Menu
Busca quinta, 21 de junho de 2018
(67) 9860-3221

Justiça realiza audiência em acampamento de sem-terra em Terenos

06 dezembro 2003 - 08h17

Nesta segunda-feira, às 9h, data em que será comemorado o Dia da Justiça pelo Poder Judiciário de todo o país, em Mato Grosso do Sul, o juízo da Comarca de Terenos, realizará uma audiência um tanto quanto  inusitada. Em vez de as partes se dirigirem até o Fórum da comarca, como acontece normalmente, dessa vez a justiça irá ao encontro das partes. É que a Associação Centro de Integração dos Trabalhadores Rurais do Pólo Central, formada por sem-terra, ajuizou uma ação de reintegração de posse com pedido de liminar, contra o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Terenos. O objetivo é para que seus associados e familiares possam retornar para suas moradias no acampamento Portal do Pantanal, situado à margem da BR-262 e a 5km da cidade de Terenos, onde viviam até serem expulsos, em decorrência de conflito interno entre os trabalhadores.As 70 famílias filiadas à associação, que até sua fundação, em outubro último, faziam parte do grupo maior de 130 acampados, todos sob a direção do sindicato ligado à FETAGRI/MS, pretendem ser reintegradas ao local onde estão seus pertences, plantação, etc, de onde só saíram , por sentirem suas vidas ameaçadas, em razão do clima de terror instalado no local.De acordo com o Juiz de Direito da Vara Única de Terenos, Dr. José Berlange de Andrade, antes de decidir sobre o pedido de liminar requerido pela associação, por meio da Defensoria Pública do Estado, é necessário conhecer de perto a situação que desencadeou a divergência. “Normalmente nos deparamos com conflitos entre trabalhadores rurais e fazendeiros produtores, mas uma disputa dessa natureza não é nada comum, de modo que para melhor conhecer as condições onde acontecem os fatos e decidir a respeito da liminar, entendi necessária essa providência”, afirma o juiz.Com a designação da audiência no acampamento, pretende o magistrado encontrar uma solução amigável para o conflito: “Na audiência, onde estarão presentes as lideranças de cada grupo, se buscará construir uma solução consensual e pacífica para o embate que apartou os acampados depois da divergência que se instaurou na organização de base do acampamento, visto que o objetivo visado pelas partes é o mesmo, qual seja, permanecer na área até serem contemplados pelo Incra com a inclusão no rol de beneficiários da reforma agrária”, assevera Dr. Berlange.Além das partes, que foram intimadas a comparecer, foram convocados o Delegado de Polícia , o Comandante da PM local, os representantes da Defensoria Pública , da Ordem dos Advogados do Brasil-OAB, bem como o promotor de justiça da comarca, caso  queira participar. Caso ocorra a conciliação, o juiz irá homologar o acordo, que terá efeito de lei entre as partes, acarretando no encerramento do processo. Se não acontecer o acordo, o magistrado julgará a liminar, e o processo continuará regularmente.

Deixe seu Comentário

Leia Também

UAUUUU!!
Esposa de Faustão ostenta corpão em viagem por Honduras
ECONOMIA
Caged: 33 mil novos empregos formais foram criados em abril
APROVEITAMENTO
Potencial para transformação de biomassa em energia é amplo em MS
PROCON
Pesquisa aponta variação de quase 40% no preço do diesel na Capital
EXÉRCITO
Prazo para alistamento militar termina em 30 de junho
BRASIL
Câmara aprova novo marco regulatório para transporte de cargas
LEILÃO
Com lances a partir de R$ 10 mil, governo leiloa oito terrenos amanhã
REDE ABEVÊ
Veja vídeo da entrega do carro 0km para ganhadora de promoção
INTERNACIONAL
Trump assina ordem para suspender separação de famílias de imigrantes
DOURADOS
UFGD seleciona empreendimentos para Incubadora de Tecnologias Sociais e Solidárias

Mais Lidas

MS-276
Acidente entre trator e caminhonete mata homem em Dourados
COMPLICAÇÃO APÓS CIRURGIA
Juiz aposentado e ex-diretor da Agepen, Ailton Stropa, morre em São Paulo
RESERVA INDÍGENA
Homem é flagrado nu sobre menina de 7 anos em Dourados
SÃO PAULO
Jovem desaparecido há duas semanas foi preso com 74 kg de cocaína