Menu
Busca quarta, 23 de janeiro de 2019
(67) 9860-3221

Fetems decide hoje sobre a proposta de reajuste do Governo

11 dezembro 2012 - 12h41

Mais de 300 trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul, eleitos para representar a categoria pelos 72 sindicatos afiliados a Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), estarão hoje (11), a partir das 14 horas, na sede da Federação, em Campo Grande, para participar de uma Assembleia Geral que definirá se os professores aceitam ou não a política salarial do magistério da Rede Estadual de Ensino para 2013 proposta pelo Governo do Estado.

De acordo com o presidente da Fetems, Roberto Magno Botareli Cesar, a proposta do Governo é a reposição da inflação, acumulada neste ano em 5,5%, além da incorporação de 15% da regência, que é uma gratificação que o professor recebe por estar em sala de aula. “Se a categoria acatar, com esses dois itens o salário-base, de inicio de carreira, irá de R$ 1.489 para R$ 1.807,34, lembrando que o compromisso do Governo do Estado também é o de contemplar, ainda, a política salarial nacional que está sendo debatida pela nossa Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) com o Ministério da Educação (MEC) e será anunciada em 2013”, afirma.

Roberto Botareli explicou que os professores continuarão recebendo os outros 20% de gratificação da regência e a partir de 2014 essa porcentagem será incorporada ao salário. “Nossa luta foi pela incorporação de 100% da regência, mas não obtivemos sucesso nas negociações com o Governo, conseguimos para 2014, mas avançamos em outros pontos, portanto a decisão será tomada pela categoria hoje, em Assembleia Geral, que é a nossa instância maior”, disse.

###Situação Nacional
No início desse ano, cada aluno da rede pública custava aos cofres públicos R$ 2.096,68, após revisão publicada no Diário Oficial da União no mês passado, o custo caiu para R$ 2.091,37, isso comprova que nacionalmente a educação começa a sentir os reflexos das crises financeiras internacionais.

Segundo o presidente da Fetems, mesmo o Governo de MS não atendendo os 100% de incorporação da regência no reajuste salarial do magistério, a política mostra avanços, já que em nível nacional o reajuste do custo aluno, que determina o valor do piso, começa a cair. “Com a queda do valor do custo aluno em 2012, por mais que a nossa Confederação, a CNTE, esteja na batalha em Brasília junto ao MEC, acendemos o sinal de alerta para o valor do reajuste do Piso Salarial Nacional em 2013, que é baseado de acordo com o custo aluno, portanto o cenário nacional nos mostra que tivemos avanços em MS nas negociações, pois conquistamos um reajuste acima da inflação, após a incorporação de parte da regência. Caberá a categoria decidir”, conclui.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Aéreas brasileiras transportaram 103 milhões de passageiros em 2018
COXIM
Mulher não consegue falar com marido que é encontrado morto pela filho
UFGD
Concursos para docentes e técnicos divulgam candidatos isentos
ECONOMIA
Secretaria de Fazenda publica valor atualizado de Uferms para fevereiro
FORÇAS ARMADAS
Polícia recupera pistola de uso restrito desaparecida desde 2016
APRENDIZES-MARINHEIRO
Marinha abre inscrições para concurso com 1 mil vagas em todo país
ANASTÁCIO
Homem agride e furta dinheiro mãe para comprar bebida alcoólica
TELEVISÃO
Vanderson sai da casa para depor e é desclassificado do BBB19
CORUMBÁ
Homem é autuado por maus tratos a cavalo
PRIORIDADES
Onyx apresenta 35 metas para os primeiros 100 dias de governo

Mais Lidas

POLÍCIA
Homem morre após ser atropelado por Mini Carregadeira em Dourados
BRASILÂNDIA
Dono de casa de prostituição é preso por tráfico de mulheres
ENERGISA
Consumidores podem recorrer ao valor da conta de energia sem sofrer corte no fornecimento
TRÁFICO
Carga de cocaína apreendida na BR-463 poderia render até R$ 47 milhões no Brasil