Menu
Busca domingo, 20 de maio de 2018
(67) 9860-3221
SEVILHA ODONTOLOGIA

Medida brasileira já trava 2.000 carros vindos da Argentina

13 maio 2011 - 12h28

A audiência da novela "Amor e Revolução" (SBT) quase dobrou na noite desta quinta-feira com a exibição do primeiro beijo gay em uma telenovela brasileira. A novela, que vinha com média de 5 pontos de audiência, teve pico de 9 pontos.

No total, o capítulo teve média de 6 pontos (cada ponto equivale a 58 mil domicílios na Grande SP) e 11% de share (participação de TVs ligadas).

O beijo aconteceu entre as personagens Marcela (Luciana Vendramini) e Mariana (Giselle Tigre).

A cena deveria ter sido exibida no capítulo de quarta-feira, mas foi adiada como estratégia para aumentar a audiência.

Oficialmente, a mudança foi feita pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior para "monitorar o fluxo de importações" do setor, de acordo com a assessoria de imprensa do órgão.

Segundo a Folha apurou, a medida, no entanto, é uma retaliação do governo brasileiro ao argentino, que dificulta a entrada dos produtos nacionais naquele mercado.

De acordo com o Clarín, até o momento, as restrições do governo afetaram o envio de três montadoras para o Brasil: Toyota, General Motors e Mercedes Benz. O jornal afirma, porém, que há varios navios, com automóveis de outras marcas com instalações na Argentina, a caminho de portos no Paraná e no Rio.

Ontem, a ministra da Indústria argentina, Débora Giorgi, reagiu à notícia das travas brasileiras à importação e afirmou que o Ministério do Desenvolvimento está "atuando de forma intempestiva e sem aviso, afetando 50% do comércio bilateral".

Em nota no site do ministério da Argentina, Giorgi afirmou que que quando a Argentina decidiu fazer alterações em suas licenças, o Brasil foi avisado com 30 dias de antecedência, o que, neste caso, não aconteceu.

"Esse tipo de comportamento atenta contra o diálogo natural dos sócios majoritários do Mercosul e, fundamentalmente, afeta o compromisso que assumiram as presidentes de equilibrar a balança comercial bilateral e conseguir uma industrialização haromônica em ambos os países", disse.

MEDIDAS

A Argentina responde por mais da metade dos carros importados para o Brasil e vice-versa, diz a Anfavea (associação das montadoras).

O procedimento será válido para todos os países, seguindo a determinação da OMC (Organização Mundial do Comércio), e o Brasil tem até 60 dias para avaliar a entrada dos produtos.

Segundo Ademar Cantero, diretor de Relações Institucionais da Anfavea, "certamente haverá um reflexo [para as empresas], mas ainda não conseguimos quantificar", acrescentando ainda que será preciso reprogramar as importações.

O executivo de uma grande montadora foi mais enfático, ressaltando que a medida vai influenciar o fluxo de caixa das empresas, já que os carros foram pagos, mas, enquanto não entrarem no país, não poderão ser vendidos e gerar receita.

A maior parte dos carros importados é trazida pelas montadoras com fábrica no Brasil, principalmente da Argentina e do México, com os quais há acordos comerciais para isenção na alíquota de importação, de 35%, de acordo com a logística de produção de cada empresa.

A Fiat, por exemplo, líder na venda de automóveis e comerciais leves, importa da fábrica na Argentina o Siena, também produzido no Brasil.

A GM traz o Agile do país vizinho, o Camaro do Canadá, o Malibu dos EUA e a Captiva do México. O Focus e o Ranger, da Ford, vêm da Argentina. O Fusion e o New Fiesta, do México. Desse país a Volks traz o Jetta, e o SpaceFox vem da Argentina.

Deixe seu Comentário

Leia Também

AOS 57 ANOS
Luiza Tomé ostenta corpão em rede social
AGENDA
Assembleia homenageia Força Expedicionária e debate Escola sem Partido
PREOCUPAÇÃO
Defesa Civil do Estado avalia impactos da cheia do Pantanal nas áreas ribeirinhas
FUTEBOL DE BASE
Definidos confrontos da segunda fase da Copa Mirim “João Ângelo Rocha”
EDUCAÇÃO
Novo convênio permitirá que brasileiros usem nota do Enem em Portugal
PLANEJAMENTO
Inventário turístico de Dourados começa a ser atualizado
SEGURANÇA PÚBLICA
Números apontam redução da criminalidade em MS
Após fugir e cair em barranco, homem foge e abandona 300 kg de maconha
OPORTUNIDADE
Governo publica editais para 36 especialistas e profissionais da saúde no concurso da PM e Bombeiros
PARANAÍBA
Motorista foge após causar acidente e agredir mulher

Mais Lidas

BR-163
Caminhonete carregada com maconha é encontrada abandonada em posto de Dourados
CAMPO GRANDE
Chefe de quadrilha investigada pela PF foge de presídio
PEDRO JUAN
Mulher é executada a tiros na fronteira
FRONTEIRA
Homem é executado por pistoleiros em "Favelinha" de Ponta Porã