Menu
Busca sexta, 19 de julho de 2019
(67) 9860-3221

Reajuste de 9% do Mínimo foi pequeno, avalia Força Sindical MS

27 dezembro 2012 - 14h04


O aumento de 9% do Salário Mínimo para vigorar a partir de 1º de janeiro de 2013, passando de R$ 622,00 para R$ 678,00, foi pequeno em comparação aos percentuais de anos anteriores e também pela valorização do trabalhador brasileiro. A opinião é de Idelmar da Mota Lima, presidente da Força Sindical Regional Mato Grosso do Sul e presidente da Federação dos Trabalhadores no Comércio e Serviços de Mato Grosso do Sul – Fetracom/MS.

“Os trabalhadores brasileiros estão mais valorizados. Por isso precisam ser melhores remunerados”, afirma Idelmar que coloca o valor do salário mínimo como “uma referência” para se estabelecer o salário das diversas categorias de trabalhadores brasileiros.

O anúncio do novo mínimo foi feito dia 24 e o decreto foi publicado no Diário Oficial da União na quarta-feira, 26. De acordo com a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, que fez o anúncio a pedido da presidenta Dilma Rousseff, o reajuste de cerca de 9%, considerou “a variação real do crescimento” (2,7%) e o Índice Nacional de Preços ao Consumidor – INPC (6,1%).

Para o presidente da Força Sindical MS, o salário mínimo brasileiro deveria ser pelo menos três vezes maior, para cobrir de fato todo o custo de vida de uma família. “Mas, felizmente a força de mercado acaba estabelecendo esses valores e colocam o salário mínimo como uma referência para se estabelecer os valores reais que cada um deve ganhar”, explicou o sindicalista.

O presidente da Feintramag (Federação Interestadual dos Trabalhadores na Movimentação de Mercadorias de MT e MS), José Lucas da Silva, também considerou baixo o reajuste do salário mínimo brasileiro. Para ele o percentual deveria avançar mais para se fazer “justiça” com o trabalho do povo brasileiro.

“Nossos profissionais precisam ser melhores valorizados. O valor do salário mínimo deveria cobrir as necessidades básicas de cada família. Ou seja, permitir o seu sustento em todas as áreas: alimentação, vestuário, moradia, educação, saúde e até lazer”, afirmou o sindicalista que representa também a CNTC (Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio) e a CSP (Central Sindical de Profissionais).

Deixe seu Comentário

Leia Também

FRONTEIRA
Pistoleiro preso após executar fazendeiro é membro do Comando Vermelho
POLÍTICA
Dilma vai ao STF para Bolsonaro explicar declaração dada nos EUA
NAVIRAÌ
Homem é preso após estuprar e arquivar fotos de menina de 9 anos
TEMPO
Sexta-feira nublada com possibilidade de chuva em Dourados
UAU!
Namorada de Enzo Celulari, Victória Bartelle se refresca em dia de sol
POLÍCIA
PF suspende inquéritos que usam dados do Coaf sem aval da Justiça
BRASIL
ANTT publica novas regras para cálculo do frete mínimo dos caminhoneiros
CORUMBÁ
Médico suspeito de cobrar por cirurgia no SUS é denunciado por abuso sexual
JUDICIÁRIO
Goleiro Bruno obtém progressão de pena para o regime semiaberto
TECNOLOGIA
UEMS oferece curso gratuito de informática básica em Dourados

Mais Lidas

FRONTEIRA
Pistoleiros são presos após executarem homem a tiros
FRONTEIRA
Suspeito de ter matado homem encontrado boiando em rio é preso
DOURADOS
Delegado encerra Inquérito e aguarda perícia para saber se tiro que matou bioquímico foi acidental
BR-163
Ponte sobre o Rio Dourados será parcialmente demolida em obra de R$ 3 milhões