Menu
Busca domingo, 26 de janeiro de 2020
(67) 9860-3221

Escuta telefônica está por trás de insinuações de uso político do PCC

09 agosto 2006 - 14h02

O presidente da República, Lula, disse hoje que o secretário de segurança de São Paulo, Saulo de Castro, "deveria ser mais sensato ao abrir a boca". O secretário, nos últimos dias, tem insinuado supostas ligações do PT com o crime organizado (leia-se PCC). O mais importante, nessa troca de chumbo entre setores do PSDB e do governo federal, é o que não está sendo dito. E que Terra Magazine revela linhas abaixo: são trechos de uma conversa entre dois criminosos ligados ao PCC em que um deles diz ser portador de uma ordem para "matar politicos" de uma "câmera municipal" e "PSDB". O documento até agora não revelado ao público é o pano de fundo, embasa essa escalada verbal e a troca de acusações entre setores do governo paulista, do PSDB, e do governo federal desde 12 de julho. Classificado como "confidencial", no setor de Inteligência em São Paulo - onde Terra Magazine obteve uma cópia - e "ultra confidencial" na área de Inteligência em Brasília, o documento contém porções da conversa grampeada entre dois "homens não identificados", e por isso mesmo chamados de "HNI 1" e "HNI 2". Homens do PCC. A conversa foi grampeada pela polícia de São Paulo às vésperas de, coincidência ou não, o assunto vir indiretamente a público. Dia 12 de julho a conversa estava transcrita e a secretaria de segurança de São Paulo já tinha ciência do teor. Sem que jamais o documento fosse citado naquele dia, ou nas trocas de acusações desde então, no mesmo 12 de julho o senador Jorge Bornhausen (PFL-SC) insinuou, pela primeira vez, supostas ligações entre o PT e o PCC. No dia seguinte, 13 de julho, o candidato ao governo de São Paulo pelo PSDB, José Serra, avançou. Questionado sobre as declarações de Bornhausen afirmou existirem "indícios" de ligação entre o PT e o PCC. O candidato à presidência, Geraldo Alckmin, perguntado, contou ter identificado "coisas estranhas" nas ações do PCC. Foi, então, bem mais evasivo do que na entrevista de anteontem ao Jornal Nacional. A William Bonner e Fátima Bernardes disse perceber sinais de "guerrilha" na ações do PCC. Isso depois de ter afirmado e reafirmado nos últimos dias estranhar a "coincidência" entre as ações e o período eleitoral.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Mourão inaugura estátua de D. Pedro I em São Paulo
CRIME AMBIENTAL
Paulistano é multado em R$ 21 mil por derrubar mata atlântica em MS
Grupo de Trabalho
Reunião discute combate ao feminicídio em Mato Grosso do Sul
BRASIL
Grupos de estudantes podem agendar visitas às sessões plenárias e das Turmas do STF
ESTADO
MEC aprova 1ª Residência Multiprofissional em Saúde da Família da UEMS
BRASIL
Chuvas em Minas Gerais já fizeram 7 mortos
CONTRABANDO
Casal é preso com mais de R$ 400 mil em relógios e celulares
POLÍTICA INTERNACIONAL
Brasil e Índia assinam acordos em tecnologia, energia e segurança
CAPITAL
Homem é atacado por pitbull em praça quando brincava com os filhos
TRÁFICO DE DROGAS
Cocaína apreendida em Ponta Porã seria levada para Brasília

Mais Lidas

DOAÇÃO
Órgãos captados em Dourados vão salvar vidas em três Estados
DOURADOS
Motociclista bate em caminhão da coleta de lixo e fica em estado gravíssimo
MS
Homem é acusado de colocar sedativo no leite para abusar de enteada
DOURADOS
Designação para escolas e Ceim’s acontece neste sábado