Menu
Busca sábado, 20 de outubro de 2018
(67) 9860-3221

Reajuste de 9% do Mínimo foi pequeno, avalia Força Sindical MS

27 dezembro 2012 - 14h04


O aumento de 9% do Salário Mínimo para vigorar a partir de 1º de janeiro de 2013, passando de R$ 622,00 para R$ 678,00, foi pequeno em comparação aos percentuais de anos anteriores e também pela valorização do trabalhador brasileiro. A opinião é de Idelmar da Mota Lima, presidente da Força Sindical Regional Mato Grosso do Sul e presidente da Federação dos Trabalhadores no Comércio e Serviços de Mato Grosso do Sul – Fetracom/MS.

“Os trabalhadores brasileiros estão mais valorizados. Por isso precisam ser melhores remunerados”, afirma Idelmar que coloca o valor do salário mínimo como “uma referência” para se estabelecer o salário das diversas categorias de trabalhadores brasileiros.

O anúncio do novo mínimo foi feito dia 24 e o decreto foi publicado no Diário Oficial da União na quarta-feira, 26. De acordo com a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, que fez o anúncio a pedido da presidenta Dilma Rousseff, o reajuste de cerca de 9%, considerou “a variação real do crescimento” (2,7%) e o Índice Nacional de Preços ao Consumidor – INPC (6,1%).

Para o presidente da Força Sindical MS, o salário mínimo brasileiro deveria ser pelo menos três vezes maior, para cobrir de fato todo o custo de vida de uma família. “Mas, felizmente a força de mercado acaba estabelecendo esses valores e colocam o salário mínimo como uma referência para se estabelecer os valores reais que cada um deve ganhar”, explicou o sindicalista.

O presidente da Feintramag (Federação Interestadual dos Trabalhadores na Movimentação de Mercadorias de MT e MS), José Lucas da Silva, também considerou baixo o reajuste do salário mínimo brasileiro. Para ele o percentual deveria avançar mais para se fazer “justiça” com o trabalho do povo brasileiro.

“Nossos profissionais precisam ser melhores valorizados. O valor do salário mínimo deveria cobrir as necessidades básicas de cada família. Ou seja, permitir o seu sustento em todas as áreas: alimentação, vestuário, moradia, educação, saúde e até lazer”, afirmou o sindicalista que representa também a CNTC (Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio) e a CSP (Central Sindical de Profissionais).

Deixe seu Comentário

Leia Também

PRIMEIRO DIGITAL NO INTERIOR
1ª Peixada acontece hoje em comemoração aos 18 anos do Dourados News
UAU
Top baiana Daiane Sodré posa completamente nua na cama
RIGOR
Proposta de indulto de Natal exclui benefício a presos por corrupção
RURAL
Plantio da safra de soja no Estado chega a 54% da área estimada
CONFUSÃO
Troca de tiros entre policiais de SP e MG deixa um morto em hospital
SAÚDE
HU de Dourados inicia segundo ciclo da Pesquisa de Satisfação dos Usuários
CAMPO GRANDE
Polícia identifica suspeito de ter matado PM atrás de frigorífico
MEIO AMBIENTE
Pesquisadores da UEMS recebem Prêmio Troféu Marco Verde 2018
TRÊS LAGOAS
Polícia impede sequestro de empresário, mata um e prende três
FUTEBOL
Ministério Público libera dois estádio e veta um para a Série B

Mais Lidas

TRAGÉDIA
Empresário retornava de Bonito e bateu de frente com carreta
DOURADOS
Mulher é presa furtando farmácia e confessa outros crimes
DOURADOS
Homem atropelado por motorista em fuga morre quase 2 meses após acidente
FRONTEIRA
Brasileiro é executado na frente de casa após receber ligação