Menu
Busca segunda, 22 de abril de 2019
(67) 9860-3221
PREVIDÊNCIA

Nova fórmula de aposentadoria prevê revisão gradual do cálculo

18 junho 2015 - 12h30

O ministro da Previdência, Carlos Gabas, disse nesta quinta-feira, dia 18 de junho, que a nova fórmula de cálculo da aposentadoria do governo leva em conta o envelhecimento da população brasileira para ajudar a dar sustentabilidade à previdência social.

A fórmula somará o tempo de contribuição e idade para definir quando o trabalhador poderá pedir o benefício integral à Previdência e será corrigida gradualmente, para acompanhar as mudanças da expectativa de vida dos brasileiros.

“O conceito de pontos não pode ser estático, qualquer conceito usado como regra de acesso ou de cálculo da aposentadoria tem que levar em conta a transição demográfica, o aumento da expectativa de vida ou de sobrevida”, disse Gabas.

O ministro reconheceu que a nova regra ajuda a manter a sustentabilidade da Previdência apenas no curto prazo e disse que o governo continuará discutindo novas soluções no grupo criado para debater a aposentadoria com empresários e sindicatos. “Essa é uma solução momentânea, a solução definitiva deve ser discutida no Fórum Nacional de Previdência Social”.

A fórmula, editada em medida provisória, publicada hoje (18), somará o tempo de contribuição e idade para definir quando o trabalhador poderá pedir o benefício integral e será corrigida a cada dois anos, para acompanhar as mudanças da expectativa de dos brasileiros.

A nova regra tem como ponto de partida a fórmula 85/95, que soma a idade com o tempo de contribuição até chegar a 85 – 30 anos de contribuição mais idade –, para as mulheres, e 95 para os homens – 35 anos de contribuição mais a idade. A partir de 2017, este cálculo será acrescido de um ponto a cada dois anos, até 2019. Daí em diante, de um ponto a cada ano até chegar a 90 (mulheres) e 100 (homens), em 2022.

Originalmente, a fórmula 85/95 foi proposta pelo Congresso Nacional, mas sem a progressividade. Dilma vetou o dispositivo e editou uma medida provisória com a complementação.

A manutenção da 85/95 mais a progressividade é uma tentativa do governo de dissuadir o Congresso a derrubar o veto. No entanto, o Palácio do Planalto reconhece que as regras poderão sofrer alterações durante a votação da nova medida provisória com mudanças, por exemplo, para que o tempo de correção da tabela seja maior que dois anos. Ontem (17), Dilma jantou com lideranças do Senado e na próxima semana deve se reunir com parlamentares da Câmara para tratar do assunto.

Deixe seu Comentário

Leia Também

JUSTIÇA
Buraco na rodovia que causou acidente com morte gera indenização
CAMPO GRANDE
Idoso desaparece após sair de casa para cobrar dívida de pastor
ESTRADAS
PRF registra queda de 28% em mortes no feriado da Semana Santa
VIOLÊNCIA
Coordenadoria da Mulher capacita rede de atendimento de Dourados
ESTAVA EMBRIAGADA
Após ver caminhonete atingir moto de marido, mulher vai atrás de veículo e ajuda a prender motorista
IRPF
Mais de 13 milhões ainda não enviaram declaração do Imposto de Renda
ECONOMIA
Dólar fecha em leve alta, monitorando avanço da reforma da Previdência
EDUCAÇÃO
Saiba a importância de estimular o cérebro
DOCUMENTO
Eleitores têm até 6 de maio para regularizar título
MS
Droga é encontrada na bagagem de passageiro de veículo contratado via aplicativo

Mais Lidas

POLÍCIA
Homem é encontrado morto no Rio Dourados
POLÍCIA
Casal é preso por tráfico, após entrega de crack, na Cachoeirinha
TRAGÉDIA
Casal morre em acidente de moto próximo a Ponta Porã
DOURADOS
Rapaz é ferido com duas facadas e socorrido ao HV