Menu
Busca sexta, 28 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221

Inocêncio Oliveira deixa o PFL e vai para o PMDB

02 fevereiro 2005 - 12h49

Sem esconder as mágoas com o PFL, o deputado Inocêncio Oliveira (PE) confirmou hoje que está deixando o partido para se filiar ao PMDB. A filiação deverá acontecer amanhã, num ato em Pernambuco, que irá contar com a presença do governador, Jarbas Vasconcelos (PMDB). Inocêncio deixou claro que sua decisão é madura e que não tem volta. "Acredito que todo político, depois de um certo tempo tem que pensar em renovar e uma das maneiras para isso é mudar (de partido). Meu ciclo no PFL está se encerrando. Dei muito mais ao partido do que recebi nesses 20 anos", afirmou. Inocêncio contou que recebeu hoje pela manhã um apelo do presidente nacional do PFL, senador Jorge Bornhausen, e ontem um telefonema do prefeito do Rio de Janeiro, Cesar Maia, candidato do partido à presidência em 2006, para rever sua posição, mas destacou que não se sente mais confortável na legenda. "Chegou o momento de buscar um novo caminho. Quando o PFL não tinha chance de conquistar a presidência da Câmara eu conquistei a vaga, quando fui líder, o PFL era forte e não este PFL fraco que está hoje. Mas nunca me senti retribuído por isso", desabafou. MotivosForam dois os motivos que levaram Inocêncio a decidir deixar o PFL. Um deles é sua pretensão de sair candidato ao Governo de Pernambuco em 2006. "O PFL nunca me deu a chance de disputar um cargo majoritário", disse. O nome preferencial do partido é o do vice-governador Mendonça Filho, o que Inocêncio considera uma injustiça. "Fui o deputado mais votado do PFL em Pernambuco e o político que fez mais prefeitos no Estado. Foram 41. Já Mendonça Filho elegeu 13 e o Sérgio Guerra (outro candidato da aliança jarbista) fez 26 prefeitos", contabiliza. A eleição para a Mesa da Câmara Federal também pesou na decisão de Inocêncio, embora ele diga que este fator é secundário. Inocêncio apostava que o PFL iria se articular para garantir sua permanência na Mesa Diretora, como primeiro secretário da Câmara. Mas, o partido decidiu ontem por escolher permanecer na primeira-vice-presidência, cargo hoje ocupado por Inocêncio, que pelas regras da Casa não pode se reeleger. Seria a primeira vez que Inocêncio ficaria fora de um cargo de direção. No PMDB, ele costura para ter seu nome indicado para a primeira secretaria. Inocêncio acredita que com ele para o PMDB irão muitos prefeitos e deputados estaduais. Com relação a deputados federais ele prefere não arriscar. Ele destacou que escolheu o partido por causa do governador Jarbas Vasconcelos e que vai seguir o mesmo posicionamento do governador com relação ao Governo Lula: o de independência. "Jarbas é o melhor governador do Brasil. É um homem sério, austero, que prima pela palavra e por isso nunca tive outra opção a não ser o PMDB", destacou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ITINERANTE
Carreta da Justiça atende Corguinho e Rochedo na próxima semana
SÃO CONRADO
Identificado homem morto a pauladas e polícia busca suspeito
BRASIL
Governo prorroga prazo para aplicação da nova carteira de identidade
CAMPO GRANDE
Polícia prende bando que furtou condomínio e acha joias já derretidas
ENERGIA
Bandeira tarifária segue verde em março; conta não terá cobrança extra
CAPITAL
Empresário perde R$ 500 mil ao repassar ouro e diamantes a golpistas
COMBUSTÍVEIS
Petrobras reduz preço da gasolina em 4% e do diesel em 5% nas refinarias
BODOQUENA
Bebê e mãe morrem após o parto e secretarias de saúde apuram negligência
FUTEBOL
CBF divulga tabela da Série B; Cruzeiro estreia contra o Botafogo-SP
IMPOSTO DE RENDA
Acesso ao Informe de Rendimentos já está disponível aos servidores estaduais

Mais Lidas

MEIO AMBIENTE
Proprietário de rancho é autuado por pescar em rio durante a piracema
PARQUE DO LAGO
Ladrões usam carro para estourar porta de mercado e fogem com cofre; veja vídeo
PONTA PORÃ
Estado monitora caso suspeito de Coronavírus na fronteira
DOURADOS
Dupla dispara, mata jovem e deixa outro ferido no Jardim Independência