Menu
Busca terça, 20 de novembro de 2018
(67) 9860-3221

Stock Car: sujeira da pista assusta pilotos em Campo Grande

03 junho 2011 - 15h08

Mais empoeirada do que nunca, a pista do Autódromo Internacional de Campo Grande assustou os pilotos da Stock Car durante os treinos livres que abriram nesta sexta-feira a programação da quinta etapa da Stock Car. O asfalto sujo, coberto de poeira trazida para a pista pelo vento constante que soprou ao longo do dia, não apenas complicou o trabalho de pilotos e equipes no acerto dos carros como ampliou o historicamente elevado nível de degradação dos pneus.

O primeiro dia de trabalhos trouxe mais incertezas do que soluções, confundindo a cabeça dos técnicos. A única garantia vem da meteorologia, que promete tempo firme até domingo, mas a mudança constante do estado do asfalto está dificultando os trabalhos na capital do Mato Grosso do Sul. "Foi o pior começo do ano. Está complicado até de antecipar qualquer coisa, porque a pista está muito ruim", comentou Marcos Gomes, da Medley/Full Time Sports.

Inaugurado em 2002, o autódromo de Campo Grande está localizado às margens da BR-262, rodovia que liga a cidade a Três Lagoas. A área é ainda um imenso descampado, sujeita à ação de ventos que cortam a região e provocam ainda a ardência dos olhos e um incômodo permanente - a pele parece estar sempre impregnada de pó. Como se não bastasse, equipamentos delicados como os computadores utilizados pelas equipes podem ficar comprometidos pela poeira.

Mas são os pilotos que mais sofrem as conseqüências do clima local. "A pista muda a todo instante e uma roda fora do traçado ideal pode não terminar bem", avaliou Xandinho Negrão, companheiro de equipe de Gomes. Nas impressões iniciais transmitidas ao diretor-técnico Maurício Ferreira, eles manifestaram preocupação com o elevado consumo da borracha. "O asfalto está comendo os pneus", resumiu Xandinho.

Se na etapa passada no Velopark (ES) os carros puderam completar a prova sem a troca facultativa de pneus, desta vez as equipes parecem convencidas de que um único jogo será incapaz de suportar os rigores dos 50 minutos de prova num asfalto reconhecidamente abrasivo. "Será praticamente impossível não trocar pneus", avisou Xandinho. "Ou, pelo menos, os do lado direito, que apresentam um desgaste maior por causa do maior número de curvas para o lado esquerdo".

Neste sábado, os carros retornarão à pista às 8 horas locais (9 h em Brasília) para a última sessão de ensaios livres antes das tomadas classificatórias que definirão a ordem de largada dos 32 carros. O qualifying, em duas fases, está marcado para as 11h15 (12h15 em Brasília).

Deixe seu Comentário

Leia Também

CORUMBÁ
PF desarticula esquema de facilitação de entrada de estrangeiros no Brasil
PONTO
Câmara de Dourados implanta biometria para registro de frequência de servidores
BRASIL
Temer pede que brasileiros reflitam sobre questão racial
PROCON
Mais de 20 empresas estarão negociando dívidas com consumidores douradenses no Centro
LADÁRIO
Irmãos são assassinados a tiros após briga entre vizinhos
MATO GROSSO DO SUL
Projeto de Lei proíbe filmar professor em sala de aula sem autorização
TV
Repórter da Globo, Fabíola Andrade nega assédio e diz que colega a procurou
ADOLESCÊNCIA MASCULINA
Por que os meninos adolescentes precisam de um especialista
DOURADOS
Homem que energizou cerca onde menor morreu é preso em flagrante por homicídio
ELEIÇÕES
Após campanha ‘quente’, votação da OAB tem início tranquilo em Dourados

Mais Lidas

DOURADOS
Antes de ser assassinado, homem passou por ‘tribunal do crime’
DOIS MESES DEPOIS
Acusados de matar rapaz em Dourados serão apresentados hoje
MARCELO PILOTO
Traficante brasileiro é expulso do Paraguai após matar mulher em cela
VILA SÃO BRÁS
Mulher acorda e flagra ladrão dentro de casa em Dourados