Menu
Busca domingo, 18 de agosto de 2019
(67) 9860-3221
LEILÃO

Petrobras arremata bloco de MS para explorar gás e petróleo e abre espaço para novas perspectivas

Petrobras arremata bloco de MS para explorar gás e petróleo e abre espaço para novas perspectivas

27 setembro 2017 - 18h15Por Da Redação

A Petrobras arrematou um bloco da Bacia do Paraná, em Mato Grosso do Sul, para exploração de petróleo e gás natural. A estatal pagou R$ 1,69 milhão no leilão realizado hoje pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), e se comprometeu a investir pelo menos R$ 20,5 milhões.

Essa é a primeira vez que áreas no Estado poderão ser perfuradas para exploração de combustíveis, o que gera uma nova perspectiva de desenvolvimento para Mato Grosso do Sul. De acordo com o secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, o interesse da Petrobras desperta expectativas positivas.

“Se nós tivermos possibilidade de produção de gás natural em Mato Grosso do Sul, nós teríamos mais uma fonte energética, teríamos opção de royalties a esses municípios e teria possibilidade de diversificação da nossa base econômica. Então nós somos cautelosos, mas seria extremamente positivo para a economia do estado”, afirmou Verruck.

estudo feito pela ANP estabeleceu 11 áreas da Bacia do Paraguai que podem ser exploradas, mas apenas uma despertou interesse de investidores, no caso o lote 175 arrematado pela Petrobras.

O secretário Jaime Verruck explica que ainda não temos uma dimensão efetiva de qual é o potencial para combustíveis e o edital é justamente para identificar isso. “O que existe hoje, dado aos estudos geológicos e as características é de que há a possibilidade de encontrar gás natural e petróleo na região lindeira ao rio Paraná”.

Porém, por ser exploração terrestre a expectativa é de que os volumes sejam bem menores que no mar, mas devido as condições de subsolo, é normal que tenha mais gás natural do que Petróleo.

Ainda de acordo com o secretário, no ano passado a ANP solicitou ao Governo do Estado informações sobre essas áreas com potencial para exploração. “Eles queriam saber se essas áreas eram de baixo impacto ambiental e se não estavam em áreas de conservação, mas o Imasul informou que não”.

Conforme o ritual, depois que assumir a concessão, a empresa terá que entrar com um pedido de licenciamento ambiental específico para aquele tipo de exploração e ai vai ser avaliado dentro da legislação.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Mia Khalifa cria atrito no pornô internacional ao renegar passado na indústria
ESCOLARES
Modalidades individuais dos Jogos Escolares da Juventude terão como sede Corumbá e Nova Andradina
EMPREGO
MS tem a 4ª menor taxa de desocupação do país no segundo trimestre de 2019, diz IBGE
BRASIL
Remédio para cólica menstrual tem efeito para tratar esquistossomose
GUIA LOPES
Homem é flagrado com couro de onça e multado pela PMA
MELHOR IDADE
Confira os vencedores da etapa do voleibol adaptado e bocha
ESTELIONATO
Homem perde R$ 14 mil ao cair em golpe pela internet
CAMPO GRANDE
Decisão anula TAC que estabelece remoção de empresas de antigo lixão
ENCONTRO
Centro Acadêmico de Medicina realiza I Workshop na capital
BRASIL
Mega-Sena sorteia hoje prêmio de R$ 24 milhões

Mais Lidas

BR-163
Passageira morre após homem colidir moto contra placa de sinalização em Dourados
DOURADOS
Acidente com morte pode ter ocorrido após motociclista ser fechado por carro
DOURADOS
Homem fica ferido após estouro de equipamento na Cabeceira Alegre
POLÍTICA
PSL lança nome para Prefeitura de Dourados e senadora descarta aliança com tucanos