Menu
Busca sábado, 17 de fevereiro de 2018
(67) 9860-3221
Clube Indaiá - Janeiro 2018
LEILÃO

Petrobras arremata bloco de MS para explorar gás e petróleo e abre espaço para novas perspectivas

Petrobras arremata bloco de MS para explorar gás e petróleo e abre espaço para novas perspectivas

27 setembro 2017 - 18h15Por Da Redação

A Petrobras arrematou um bloco da Bacia do Paraná, em Mato Grosso do Sul, para exploração de petróleo e gás natural. A estatal pagou R$ 1,69 milhão no leilão realizado hoje pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), e se comprometeu a investir pelo menos R$ 20,5 milhões.

Essa é a primeira vez que áreas no Estado poderão ser perfuradas para exploração de combustíveis, o que gera uma nova perspectiva de desenvolvimento para Mato Grosso do Sul. De acordo com o secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, o interesse da Petrobras desperta expectativas positivas.

“Se nós tivermos possibilidade de produção de gás natural em Mato Grosso do Sul, nós teríamos mais uma fonte energética, teríamos opção de royalties a esses municípios e teria possibilidade de diversificação da nossa base econômica. Então nós somos cautelosos, mas seria extremamente positivo para a economia do estado”, afirmou Verruck.

estudo feito pela ANP estabeleceu 11 áreas da Bacia do Paraguai que podem ser exploradas, mas apenas uma despertou interesse de investidores, no caso o lote 175 arrematado pela Petrobras.

O secretário Jaime Verruck explica que ainda não temos uma dimensão efetiva de qual é o potencial para combustíveis e o edital é justamente para identificar isso. “O que existe hoje, dado aos estudos geológicos e as características é de que há a possibilidade de encontrar gás natural e petróleo na região lindeira ao rio Paraná”.

Porém, por ser exploração terrestre a expectativa é de que os volumes sejam bem menores que no mar, mas devido as condições de subsolo, é normal que tenha mais gás natural do que Petróleo.

Ainda de acordo com o secretário, no ano passado a ANP solicitou ao Governo do Estado informações sobre essas áreas com potencial para exploração. “Eles queriam saber se essas áreas eram de baixo impacto ambiental e se não estavam em áreas de conservação, mas o Imasul informou que não”.

Conforme o ritual, depois que assumir a concessão, a empresa terá que entrar com um pedido de licenciamento ambiental específico para aquele tipo de exploração e ai vai ser avaliado dentro da legislação.

Deixe seu Comentário

Leia Também

RÚSSIA 2018
Embaixadora da Copa do Mundo da Rússia visita sede da CBF
BRASIL
Previdência não será única PEC parada durante intervenção no Rio
RIO BRILHANTE
Jovem tem a casa atingida por tiros após discussão em bar por volume de som
ECONOMIA
Energia: em fevereiro bandeira segue verde para consumidores
CAMPO GRANDE
Carro de luxo com R$ 48 mil em débitos é apreendido em blitz
GRUPO B
Compromisso na Copa Verde faz FFMS alterar data de jogo do Corumbaense
BRASIL
Entenda como foi criado o horário de verão, que termina no domingo
EDUCAÇÃO
Inscrições para o Programa Vale Universidade seguem abertas
SUL DE MS
Homem morre após fugir e capotar veículo carregado com maconha
RESGATE
Casal é encontrado com vida após 10h de sequestro na Capital

Mais Lidas

QUADRILHA DESARTICULADA
Sete são presos a caminho de MS com carros roubados
TRÁFICO
Ao ser preso com cigarro de maconha, jovem denuncia "boca" no Itália
MARACAJU
Homem é assassinado brutalmente por adolescentes
DOURADOS
Reunião define critérios para lotação nas escolas da Reme