua avaliação, é perfeitamente possível conciliar a campanha com os trabalhos administrativos, embora reconheça que em menor escala, já que muitos prefeitos deverão se dedicar à reeleição. “É preciso que os agentes públicos continuem agindo de forma racional, de modo que o calor da campanha eleitoral não atrapalhe o desenvolvimento das atividades administrativas”, disse, lembrando que a Assomasul tem se pautado pela eficiência e pela dedicação a seus associados na luta em favor do municipalismo. O presidente da Assomasul deseja que 2004 seja muito melhor para os municípios, que foram extremamente prejudicados no ponto de vista econômico do País, a partir das mudanças decorrentes do processo de transição do governo. Para Lanzarini, houve cortes sem precedentes na transferência dos recursos constitucionais às prefeituras brasileiras, como o FPM (Fundo de Participação dos Municípios), que sofreu queda substancial ao longo do ano,  além da retenção de dinheiro destinado a atender as emendas parlamentares. Isso, segundo ele, provocou pânico entre os prefeitos, que foram obrigados a promover ajustes em suas economias, decretar o meio expediente e reduzir a carga horária de atendimento à população como parte do processo de contenção de despesas. Apesar da crise, Lanzarini entende que houve pontos positivos ao longo do ano em favor dos municípios, citando a aprovação de algumas propostas reivindicadas pela CNM (Confederação Nacional de Municípios), durante sucessivas marchas à Brasília. Um dos fatores compensatórios, segundo o dirigente, foi a elevação, dentro da reforma tributária aprovada pelo Congresso, do FPM, que terá aumento de 1% em 2004, mais R$ 1,5 bilhão em 2005 e 1,6 bilhão em 2006, além dos serviços do ISS.   

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Governo facilitará exportações de produtos voltados à Defesa
BRASIL
Síndrome metabólica em adolescentes é tema de pesquisa da Capes
DOURADOS
Campanha sobre tuberculose e hanseníase será realizada em março
POLÍCIA
DOF flagra cinco com 400 quilos de contrabando em Dourados
BRASIL
Trabalho infantil aumenta 38% durante o carnaval; saiba como denunciar
STF
Liminar garante ao RS fixar contribuição previdenciária de militares sem sanções por parte da União
DOURADOS
Com ponto facultativo, sessão da Câmara foi antecipada
MS
Um dos pilares da ressocialização, a religião promove ambiente de fé em presídios
ESTADO
Judiciário de MS retomará expediente na quinta-feira
MUNDO
Cientistas descartam que novo vírus tenha origem em mercado em Wuhan

Mais Lidas

WEIMAR TORRES
Mulher morre após bater em carro que roletou avenida
JARDIM GUAICURUS
Jovem resgatada foge da UPA e tenta subir em torre mais uma vez
FÁTIMA DO SUL
Polícia prende homem que matou namorada a marteladas
FRONTEIRA
Suspeitos de matar jornalista são presos em operação