Menu
Busca quinta, 18 de outubro de 2018
(67) 9860-3221
RURAL

Segunda safra de milho deve encolher quase 30% em MS, diz Conab

12 junho 2018 - 21h35Por Da Redação

A segunda safra de milho do ciclo 2017/2018 em Mato Grosso do Sul, também chamada de safra de inverno ou safrinha, deve encolher 29,7% em relação a temporada passada, caindo de 9,609 milhões de toneladas para 6,758 milhões de toneladas. Os dados foram divulgados nesta terça-feira, dia 12 de junho, pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) em seu mais recente levantamento sobre a produção de grãos do país.

A empresa pública federal aponta que essa redução da produção deve ocorrer em razão da diminuição de 4% na área cultivada, de 1,759 milhão de hectares para 1,689 milhão de hectares e da produtividade despencar 26,7%, caindo de 5.460 quilos por hectare (91 sacas por hectare) para 4.000 mil quilos por hectare (66,66 sacas por hectare).

A Conab aponta que a quebra de produtividade é resultado de uma série de fatores desfavoráveis. O primeiro foi o atraso no plantio do cereal. Isso ocorreu porque a cultura semeada antes, no sistema de rotação, a soja, também sofreu com retardo na semeadura, em decorrência da estiagem em outubro do ano passado, e depois com demora na colheita, devido, desta vez, ao excesso de chuvas. O quadro provocou o deslocamento da janela de plantio do milho segunda safra.

Além disso, entre abril e maio, já com o cereal plantado, houve uma estiagem que em muitas propriedades foi superior a 40 dias, o que impactou desde as lavouras que estavam no estágio de desenvolvimento vegetativo até aquelas que já tinham atingido o período de floração e de frutificação.

Outra variável citada pela Conab e que também tem reflexos nesta queda de produtividade, é a do tipo de semente utilizada, que em várias localidade do estado foi a convencional, que possui uma resistência menor do que as variedades transgênicas.

A companhia destaca que a instabilidade do clima, associada ao manejo inadequado, tem favorecido ainda nesta temporada, o aparecimento de algumas pragas, como percevejo e lagarta.


Já a redução da área cultivada, é atribuída pela Conab ao próprio atraso no plantio da cultura e ainda a desvalorização do preço do milho ao longo dos meses de planejamento da semeadura, entre novembro e fevereiro.

No levantamento, a empresa pública federal destaca que o mercado tem se mostrado aquecido quanto aos preços praticados atualmente e para o futuro, mas que existe uma preocupação generalizada com a perda significativa de produtividade.

No que diz respeito à comercialização, a Conab ressalta que Mato Grosso do Sul está com 34% do milho segunda safra comercializado em contratos futuros.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MS
Homem foge com veículo roubado que dá problema e ele acaba preso
DOURADOS
Cemitérios públicos passam por limpeza para o Dia de Finados
DOURADOS
Justiça Eleitoral convoca representantes para lacração de urnas da 18ª Zona
ELEIÇÕES 2018
WhatsApp esvazia debate na campanha eleitoral deste ano
OPORTUNIDADE
Inscrições para especialização a distância oferecida pelo IFMS vão até dia 22
FLAGRANTE
Polícia apreende mil litros de combustível transportado na caçamba de caminhonete
CORUMBÁ
Jogos de Aventura do Pantanal acontece em novembro
DOURADOS
Após sensação térmica bater perto de 40ºC, tempo vira e traz ventania
PORTO MURTINHO
Pescador é multado por captura e transporte de caranguejos usados para isca
DOURADOS
Semáforos serão instalados em pontos do centro

Mais Lidas

DOURADOS
Homem morre ao tentar atravessar “lago da rodoviária” a nado
PEDRO JUAN
Suspeita de envolvimento em roubo a vereador douradense é executada na fronteira
CENAS DE CINEMA
Perseguição e troca de tiros termina com veículos recuperados em Dourados
OLAVO SUL
Vereador douradense é ameaçado de morte ao separar briga em distrito