Menu
Busca Terça, 21 de Novembro de 2017
(67) 9860-3221
Corpal Novo site
FUTEBOL

Começa, em NY, julgamento do ex- presidente da CBF José Maria Marin

14 Novembro 2017 - 13h20Por G 1

Começou nesta segunda-feira, dia 13 de novembro, em Nova York, a fase principal do julgamento do ex-presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) José Maria Marin, com defesa e acusação apresentando seus argumentos.

José Maria Marin chegou ao tribunal com os advogados e não quis falar. Marin é réu por lavagem de dinheiro, fraude e organização criminosa. Ele é acusado de receber propina para favorecer empresas de marketing esportivo em contratos de transmissão e publicidade de edições da Copa do Brasil, Taça Libertadores e Copa América.

Neste processo, também são réus Manuel Burga, ex-presidente da Federação Peruana de Futebol, e Juan Angel Napout, ex-presidente da Conmebol. Todos negam as acusações.

Nesta segunda (13), o procurador Keith Edelman disse que os três usaram o poder que tinham para enriquecer ilicitamente em vez de desenvolver o futebol. Afirmou que Marin recebeu milhões de dólares em uma conta em Nova York.

Um dos advogados de Marin deixou claro nesta segunda como vai ser a defesa: eles vão tentar mostrar que, mesmo quando comandava a CBF, Marin não era o brasileiro mais influente na Fifa. E que, quem mandava mesmo, era Marco Polo Del Nero, o atual presidente da CBF.

Um dos advogados disse que Marin só se tornou presidente da CBF por causa da renúncia de Ricardo Teixeira, em 2012. Pelo regulamento, o mais velho dos cinco vice-presidentes deveria assumir até a eleição seguinte. Marin era o mais velho. Del Nero, na época, era presidente da Federação Paulista de Futebol e o mais cotado para assumir a presidência da CBF.

O advogado Charles Stillman ainda disse: "Apesar de ser o presidente da CBF, Marin não estava no Comitê Executivo da Fifa. Essa posição era ocupada por Del Nero".

Marco Polo Del Nero também é acusado pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos de ter recebido propina. Mas ele não é julgado porque o Brasil não extradita seus cidadãos. A defesa de Del Nero afirmou que ele não assinou nenhum dos contratos fechados pela CBF no período investigado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

FAMOSOS
Isis Valverde posa de lingerie em montanha
REGIÃO
Governador entrega investimentos e anuncia reconstrução do balneário municipal em Caarapó
ESPORTE
Bonito receberá última etapa do estadual de Beach Tennis
CÂMARA DOS DEPUTADOS
Comissão vai debater cobrança por bagagem despachada
ITINERANTE
Carreta da Justiça inicia atendimentos na comarca de Figueirão
CONSCIÊNCIA NEGRA
Mais da metade da população brasileira se autodeclara como preta e parda
CAARAPÓ/AMAMBAI
Antes intransitável, reconstrução da MS-156 avança
DEFESA DO CONSUMIDOR
Na Capital, Procons vão orientar consumidores e fiscalizar lojas na Black Friday
TRABALHO
Caged de outubro indica saldo de 76 mil empregos, melhor resultado do ano
BRASILEIRÃO
Fluminense vence a Ponte e confirma vaga na elite

Mais Lidas

CENTRO
Ladrões invadem e furtam R$ 52 mil de loja em Dourados
DOURADOS
VÍDEO: Sucuri de mais de 3m é resgatada sobre cerca no Arnulpho
DOURADOS
"Quebra-vidraças" são apreendidos por furto e vandalismo
TRÁFICO
PF apreende em Recife droga que saiu de Dourados