Menu
Busca sábado, 23 de março de 2019
(67) 9860-3221

Embrapa demonstra as alternativas do inverno

09 agosto 2002 - 17h55

O que devo plantar no inverno? Essa é a pergunta que a maioria dos produtores faz quando estão se preparando para a colheita da safra de verão. A resposta pode ser bem variada, e as alternativas para essa dúvida foram apresentadas hoje, num dia de campo, promovido pela Embrapa Agropecuária Oeste e Embrapa Transferência de Tecnologia, empresas vinculadas ao Ministério da Agricultura, Pecuária e do Abastecimento, em parceria com Fundação Vegetal. Cerca de 100 pessoas, entre técnicos e produtores da região conheceram de perto algumas opções de cultura para o plantio no inverno, que é considerado um estação longa e duvidosa.
Os pesquisadores da Embrapa dividiram a apresentação em cinco temas: As culturas de inverno para supressão de plantas daninhas, Cultivares de trigo, aveia e triticale, cultivares da cevada, misturas de espécies vegetais para cobertura do solo no inverno e cultivares de aveia para forragem e cobertura do solo.
Segundo o chefe geral da Embrapa Agropecuária Oeste, Ubirajara Fontoura, o objetivo do evento é fazer transferência de conhecimento com o objetivo de contribuir para a sustentabilidade do agronegócio. “Nós temos a obrigação de repassar os resultados de nossas pesquisas aos produtores. É preciso que eles conheçam cada possibilidade para haver um planejamento melhor de como e quando podem investir”.
Durante, o Dia de Campo pela Embrapa, os visitantes puderam conhecer por exemplo, as vantagens de algumas culturas, como o nabo forrageiro. A planta é uma poderosa aliada na supressão de plantas daninhas. A opção é indicada para o produtor não deixar o solo sem cobertura e desprotegido. “O produtor que optar pelo plantio do nabo, além de conservar os nutrientes do solo para a próxima safra, vai economizar no uso de herbicidas”, afirma André Luiz Melhorança, pesquisador da Embrapa. André explica também, que os gastos com herbicidas são responsáveis por 20% do custo da produção, o que acaba reduzindo o lucro do produtor. O nabo forrageiro tem um custo bem reduzido. O produtor vai gastar em média R$15,00 de semente por hectare e além disso não é preciso gastar com adubação.
Uma outra alternativa bastante atraente e pouco explorada é o triticale. O híbrido que é uma mistura de trigo e centeio é uma planta rústica que suporta muito bem as variações climáticas, e por esse motivo, é uma ótima saída para o produtor que não gosta muito de se arriscar. O triticale pode ser usado na fabricação de pão e ração, e de acordo com o supervisor da Área de Negócios Tecnológicos da Embrapa, Euclides Maranho, a planta ainda pode servir para outras finalidades. “O triticale é uma ótima planta para ser usada como cobertura do solo e pode ser usada também na composição do fêno. Com isso, acontece a integração agricultura e pecuária e toda cadeia produtiva sai ganhando” finaliza.


Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZZ
Após cirurgia, Cleo Pires exibe corpão, faz dancinha e rebate seguidor
TRÊS LAGOAS
Mulher que entrou em briga de casal e matou homem diz que foi acidente
FUTEBOL
Aquidauanense vence o Operário na abertura das quartas do Estadual
DOURADOS
Agehab vai aos bairros para regularização de loteamentos sociais
PONTA PORÃ
Adolescente é apreendida com maconha que levaria para São Paulo
LUTO
Ator e diretor Domingos Oliveira morre aos 83 ans no Rio de Janeiro
FUTEBOL
Paquetá marca, mas Brasil só empata com Panamá em amistoso
BRASIL
Caminhoneiros se mobilizam para nova paralisação, mostra monitoramento
IVINHEMA
Médico veterinário morre em acidente de moto na MS-276
CICLISMO
Desafio das Araras de Mountain Bike abre inscrições para 2ª etapa

Mais Lidas

HU
Dengue hemorrágica causa morte de menino de 11 anos em Dourados
LUTO
Fundadora da ADL, Ruth Hellman morre em Dourados
DOURADOS
Protesto contra a Reforma da Previdência leva centenas ao Centro
DOURADOS
Trio que matou e roubou cabeleireiro é condenado a 62 anos de cadeia