Menu
Busca sexta, 20 de abril de 2018
(67) 9860-3221
BANNER CORPAL TOPO SITE
ESPORTES

Terminam nesta 3º-feira as inscrições para o bolsa Atleta e bolsa Técnico

26 setembro 2017 - 08h25

Os destaques esportivos de Mato Grosso do Sul podem se candidatar a receber um auxílio financeiro, durante 12 meses até esta terça-feira, dia 26 de setembro. As inscrições que começaram no dia 6 de setembro terminam amanhã para as bolsas Atleta e Técnico estaduais.

São oferecidas 100 bolsas-atletas estudantis (R$ 350,00) e 50 bolsas-atletas nacionais (R$ 800,00). A estudantil é direcionada a alunos-atletas, com idade entre 12 e 17 anos, que se destacam em competições estudantis nacionais e internacionais. O principal objetivo é dar uma ajuda de custo mensal para manter o talento escolar treinando e participando das competições. A bolsa-atleta nacional é destinada aos talentos esportivos que brilham em campeonatos nacionais e internacionais. A intenção é oferecer um auxílio financeiro mensal para que o atleta, com idade mínima de 14 anos, não abandone o esporte e possa continuar se dedicando a representar Mato Grosso do Sul.

A novidade na categoria fica por conta da bolsa Pódio Complementar (R$ 800,00), destinada a 20 atletas que já recebem bolsa Federal.

Cada tipo de bolsa tem critérios específicos de concessão que devem ser necessariamente preenchidos para que o candidato possa receber o auxílio mensal. Em comum, a exigência de nacionalidade brasileira, de residir em Mato Grosso do Sul, estar em plena atividade esportiva, ter resultados expressivos em suas modalidades, não ser suspenso ou sofrer sanções disciplinares.

Outra inovação é a bolsa Técnico. Único Estado do Brasil a oferecer auxílio financeiro ao professor formador e treinador dos atletas, MS disponibiliza 10 bolsas técnico nível I (R$ 500) e 10 nivel II (R$ 750). No I, são contemplados técnicos em nível escolar, responsáveis pelos alunos-atletas habilitados a receber a bolsa-atleta estudantil. A nível II beneficia os técnicos dos atletas de ponta, aptos a receber as bolsas pelo desempenho em competições nacionais e internacionais.

Para concorrerem, os técnicos precisam, entre outras exigências, estar em plena atividade há pelo menos três anos, serem brasileiros, residirem no Mato Grosso do Sul, terem obtidos bons resultados em competições oficiais e serem profissionais de Educação Física devidamente inscritos no Conselho Regional.

Atletas e técnicos de modalidades olímpicas, não-olímpicas, paralímpicas e não-paralímpicas poderão se candidatar. As bolsas têm duração de 12 meses e não há renovação. Uma nova seleção é feita considerando os resultados do ano anterior ao pedido e aferindo os requisitos no momento da inscrição.

A lei ainda prevê a suspensão e o cancelamento da bolsa em casos de má conduta dos contemplados como falsidade documental, suspensão por indisciplina, declaração falsa ou quando deixam de cumprir os requisitos durante o recebimento do benefício como mudança do Estado e abandono da prática esportiva.

Deixe seu Comentário

Leia Também

UAU
Viviane Araújo renova o bronze em dia de biquíni em resort no Ceará
BR-463
Polícia confirma morte de idoso em ataque de pistoleiros
UFGD
Avaliação e qualidade do ensino será tema de colóquio em Dourados
HABEAS CORPUS
Ministro do STJ envia para o Supremo de recurso do ex-presidente Lula
MEIO AMBIENTE
Fazendeiro é multado em R$ 5 mil por degradação de matas ciliares
DICIONÁRIO
Estudantes criam aplicativo que faz tradução entre o guarani e português
DOURADOS
Homem é baleado após troca de tiros na BR-463
SÃO PAULO
Tiroteio durante assalto dentro de ônibus deixa 3 mortos e 4 feridos
TRANSPARÊNCIA
Anatel abre consulta para regulamentar serviços de telemarketing
EDUCAÇÃO
UEMS e UFGD realizam III Seminário de Formação Docente em maio

Mais Lidas

DOURADOS
Filho de apresentadora é preso na rodoviária com dinheiro falso
DIREITOS HUMANOS
Esposas de presos denunciam agressões e Comissão vai até a PED
FORAGIDO
Polícia identifica comparsa do roubo em Ceim de Dourados
BR-463
Baleado é trazido ao HV e suspeita é de assalto em propriedade rural