Menu
Busca quinta, 27 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221

Exame de DNA pode ser obrigatório em caso de estupro

16 janeiro 2004 - 11h43

A deputada Zelinda Novaes (PFL-BA) é autora de um projeto (PL 1041/03) que obriga a realização de exame de DNA nos casos de estupro ou atentado violento ao pudor.A intenção é reduzir a impunidade em crimes sexuais.Essa tecnologia, que foi introduzida no Brasil na década 80, apresenta uma margem de acerto de 99,99% e, hoje, é admitida pelo Poder Judiciário como meio eficaz de se comprovar fatos. "O exame de DNA é o que se tem de mais avançado em matéria de prova pericial", avalia Novaes. A parlamentar argumenta ainda que a obrigatoriedade do teste tornará ágil e eficaz a prestação jurisdicional.A matéria aguarda parecer da deputada Edna Macedo (PTB-SP) na Comissão de Constituição e Justiça e de Redação. Se for aprovado na comissão e não houver recurso de parlamentar para votação em Plenário, o projeto será enviado, depois, para análise do Senado Federal.

Deixe seu Comentário

Leia Também

FUTEBOL
Seleções Principal e Olímpica serão convocadas no dia 6 de março
BR-262
Ambiental encontra onça-pintada atropelada e morta em rodovia
INFORME PUBLICITÁRIO
Além de pneus, Impacto Prime Dourados garante serviços de qualidade ao seu carro
BELEZA E ESTÉTICA
Botox Capilar: Entenda esse tratamento e evite o frizz
ESTADO
Sefaz-MS disponibiliza página de autoatendimento do IPVA na internet
MS
Mulher pede R$ 120 mil de indenização após ofensas de inquilina no WhatsApp
LUTO
Técnico Valdir Espinosa morre no Rio de Janeiro
EDUCAÇÃO
Termine seus estudos com o EMFA
NEGÓCIOS & CIA
Por que você não consegue ter resultado nas suas vendas?
Educação
Curso de Especialização - Lato Sensu em Docência na Educação Superior da Universidade Mackenzie no polo da Erasmo Braga

Mais Lidas

MULTIDÃO
Carnaval na praça central de Dourados termina em ‘confusão e sujeira’
DOURADOS
Mulher tenta sair de mercado com quase R$ 700 em compras sem pagar
INVESTIGAÇÃO
Ex-prefeito de Amambai foi morto após discussão por desacordo trabalhista
PONTA PORÃ
Estado monitora caso suspeito de Coronavírus na fronteira