Menu
Busca sexta, 13 de dezembro de 2019
(67) 9860-3221
MAIS CARO

Petrobras eleva em 2,8% o preço da gasolina nas refinarias

19 novembro 2019 - 06h35Por G 1

Após mais de 50 dias sem reajustar o preço da gasolina nas refinarias, a Petrobras anunciou nesta segunda-feira, dia 18 de novembro, uma elevação de 2,8% no valor do combustível. O aumento ocorre após importadores apontarem que a elevação nos preços internacionais da gasolina implica em uma defasagem, conforme disse uma associação do setor.

O último reajuste da gasolina havia ocorrido em 27 de setembro. Desde então, a ausência de reajustes era considerada crítica pela Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom), de acordo com a agência Reuters. A entidade apontou uma elevação de 6% no preço da gasolina no mercado internacional desde o último ajuste feito pela Petrobras até esta segunda. A associação foi criada em julho de 2017 e atualmente reúne 9 empresas importadoras com atuação no país.

Já o diesel - combustível mais comercializado do Brasil - sofreu reajuste de 1,2% nesta segunda nas refinarias.

"Com o avanço do câmbio e preços da commodity, o custo do produto teve alta 4,4%... Apesar da expectativa de atualização nos preços domésticos ainda na última sexta-feira, estes foram mantidos", disse a Abicom, em nota, apontando ainda "ajuste necessário da ordem de R$ 0,10 por litro".

O que diz a Petrobras

Procurada pela agência Reuters, a Petrobras reiterou em nota que sua política de preços para a gasolina e o diesel segue os princípios da paridade de importação, formada pelas cotações internacionais destes produtos mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias.

A empresa ressaltou, no entanto, que "o preço de paridade de importação não é um valor absoluto, único e percebido da mesma maneira por todos os agentes".

Segundo a empresa, os reais valores de importação variam de agente para agente, dependendo de características, como as relações comerciais no mercado internacional e doméstico, o acesso à infraestrutura logística e a escala de atuação.

A estatal ressaltou que renomadas agências de informação têm publicado indicadores de preços de paridade com diferenças significativas.

"Importante destacar que não houve interrupção nas importações, tanto de diesel quanto de gasolina, realizadas por terceiros para o mercado doméstico brasileiro, o que evidencia a viabilidade econômica das importações realizadas por agentes eficientes de mercado", disse a empresa.

O repasse dos preços nas refinarias para os consumidores finais, nos postos, depende de uma série de questões, como as margens da distribuição e revenda, incidência de impostos e mistura de biocombustíveis.

Deixe seu Comentário

Leia Também

RURAL
Para desburocratizar, Sefaz implanta o Cadastro Eletrônico da Agropecuária
INFORME PUBLICITÁRIO
Imperdível! Até Papai Noel vai querer colchão magnético casal biomassagem por R$ 1.599
FUTEBOL
Com promessa de mais uma festa, Flamengo embarca hoje para o Catar
PARANHOS
Indígena é preso após polícia flagrar plantação de maconha em aldeia
HUMOR
Dourados recebe humorista do Pânico no domingo
ABONO DE NATAL
13° salário dos servidores de Dourados está disponível para saque
BR-163
Motorista que morreu ao bater de frente com carreta tinha 39 anos
CAIXA
Saque adicional de R$ 498 do FGTS poderá ser feito a partir do dia 20
APROVADOS
TJ/MS divulga lista de inscrições deferidas para o concurso da magistratura
CAPITAL
"Não consegui salvar minha filha": a dor da mãe de criança atacada

Mais Lidas

CAARAPÓ
Homem é assassinado a golpes de faca após discussão em bar
DOURADOS
Inteligência da PM prende dois por tráfico no bairro Estrela Tovi
GRANDE DOURADOS
Quadrilha especializada em roubo de caminhonetes é desarticulada e seis são presos
FURTO
Polícia recupera objetos e fecha ponto de receptação em Dourados