Menu
Busca terça, 07 de julho de 2020
(67) 99659-5905

Stock Car: sujeira da pista assusta pilotos em Campo Grande

03 junho 2011 - 15h08

Mais empoeirada do que nunca, a pista do Autódromo Internacional de Campo Grande assustou os pilotos da Stock Car durante os treinos livres que abriram nesta sexta-feira a programação da quinta etapa da Stock Car. O asfalto sujo, coberto de poeira trazida para a pista pelo vento constante que soprou ao longo do dia, não apenas complicou o trabalho de pilotos e equipes no acerto dos carros como ampliou o historicamente elevado nível de degradação dos pneus.

O primeiro dia de trabalhos trouxe mais incertezas do que soluções, confundindo a cabeça dos técnicos. A única garantia vem da meteorologia, que promete tempo firme até domingo, mas a mudança constante do estado do asfalto está dificultando os trabalhos na capital do Mato Grosso do Sul. "Foi o pior começo do ano. Está complicado até de antecipar qualquer coisa, porque a pista está muito ruim", comentou Marcos Gomes, da Medley/Full Time Sports.

Inaugurado em 2002, o autódromo de Campo Grande está localizado às margens da BR-262, rodovia que liga a cidade a Três Lagoas. A área é ainda um imenso descampado, sujeita à ação de ventos que cortam a região e provocam ainda a ardência dos olhos e um incômodo permanente - a pele parece estar sempre impregnada de pó. Como se não bastasse, equipamentos delicados como os computadores utilizados pelas equipes podem ficar comprometidos pela poeira.

Mas são os pilotos que mais sofrem as conseqüências do clima local. "A pista muda a todo instante e uma roda fora do traçado ideal pode não terminar bem", avaliou Xandinho Negrão, companheiro de equipe de Gomes. Nas impressões iniciais transmitidas ao diretor-técnico Maurício Ferreira, eles manifestaram preocupação com o elevado consumo da borracha. "O asfalto está comendo os pneus", resumiu Xandinho.

Se na etapa passada no Velopark (ES) os carros puderam completar a prova sem a troca facultativa de pneus, desta vez as equipes parecem convencidas de que um único jogo será incapaz de suportar os rigores dos 50 minutos de prova num asfalto reconhecidamente abrasivo. "Será praticamente impossível não trocar pneus", avisou Xandinho. "Ou, pelo menos, os do lado direito, que apresentam um desgaste maior por causa do maior número de curvas para o lado esquerdo".

Neste sábado, os carros retornarão à pista às 8 horas locais (9 h em Brasília) para a última sessão de ensaios livres antes das tomadas classificatórias que definirão a ordem de largada dos 32 carros. O qualifying, em duas fases, está marcado para as 11h15 (12h15 em Brasília).

Deixe seu Comentário

Leia Também

PANDEMIA
Com sintomas, Bolsonaro diz que testou positivo para coronavírus
PANDEMIA
Com exames represados, Dourados tem mais 75 confirmações do novo coronavírus
PANDEMIA
MS confirma mais 434 novos casos de coronavírus e soma 128 óbitos
DOURADOS
Funsaud suspende visitas e acompanhantes aos pacientes do Hospital da Vida
DOURADOS
Procon diz que supermercados e bancos têm cumprido normas de prevenção ao novo coronavírus
PONTO CEGO
Operação do Gaeco mira facção e cumpre 40 mandados de prisão em quatro cidades
BATAGUASSU
Homem é flagrado transportando drogas na BR-267
DOURADOS
Proposta de R$ 116 mil vence licitação para construir trilha em bosque na feira
DOURADOS
Délia exonera Berenice Machado da Secretaria de Saúde
BRASIL
Saiba como fazer o teste diagnóstico de covid-19 pelo plano de saúde

Mais Lidas

DOURADOS
Antes do crime, homem que matou secretário havia sido demitido por não usar máscara
DOURADOS
Acusado de matar secretário em Dourados acaba preso em barreira sanitária
DOURADOS
Carro que atingiu ciclista pega fogo após bater em árvore ao lado de Avenida
DOURADOS
Adolescente pilota moto embriagado e tio morre após queda na Coronel Ponciano