Menu
Busca quinta, 01 de outubro de 2020
(67) 99659-5905

Funasa realiza oficina sobre aleitamento materno

09 agosto 2006 - 06h15

Promover o aleitamento materno exclusivo nos seis primeiros meses de vida e a introdução adequada de outros alimentos, com a permanência do aleitamento materno até os dois anos de vida da criança indígena. Esse é o objetivo da oficina pedagógica para a elaboração de material educativo em aleitamento materno e introdução de outros alimentos nos idiomas indígenas Terena e Kadiwéu, que a Coordenação Regional da Funasa de MS (Core-MS), realiza em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde.Entre os dias 1º e 7 de agosto foi comemorada a Semana Mundial de Aleitamento Materno, que esse ano teve como tema “Amamentação: garantir esse direito é responsabilidade de todos”. Na ocasião, a Funasa de MS foi homenageada pela iniciativa, durante evento de comemoração na governadoria. A Core-MS foi representada pela nutricionista do Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei), Juliane Almeida Viveros.De acordo com a nutricionista, “a oficina tem como meta desenvolver a elaboração de folder informativo e de divulgação, além de implementar dentro da política de saúde indígena, ações de valorização do aleitamento materno e da cultura da amamentação”, revela.Por meio da oficina será possível identificar os conhecimentos tradicionais indígenas que envolvem a prática do aleitamento materno, hábitos alimentares das mães durante a amamentação e a forma de introdução dos alimentos às crianças. Os participantes vão colaborar ainda, na elaboração do material educativo, com textos ou frases consideradas importantes na língua materna, e com desenhos para facilitar a compreensão da comunidade. Depois de confeccionado, os folders e cartazes serão distribuídos em escolas, postos de saúde e aos agentes indígenas de saúde (AIS) para auxiliar nas atividades educativas.A oficina é voltada para AIS, professores indígenas, mulheres da comunidade onde a oficina for realizada e para equipes multidisciplinares de saúde indígena. Entre os dias 09 e 12 de agosto a oficina será realizada em Bodoquena para a elaboração do material na língua kadiwéu. E entre os dias 12 e 15 de setembro, será realizada em Aquidauana, onde será elaborado o material na língua terena.O Programa de Vigilância Nutricional do Dsei acompanha, mensalmente, crianças indígenas menores de cinco anos e classifica o padrão alimentar dos menores de dois anos, por meio de visitas domiciliares realizadas pelos agentes indígenas de saúde. Dados do Dsei, de junho deste ano, mostram que 857 crianças indígenas de até seis meses, estão em aleitamento materno exclusivo no Estado, o que representa 91% das crianças dessa faixa etária.“Durante as visitas nas aldeias, os agentes indígenas de saúde explicam sobre a importância do aleitamento materno e incentivam a prática”, afirma Juliane. Dentre os principais benefícios do aleitamento materno, a nutricionista destaca a proteção contra doenças infantis e o auxílio no crescimento da criança.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
MS tem quatro municípios entre os maiores produtores de soja e cana de açúcar do país
ELEIÇÕES 2020
Ministério Público pede impugnação de candidata a vice em cidade de MS
NEGÓCIOS & CIA
Trabalho em Equipe: veja boas formas de garantir o coleguismo dentro de franquias
CENSO ESCOLAR
Redes públicas de ensino registram 36,1 milhões matrículas
LEGISLATIVO DE MS
Combate aos golpes financeiros contra idosos é aprovado em 1ª
MATO GROSSO DO SUL
Publicado decreto que regulamenta Lei Aldir Blanc no Estado
ECONOMIA
Produção agrícola de MS atingiu recorde de R$ 19,2 bi em 2019
APÓS 10 ANOS
Conselho da Uems se reúne para definir volta de vestibular
OPERAÇÃO FOCUS
Pecuarista é multado em R$ 6,5 mil por incêndio em área de vegetação nativa
DOURADOS
Ex-secretário que cumpria prisão domiciliar é colocado em liberdade

Mais Lidas

DECIBÉIS
Operação do Gaeco mira fraudes em licitações e cumpre cinco mandados em Dourados
INVESTIGAÇÃO
Policiais do Gaeco fazem nova operação em Dourados
CAPITAL
Mulher com mandado de prisão em aberto é executada com oito tiros
DOURADOS
Gaeco deixa edifício com documentos apreendidos após mais de 5h