Menu
Busca segunda, 25 de junho de 2018
(67) 9860-3221
FUTEBOL

Começa, em NY, julgamento do ex- presidente da CBF José Maria Marin

14 novembro 2017 - 13h20Por G 1

Começou nesta segunda-feira, dia 13 de novembro, em Nova York, a fase principal do julgamento do ex-presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) José Maria Marin, com defesa e acusação apresentando seus argumentos.

José Maria Marin chegou ao tribunal com os advogados e não quis falar. Marin é réu por lavagem de dinheiro, fraude e organização criminosa. Ele é acusado de receber propina para favorecer empresas de marketing esportivo em contratos de transmissão e publicidade de edições da Copa do Brasil, Taça Libertadores e Copa América.

Neste processo, também são réus Manuel Burga, ex-presidente da Federação Peruana de Futebol, e Juan Angel Napout, ex-presidente da Conmebol. Todos negam as acusações.

Nesta segunda (13), o procurador Keith Edelman disse que os três usaram o poder que tinham para enriquecer ilicitamente em vez de desenvolver o futebol. Afirmou que Marin recebeu milhões de dólares em uma conta em Nova York.

Um dos advogados de Marin deixou claro nesta segunda como vai ser a defesa: eles vão tentar mostrar que, mesmo quando comandava a CBF, Marin não era o brasileiro mais influente na Fifa. E que, quem mandava mesmo, era Marco Polo Del Nero, o atual presidente da CBF.

Um dos advogados disse que Marin só se tornou presidente da CBF por causa da renúncia de Ricardo Teixeira, em 2012. Pelo regulamento, o mais velho dos cinco vice-presidentes deveria assumir até a eleição seguinte. Marin era o mais velho. Del Nero, na época, era presidente da Federação Paulista de Futebol e o mais cotado para assumir a presidência da CBF.

O advogado Charles Stillman ainda disse: "Apesar de ser o presidente da CBF, Marin não estava no Comitê Executivo da Fifa. Essa posição era ocupada por Del Nero".

Marco Polo Del Nero também é acusado pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos de ter recebido propina. Mas ele não é julgado porque o Brasil não extradita seus cidadãos. A defesa de Del Nero afirmou que ele não assinou nenhum dos contratos fechados pela CBF no período investigado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SUPLEMENTARES
Sete municípios do país têm novos prefeitos
FRONTEIRA
Após fuga, motorista capota carro carregado com drogas
DOURADOS
Marçal quer extensão de séries iniciais em escola no Dioclécio Artuzi
VESTIBULAR DE INVERNO
Faculdades do Senai de Dourados encerram dia 11 de julho inscrições para prova
DOURADOS/LAGUNA
Entre feridos em acidente que matou mulher estavam duas crianças
AMBIENTAL
PMA e MPE autuam proprietários por desmatamento ilegal
BR-163
Adolescente morre após ser atropelado por motorista bêbado em Dourados
INVESTIGAÇÃO
Preso em Dourados, detento comandava ações do PCC até em Rondônia
Áudios adquiridos em operação revelam forte participação do acusado nas ações estratégicas da facção
TELEVISÃO
Jornalista da Globo Julia Guimarães é assediada por torcedor na Rússia
PRAZO
Inscrições para bolsa ao pesquisador ingressante terminam nesta segunda

Mais Lidas

POLÍCIA
Homem é assassinado em bar em Dourados
TRAGÉDIA
Mulher morre e 8 ficam feridos após colisão na MS-379
POLÍCIA
Veículo é roubado e recuperado horas depois em Dourados
DOURADOS
Jovem é presa ao tentar entrar na PED com droga em órgão genital