Menu
Busca sexta, 14 de dezembro de 2018
(67) 9860-3221

Governo estuda dar formação profissional para presos

10 agosto 2018 - 19h05Por Agência Brasil

O governo estuda oferecer cursos de profissinalização para 726 mil homens e mulheres presos condenados pela Justiça. Apenas 12% dos detentos no país têm atividade laboral, segundo dados oficiais. A proposta é que empresas privadas se responsabilizem pela formação técnica de tal maneira que ao deixarem a prisão, os apenados tenham condições de ingressar no mercado de trabalho.

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse hoje (10) as empresas serão escolhidas por meio de licitações, com valor acima de R$ 330 mil anuais, e assumirão responsabilidade para contratar e definir atividades profissionalizantes nos presídios. O mesmo deverá valer para egressos do sistema prisional.

Jungmann anunciou também que deverá ser ampliado o sistema de redes de perfis genéticos de criminosos (DNA). Para tanto, devem ser aplicados R$ 10 milhões. De acordo com ele, o objetivo é focar principalmente na violência contra mulher.

“Quando você tem o estupro e tem o DNA você pode passar por 75 mil registros dos bancos e verificar se há material de alguns dos presos para punir o estuprador. Ainda este mês vamos também fazer uma grande ação de combate ao feminicídio”, disse.

Equipamentos e veículos

Jungmann afirmou que o governo vai investir imediatamente na compra de equipamentos e veículos. Segundo ele, serão adquiridos 8 mil veículos, que permitirão a renovação de 23% da frota, estimada em 35 mil carros das polícias do país. Em uma segunda etapa, haverá abertura de licitações para compra de drones, armas e motocicletas.

O ministro ressaltou ainda que serão comprados 120 mil coletes de proteção individual para os policiais ao custo de R$ 220 milhões. “Até hoje tínhamos mais policiais que coletes e agora teremos excedente de coletes”, disse.

Segurança Pública

Após ser questionado sobre os dados de aumento das mortes violentas no ano passado, segundo dados do 12º Anuário de Segurança Pública, Jungmann afirmou que até o início do próximo mês, serão instalados o Sistema Único de Segurança Pública (Susp) e o Conselho Nacional de Segurança Pública, responsável pela condução da política do setor.

O ministro reiterou que: “ Lembro que o anuário reflete 2017 e estamos em 2018, o ano em que foi criado Ministério da Segurança Pública e o Susp”.

De acordo com o anuário, apenas em 2017, o Brasil registrou 63.880 mortes violentas, o maior número de homicídios da história recente do país. Foram assassinadas 175 pessoas por dia, registrando elevação de 2,9% em comparação a 2016.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZ
Bruna Griphao mostra tanquinho trincado em passeio na cachoeira
FUTEBOL
CBF sorteia primeira fase da Copa do Brasil 2019: veja os confrontos
INTERPOL
Fux manda prender Cesare Battisti e abre caminho para extradição
FRONTEIRA
Com pistola na mochila, motociclista é preso pela PRF na BR-463
ESTRATÉGIAS
Governador e embaixador do Chile discutem o Corredor Bioceânico
ROMBO
Comissão do Congresso aprova Orçamento da União para 2019
COMPROMISSO
Reinaldo Azambuja vai doar metade do salário a entidades sociais
LEI
Motoristas envolvidos em contrabando terão habilitação cassada
NAVIRAÍ
Dupla faz pastor e esposa reféns e levam caminhonete e dinheiro
CORAÇÃO
Ex-presidente Dilma passa por cirurgia para desobstruir artérias

Mais Lidas

BOAS FESTAS
Operação contra tráfico e roubo termina com cinco presos em Dourados
LUTO
Morre em Dourados empresário dono de tradicional restaurante
DOURADOS
Vereadores presos são afastados pela Justiça e suplentes assumem hoje
BOAS FESTAS
Ação conjunta mira traficantes em Dourados