Menu
Busca quinta, 01 de outubro de 2020
(67) 99659-5905

Escuta telefônica está por trás de insinuações de uso político do PCC

09 agosto 2006 - 14h02

O presidente da República, Lula, disse hoje que o secretário de segurança de São Paulo, Saulo de Castro, "deveria ser mais sensato ao abrir a boca". O secretário, nos últimos dias, tem insinuado supostas ligações do PT com o crime organizado (leia-se PCC). O mais importante, nessa troca de chumbo entre setores do PSDB e do governo federal, é o que não está sendo dito. E que Terra Magazine revela linhas abaixo: são trechos de uma conversa entre dois criminosos ligados ao PCC em que um deles diz ser portador de uma ordem para "matar politicos" de uma "câmera municipal" e "PSDB". O documento até agora não revelado ao público é o pano de fundo, embasa essa escalada verbal e a troca de acusações entre setores do governo paulista, do PSDB, e do governo federal desde 12 de julho. Classificado como "confidencial", no setor de Inteligência em São Paulo - onde Terra Magazine obteve uma cópia - e "ultra confidencial" na área de Inteligência em Brasília, o documento contém porções da conversa grampeada entre dois "homens não identificados", e por isso mesmo chamados de "HNI 1" e "HNI 2". Homens do PCC. A conversa foi grampeada pela polícia de São Paulo às vésperas de, coincidência ou não, o assunto vir indiretamente a público. Dia 12 de julho a conversa estava transcrita e a secretaria de segurança de São Paulo já tinha ciência do teor. Sem que jamais o documento fosse citado naquele dia, ou nas trocas de acusações desde então, no mesmo 12 de julho o senador Jorge Bornhausen (PFL-SC) insinuou, pela primeira vez, supostas ligações entre o PT e o PCC. No dia seguinte, 13 de julho, o candidato ao governo de São Paulo pelo PSDB, José Serra, avançou. Questionado sobre as declarações de Bornhausen afirmou existirem "indícios" de ligação entre o PT e o PCC. O candidato à presidência, Geraldo Alckmin, perguntado, contou ter identificado "coisas estranhas" nas ações do PCC. Foi, então, bem mais evasivo do que na entrevista de anteontem ao Jornal Nacional. A William Bonner e Fátima Bernardes disse perceber sinais de "guerrilha" na ações do PCC. Isso depois de ter afirmado e reafirmado nos últimos dias estranhar a "coincidência" entre as ações e o período eleitoral.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

48 HORAS
Salles terá que explicar ao STF decisão que tirou proteção de manguezais
CRIME AMBIENTAL
Homem é autuado por derrubar árvores para exploração da madeira
DOURADOS
Polícia fecha entreposto de droga, prende cinco e um é baleado
SAPUCAIA
Ex policial é assassinado a tiros de 9mm na região de fronteira
JUSTIÇA
Concessionária deve indenizar caminhoneiro por acidente na BR-163
CAMPO GRANDE
Homem é preso com mandado de prisão em aberto por pena de 20 anos
PROMOÇÃO
Veja quem são os ganhadores do 1º sorteio da Campanha Explosão de Prêmios Abevê 2020
BRASIL
Dólar fecha em alta, no maior valor desde maio
DOURADOS
Umidade do ar fica abaixo de 20% e máxima se aproxima de 40ºC pelo segundo dia seguido
CURTO-CIRCUITO
Incêndio na Capital assusta pessoas que participavam de velórios

Mais Lidas

DECIBÉIS
Operação do Gaeco mira fraudes em licitações e cumpre cinco mandados em Dourados
INVESTIGAÇÃO
Policiais do Gaeco fazem nova operação em Dourados
CAPITAL
Mulher com mandado de prisão em aberto é executada com oito tiros
DOURADOS
Gaeco deixa edifício com documentos apreendidos após mais de 5h