Menu
Busca quinta, 21 de junho de 2018
(67) 9860-3221

Pesquisa de acadêmico da Unigran ganha prêmio internacional

05 dezembro 2012 - 10h31



Uma pesquisa científica realizada na UNIGRAN resultou na primeira colocação do 3º Congresso Internacional de Odontologia de Mato Grosso do Sul em Campo Grande. Com o título “Estudo in vitro da atividade antimicrobiana do cimento endodôntico AH Plus® associado ao extrato etanólico da planta maytenus ilicifolia”, a pesquisa comprova que, a adição do extrato etanólico da planta conhecida popularmente como espinheira santa, ao cimento endodôntico, auxilia no combate a infecção de canal dentário.

O trabalho foi elaborado pelos acadêmicos de Odontologia Nilton Pires de Araújo Filho e Tamy Zanoni Camargo, sob a orientação dos professores Luiz Fernando Benitez Macorini (coordenador de Biomedicina), Paula Tereza Vardasca de Oliveira Galvão (professora de Odontologia) e Adriana Mestriner (pró-reitora de Pesquisa e Pós-Graduação).

O estudante Nilton conta que não esperava o primeiro lugar, “surgiu a oportunidade de apresentar o trabalho no fórum, nos preparamos e apresentamos. Tive até uns elogios, mas não esperava a premiação”. A planta foi objeto de estudo do seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), “tentamos aumentar a atividade microbiana do cimento, ou seja, ele mata certa quantidade de bactérias. A gente adicionou o extrato da planta para ver se esse potencial aumenta a capacidade de matar mais bactérias. Aumentou bem significativamente”.

Segundo o professor Luiz Fernando, a proposta foi conciliar o produto natural, que no caso é uma planta medicinal, com o cimento endodôntico, usado para tratar canal. Ele explica que foi observado em outras pesquisas que alguns cimentos que estão no mercado não possuem uma boa atividade microbiana, por isso se deu a iniciativa.

“Principalmente no MS, o produto natural é o foco de muitas pesquisas, devido a nós termos o cerrado, que é um bioma que possui muitos tipos de plantas medicinais e devem ser investigadas possíveis utilizações dessas plantas. E uma dessas plantas foi a espinheira santa, nome científico maytenus ilicifolia. Adicionado o extrato desta planta ao cimento endodôntico conseguimos resultados expressivos: aumentou a capacidade de combater determinados tipos de bactérias no canal dentário, para combater infecções no canal”, assegura Luiz Fernando.

Para o coordenador, “foi um trabalho de grande relevância, mas que tem muito mais a ser explorado. Fiquei muito feliz, sentimos um orgulho muito grande quando ficamos sabendo que este trabalho foi premiado em primeiro lugar em um Congresso Internacional. Sabemos que este trabalho foi eleito pela relevância da situação”.

Luiz esclarece a importância de se trabalhar com produto natural em pesquisa científica devido à preservação da natureza, “mostrando que determinados tipos de plantas têm suas funções e podem auxiliar no tratamento de algumas doenças”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

UAUUUU!!
Esposa de Faustão ostenta corpão em viagem por Honduras
ECONOMIA
Caged: 33 mil novos empregos formais foram criados em abril
APROVEITAMENTO
Potencial para transformação de biomassa em energia é amplo em MS
PROCON
Pesquisa aponta variação de quase 40% no preço do diesel na Capital
EXÉRCITO
Prazo para alistamento militar termina em 30 de junho
BRASIL
Câmara aprova novo marco regulatório para transporte de cargas
LEILÃO
Com lances a partir de R$ 10 mil, governo leiloa oito terrenos amanhã
REDE ABEVÊ
Veja vídeo da entrega do carro 0km para ganhadora de promoção
INTERNACIONAL
Trump assina ordem para suspender separação de famílias de imigrantes
DOURADOS
UFGD seleciona empreendimentos para Incubadora de Tecnologias Sociais e Solidárias

Mais Lidas

MS-276
Acidente entre trator e caminhonete mata homem em Dourados
COMPLICAÇÃO APÓS CIRURGIA
Juiz aposentado e ex-diretor da Agepen, Ailton Stropa, morre em São Paulo
RESERVA INDÍGENA
Homem é flagrado nu sobre menina de 7 anos em Dourados
SÃO PAULO
Jovem desaparecido há duas semanas foi preso com 74 kg de cocaína