Menu
Busca domingo, 05 de julho de 2020
(67) 99659-5905

Justiça concede habeas corpus a Edmundo

16 junho 2011 - 16h40

A desembargadora Rosita Maria de Olivera Netto, da 6ª Câmara Criminal, concedeu na tarde desta quinta-feira o habeas corpus para o ex-jogador Edmundo, que havia sido preso durante a madrugada. O documento que assegura a liberdade provisória ao ex-jogador será entregue pelo Tribunal de Justiça ao advogado Arthur Lavigne, não sendo mais necessário o transporte de Edmundo para o Rio de Janeiro.

O habeas corpus veio quase simultâneamente à chegada da equipe da Polícia Civil a São Paulo, que traria Edmundo para o Rio. A liberdade é em caráter provisório, cabendo ainda recurso do TJ.

A defesa do ex-jogador defende a tese de que o crime pelo qual ele foi condenado a quatro anos e meio de prisão já prescreveu.

O Animal ficou desde a madrugada desta quinta detido em uma cela na 3ª Delegacia Seccional Oeste da Capital, localizada junto ao 14º Distrito Policial, em Pinheiros, na capital paulista. A captura havia sido feita em um flat, através de uma denúncia anônima. Ele também fez um exame de corpo de delito no IML e logo retornou à cela.

Decisão na íntegra

"Tendo em vista a presença dos requisitos autorizadores à liminar em que se objetiva a liberdade sob o fundamento da ilegalidade do ato judicial que determinou a restrição, antes do trânsito em julgado o que, ainda, não ocorreu, vez que, consoante o Acórdão do E. STJ no Habeas Corpus nº: 10.952, do ora paciente, restou bem expressa a ausência de trânsito em julgado para a defesa, ponto nodal à prisão condicionada àquela na forma da resp. sentença de 1º grau, não alterada, inclusive remissão procedida e que se renova nesta, no preceito do artigo 617 do CPP, com a vedação da reformatio in pejus, em recurso exclusivo da defesa, e assim face à interposição de recurso extraordinário inadmitido e noticiado em consulta processual, É DE SE CONFERIR, POR ORA, A LIBERDADE DO ORA PACIENTE, EDMUNDO ALVES DE SOUZA NETO, QUE DEVERÁ SER CUMPRIDA, SE POR “AL” NÃO ESTIVER PRESO."

Condenação

O ex-jogador foi condenado em março de 1999 a quatro anos e seis meses de prisão, em regime semi-aberto, pelos homicídios culposos de três pessoas e lesões corporais também culposas em outras três, vítimas do acidente ocorrido na Lagoa, Zona Sul do Rio, na madrugada do dia 2 de dezembro de 1995.

No acidente morreram Joana Maria Martins Couto, Carlos Frederico Britis Tinoco e Alessandra Cristini Pericier Perrota. Ficaram feridas Roberta Rodrigues de Barros Campos, Débora Ferreira da Silva e Natascha Marinho Ketzer.

A sentença que condenou o ex-jogador foi proferida pela 17ª Vara Criminal da Capital. Ele recorreu, mas a 6ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio manteve a decisão no dia 5 de outubro de 1999.

Fonte: Radio Tupi/SP

Deixe seu Comentário

Leia Também

ESPORTES
Flamengo vence com tranquilidade e se aproxima do título estadual
DOURADOS
Ex-funcionário suspeito de matar secretário em Dourados acaba preso em barreira sanitária
LUTO
Martha Rocha, 1ª Miss Brasil, morre em Niterói, no Rio de Janeiro
PANDEMIA
Brasil chega a 1,6 milhão de casos confirmados de coronavírus
ECONOMIA
Pesquisa mostra potencial para a expansão do home office
FUTEBOL
Fluminense e Botafogo empatam sem gols no Nilton Santos
PANDEMIA
Estado de São Paulo passa de 16 mil óbitos por coronavírus
JUSTIÇA
Blogueiro preso em Campo Grande tem prisão revogada por ministro do STF
REGIÃO
Carga de cerveja tombada é liberada para populares em Nova Andradina
DOURADOS
Antes do crime, homem que matou secretário havia sido demitido por não usar máscara

Mais Lidas

POLÍCIA
Assassinado no Izidro é secretário de Agricultura Familiar de Dourados
PANDEMIA
Mulher morre de covid-19 logo após dar à luz em Dourados
DOURADOS
Ex-funcionário é o suspeito de matar secretário de Agricultura
CAMPO GRANDE
Jovem que estava desaparecida é encontrada morta