Menu
Busca sexta, 21 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221

Funai aponta falha no Fome Zero dos índios

03 março 2005 - 14h20

O presidente da Funai (Fundação Nacional do Índio), Mércio Pereira Gomes, apontou ontem falhas no Fome Zero Indígena do Ministério do Desenvolvimento Social e disse que a Funasa (Fundação Nacional de Saúde), que deve combater a desnutrição nas aldeias, tem dificuldades de relacionamento com os índios."Os recursos [R$ 5 milhões] do Fome Zero repassados [em 2003] ao governo [de Mato Grosso do Sul] foram diluídos entre várias secretarias estaduais. Cada uma acha que resolve o problema pelo seu próprio meio. Mas quem está ali e sabe é a Funai", disse Gomes.Apesar do Fome Zero, a desnutrição matou, nos últimos 50 dias, cinco crianças índias da etnia guarani-caiuá (há suspeita de que uma sexta também tenha sido vítima), em Dourados (MS). No Estado, a mortalidade infantil chega a 96 por mil índios nascidos vivos, quatro vezes a média do Brasil.Na segunda, a Funasa informou que a fome matou também cinco crianças xavantes (uma sexta morte pode ter ocorrido) em Campinápolis (MT).Ontem, a Folha noticiou que em novembro nove crianças karamaris morreram desnutridas no Vale do Javari (AM). Para a Funasa, as mortes ocorreram ao longo de 2004.Segundo o presidente da Funai, o ministério deveria se aproximar da Funai. "O índio deve ser tratado por quem conhece ele."Gomes disse ainda que a "Funasa teve dificuldades de encontrar um relacionamento estável com grande parte dos povos indígenas". "Mesmo tendo um orçamento de nada [R$ 107 milhões neste ano], a Funai cuida de muitas áreas onde a Funasa não é capaz de chegar."As críticas também partem do administrador-executivo da Funai Edson Beiriz, que atua com os xavantes. "A Funasa não tem humildade para procurar órgãos que detêm experiência com a questão indígena, como a Funai."Para o o coordenador de gabinete de Saúde Indígena da Funasa, Antônio Fernandes Costa, "no aspecto geral no Brasil", as declarações não procedem. "Nossos indigenistas são os próprios agentes, índios com conhecimento técnico." Pela assessoria, o Desenvolvimento Social disse que não comentaria as falhas apontadas pelo presidente da Funai.MaxacaliCansado de cobrar na Justiça medidas em prol dos maxacalis, que vivem em Minas, o Ministério Público Federal no Estado encaminhou ontem denúncia à Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA (Organização dos Estados Americanos) contra o Estado brasileiro por "violação aos direitos humanos".A denúncia está sustentada na "omissão" em relação ao povo maxacali, que vive com precária assistência médica e alimentar, com graves problemas decorrentes do alcoolismo e sem terras apropriadas para o cultivo. No fim de 2004, duas crianças maxacalis morreram por desnutrição.Outra ação foi contra a Funasa. Segundo Nascimento, existe só um posto de saúde nas duas aldeias. O responsável pela Funasa em Governador Valadares, Altino Barbosa Neto, não foi localizado.Ação contra o governo de Minas diz que as polícias Civil e Militar não coíbem a venda de bebidas alcoólicas para os índios.Aílton Krenak, assessor do governo de Minas para assuntos indígenas, disse que qualquer ação das polícias do Estado precisa ser coordenada pela Polícia Federal ou pelo Exército. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

SEGURANÇA PÚBLICA
Polícia Civil deflagra operação “balcão de negócios”
LOTERIA
Mega deve sortear prêmio de R$ 190 milhões amanhã
DOURADOS
TAC prevê contratação emergencial de estagiários para fim da greve na educação infantil
ESPORTE
Nadador de MS disputa competição no Peru com a seleção brasileira
DOURADOS
Campanha quer incentivar participação de mais mulheres na política
DOURADOS
TJ decide em março se vereadores devem receber salários por período presos e afastados
DICAS
Fique atento: informação e planejamento podem garantir uma boa viagem no Carnaval
DOURADOS
Troco Solidário Abevê repassa valor a instituição
Saúde e Bem-estar
Unimed Dourados renova com a Sanesul e Sicredi Centro-Sul MS
NEGÓCIOS & CIA
Certificado Digital Agiliza: a abertura e gestão de empresas

Mais Lidas

DOURADOS
Mulher ameaça se jogar de torre no Jardim Guaicurus
DOURADOS
Júri termina com réu condenado a 15 anos por matar desafeto em 2018
DOURADOS
Fechamento e promoções levam multidão a fazer fila em hipermercado
DOURADOS
Polícia vai ao Guaicurus e prende condenado por pedofilia