Menu
Busca sexta, 19 de outubro de 2018
(67) 9860-3221

Ex-presidente da Fundesporte é multado pela 2ª Câmara do TCE/MS

12 dezembro 2012 - 09h13

A prestação de contas do convênio 8437/2006, pactuado entre a Secretaria de Estado da Juventude e do Esporte e Lazer e a Associação dos profissionais de Educação Física de MS (APEFMS), foi considerada irregular e rejeitada pelos conselheiros da 2ª Câmara do TCE/MS, durante a sessão desta terça-feira (11.12), em razão de diversas falhas constatadas nos documentos apresentados e ainda, ausência de outros documentos considerados essenciais para a análise das contas.

De acordo com os autos do processo 1599/2011, tem o convênio como objeto a execução do projeto “Curso de Formação de Árbitros”, sendo que o curso se destinava a formação de árbitros de futebol de campo, futsal, basquetebol, voleibol e outras modalidades. No entanto, somente o curso na modalidade futebol de campo foi oferecido, o que caracteriza a execução parcial do objeto proposto.

Também foram constatadas falhas na emissão de notas fiscais, a exemplo do pagamento aos ministrantes do curso, que foi efetuado mediante emissão de notas fiscais com data posterior a realização do evento. Outras falhas foram verificadas em documentos emitidos pela GIGA TUR, no valor de R$ 1.700,00 e R$ 4.500,00, referentes a despesas com alimentação e hospedagem, respectivamente, e que não foram considerados hábeis para a comprovação das referidas despesas, uma vez que não se tratam de notas fiscais.

O diretor-presidente da Fundesporte, Júlio César Komiyama (que assumiu a Fundação em julho de 2008), o ex-presidente da Fundação e ordenador da despesa do Convênio, Dirceu Luiz Lanzarini, e a presidente da Associação dos Profissionais de Educação Física de MS (APEFMS), Eliana de Mattos Carvalho, foram notificados das irregularidades constatadas pelo Tribunal de Contas. De acordo com o relatório do conselheiro Ronaldo Chadid, nem o ex-presidente da Fundação, Dirceu Lanzarini, nem a presidente da APEFMS, Eliana de Mattos, apresentaram justificativas ou documentos capazes de sanar as irregularidades.

Por determinação do TCE/MS, o ex-presidente da Fundesporte, Dirceu Luiz Lanzarini e a presidente da APEFMS, Eliana de Mattos Carvalho deverão devolver aos cofres públicos a quantia impugnada de R$ 6.264,64, referente às despesas não comprovadas, sendo R$ 4.500,00 com hospedagem, e R$ 1.700,00 com alimentação. Além do pagamento da multa fixada em 100 Uferms para cada um, totalizando 200 Uferms, (equivalente a R$ 3.484,00), que deverão ser recolhidas no prazo de 60 dias em favor do Fundo de Modernização e Aperfeiçoamento do Tribunal de Contas - FUNTC.

Após publicação no Diário Oficial Eletrônico do TCE/MS, os gestores dos respectivos órgãos jurisdicionados poderão entrar com recurso ordinário e/ou pedido de revisão, conforme os casos apontados nos processos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

UAU
Mariana Goldfarb relembra foto em que aparece nua na praia
ELEIÇÕES 2018
Jair Bolsonaro afirma que não vai a debates no segundo turno
FRONTEIRA
Homem de 43 anos e o filho de 11 são assassinados a facadas
DISPUTAS
Jogos Escolares e da Juventude iniciam confronto no fim de semana
LICITAÇÕES
Decretada emergência em três cidades por estragos de chuva
HOMICÍDIO
Juiz decide levar a júri popular réu que provocou acidente com morte
ECONOMIA
Riqueza das famílias brasileiras encolheu US$ 380 bilhões em 1 ano
ACADÊMICOS
UFGD é campeã estadual dos Jogos Universitários Brasileiros
JUSTIÇA
Concessionária e montadora são condenadas por problemas em moto
PARANAÍBA
Mulher descobre gravidez um dia antes do parto e perde bebê

Mais Lidas

MARACAJU
Empresário douradense e filho morrem em acidente na BR-267
DOURADOS
Afogamento de africano ocorreu após apostar garrafa de cachaça com colega
DOURADOS
Mulher é condenada a 12 anos de prisão pela morte do ex-marido
DOURADOS
Corpo de homem que morreu afogado em lago é encontrado