Menu
Busca sexta, 24 de janeiro de 2020
(67) 9860-3221

Funasa aguarda decisão de Juíza para voltar ao trabalho

02 agosto 2006 - 10h24

O prédio da Funasa (Fundação Nacional de Saúde) em Sidrolândia está ocupado há oito dias por 15 índios da Aldeia Buriti, os funcionários da entidade esperam a reiteração de pose da Juíza para voltarem a trabalhar.
Os funcionários temem ser feitos de refém no local de serviço, sendo que na semana passada, os servidores Nélson Ozala e Roberto Silva, além do coordenador regional do órgão Pedro Paulo de Siqueira Coutinho foram feitos reféns e ficaram retidos na aldeia.
Os indígenas pedem a troca de comando do pólo da Funasa, sendo que o nome de Adão Fernandes Bernardo seria um dos cogitados para ocupar este cargo. Os Terena protestaram, devido à troca de comando que havia sido feita sem o consentimento deles. Os indígenas garantem que não pretendem fazer nenhum funcionário como refém.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAMPO GRANDE
Homem tem carro roubado após mais de 6h em cativeiro sob agressões e ameaças
ESTADO
Refis estadual prevê até 95% de desconto sobre juros e multas
ECONOMIA
Após duas semanas ‘congelado’, preço médio da gasolina sobe em Dourados
STF
Associação industrial questiona competência de auditores da Receita para reconhecer vínculo trabalhista
DOURADOS
Preso que pagou fiança de R$ 80 mil apresentou documento falso, diz PF
STJ
Oi tem negado pedido de bloqueio de levantamento de valores que prejudicariam recuperação judicial
POLÍCIA
Bandidos armam emboscada para roubar moto em Dourados
TRABALHO
Dourados tem mais de 50 vagas na Casa do Trabalhador
NEGÓCIOS & CIA
Aproveite o preço promocional e adquira o seu Certificado Digital
ECONOMIA
Confiança do Consumidor recua 1,2 ponto em janeiro

Mais Lidas

TRAGÉDIA
Pai e filha moradores de Dourados morrem em acidente no Paraná
VILA ROSA
Homem morre após ser atingido por facada no pescoço em bairro de Dourados
TRÁFICO
‘Espaço de lazer’ em Dourados era usado para guardar drogas e abrigar fugitivos
DOURADOS
Assassinato na Vila Rosa aconteceu por ciúmes durante manutenção em porta