Menu
Busca terça, 14 de julho de 2020
(67) 99659-5905
ESTADO

Judiciário fará Semana da Conciliação no início de novembro

13 outubro 2019 - 13h00Por Redação

O TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) informou que será realizada no período de 4 a 8 de novembro a 14ª Semana Nacional de Conciliação, com o objetivo de mobilizar operadores do direito e a sociedade para disseminar a conscientização e a cultura conciliatória como mecanismo eficiente para efetiva prestação jurisdicional.

No Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul a ação será de responsabilidade do coordenador de Conciliação do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec), Des. Vladimir Abreu da Silva, e do juiz Cezar Luiz Miozzo.

Participarão da ação todas as comarcas e varas do Estado que permitam a conciliação e, em segundo grau de jurisdição, os desembargadores que decidirem aderir ao movimento podem participar, mediante comunicação à comissão coordenadora.

Os interessados na inclusão do processo na Semana de Conciliação podem requerer junto ao cartório até o dia 19 de outubro, para que este providencie as intimações necessárias depois de designada a audiência pelo juiz. O pedido de inclusão do processo na pauta de conciliação poderá ser feito posteriormente a esta data, até o início da mobilização, desde que as partes e seus advogados se comprometam a comparecer à audiência, independentemente de intimação. As ações com audiências designadas para a Semana da Conciliação serão selecionadas pelos magistrados. A parte também poderá requerer a inclusão de seu processo na Semana da Conciliação por meio da página eletrônica do Tribunal de Justiça, no banner disponibilizado no Portal do TJMS (https://www.tjms.jus.br/conciliacao/agendamento.php).

Nas causas patrocinadas pela Defensoria Pública e naquelas em que há intervenção do Ministério Público, as audiências deverão ser agendadas de modo a viabilizar a presença do Defensor Público e do representante do Ministério Público, tanto no primeiro como no segundo grau.

Incluída no Código de Processo Civil de 2015 como etapa processual obrigatória, a solução de conflitos pela via da conciliação dispensa a atuação imediata de advogados e do juiz, que apenas valida formalmente os acordos negociados entre as partes.

A conciliação pode ser utilizada em quase todos os casos: pensão alimentícia, divórcio, desapropriação, inventário, partilha, guarda de menores, acidentes de trânsito, dívidas em bancos e financeiras e problemas de condomínio, entre vários outros. Exceção para casos que envolvam crimes contra a vida (homicídios, por exemplo) e situações previstas na Lei Maria da Penha.

A edição 2019 da Semana da Conciliação em Mato Grosso do Sul está normatizada pelo Provimento nº 454, publicado no Diário da Justiça de 30 de setembro.

Com informações do TJ-MS.

Deixe seu Comentário

Leia Também

COVID-19
Estúdio de ginástica aciona Judiciário para reabrir as portas em Dourados
BALA DE PRATA
Operação da polícia paulista prende membro de quadrilha em Caarapó
CORONAVÍRUS
Dourados dobra mortes por coronavírus em 13 dias, mas isolamento continua baixo
LEGISLATIVO
Cartórios de MS estão obrigados a informar sobre gratuidade do reconhecimento de paternidade
BRASIL
Resultado do Sisu do segundo semestre já está disponível no site
DOURADOS
Polícia prende estelionatário que se passava por funcionário de banco
CÂMARA DE DOURADOS
Sem maioria na base, novo líder da prefeita prega intercâmbio "democrático e harmonioso"
RIO BRILHANTE
Criança é flagrada jogando arma usada pelo pai em assalto dentro de lixeira
BRASIL
Saque de auxílio emergencial é liberado para beneficiários do 3º lote
MUNDO NOVO
Jovem é assassinado com tiro na cabeça após homem chegar procurando pelo tio dele

Mais Lidas

DOURADOS
‘Deus no comando amem’: antes de crimes, atirador postou pregação religiosa
BARBÁRIE
Homem assassina ex, atira em crianças e se mata no altar de igreja em Dourados
DOURADOS
Atirador baleou criança de quatro anos na cabeça ao abrir fogo para matar ex-mulher
DOURADOS
Atirador chegou em igreja na hora da comunhão e entrou dizendo ter feito bobagem