Menu
Busca segunda, 22 de outubro de 2018
(67) 9860-3221

Funasa assume aluguel de depósito de alimentos

01 agosto 2006 - 12h14

A Fundação Nacional de Saúde - Funasa deve arcar com aluguel do depósito de alimentos de Dourados, cidade a 221 quilômetros de Campo Grande. Mês passado, o Ministério Público Federal acionou a Funai pelo a núncio de suspensão do pagamento. No local estão armazenadas as cestas básicas para distribuição aos índios da região.Segundo o coordenador regional do órgão em Mato Grosso do Sul, Pedro Paulo de Siqueira Coutinho “Os alimentos estão sendo distribuídos normalmente e vamos fazer uma reunião para definir a questão. É provável que a Funasa assuma a responsabilidade pelo depósito”.A Funai informou ao MPF que não dispõe de recursos para continuar pagando a mensalidade, que giraria em torno de R$ 2 mil. Desde então, a Funasa tem se mobilizado para sanar o problema. O galpão armazena 5,5 mil cestas básicas - capacidade de 460 toneladas de alimentos por mês.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Sertanejos Fábio e Guilherme morrem em acidente de carro em São Paulo
TRATADO
Temer diz ter conversado com presidente paraguaio por ponte em Porto Murtinho
DOURADOS
Câmara acata recomendação e suspende tramitação de Plano de Saneamento Básico
FUTEBOL AMADOR
Copa Abevê de futebol suíço tem início em Dourados
ELEIÇÕES
TSE e TREs divulgam carta defendendo segurança das urnas eletrônicas
DOURADOS
Para pesquisador, chuvarada de outubro está dentro da normalidade
TRÊS LAGOAS
Mulher ameaça policiais com garfo e faca e vai presa
CAMPANHA
Saúde promove oficina para alinhar ações contra a sífilis em Dourados
TJMS
Envenenamento de agentes penitenciários está pautado para júri
BRASIL
Mais de 1 milhão de candidatos já consultaram o local de prova do Enem

Mais Lidas

OPERAÇÃO SATURAÇÃO
Megaoperação cumpre dezenas de mandados de prisão em Dourados
RIO BRILHANTE
Caminhonete invade pista, bate em motocicleta e mata casal
CANAÃ
Órgãos de segurança fecham festa organizada através do WhatsApp
DOURADOS
Dupla é presa suspeita de pelo menos 30 furtos em comércios