Menu
Busca quinta, 17 de outubro de 2019
(67) 9860-3221
POLÍTICA ENERGÉTICA

Governo aprova resolução para abrir mercado e tentar reduzir preço do gás

24 junho 2019 - 20h20Por G 1

O CNPE (Conselho Nacional de Política Energética) aprovou nesta segunda-feira, dia 24 de junho, uma resolução para abrir o mercado de transporte e distribuição de gás natural. O objetivo é tentar reduzir o preço do gás.

Entre as medidas, a resolução prevê a recomendação de:

ações para a Petrobras deixar de controlar a venda de gás natural;

adoção de incentivos para os estados abrirem mão do monopólio de distribuição.

Segundo o secretário-executivo adjunto do Ministério de Minas e Energia, Bruno Eustáquio, o conselho não pode fazer determinações à Petrobras, mas a resolução será concretizada em um termo de compromisso a ser assinado pela Petrobras e pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Pelo acordo, a Petrobras deverá se comprometer a:

vender distribuidoras e transportadoras de gás natural;

abrir mão da exclusividade de uso da capacidade dos dutos.

Incentivo aos estados

A resolução aprovada nesta segunda-feira recomenda à União a adoção de incentivos para os estados abrirem mão voluntariamente do direito ao monopólio da distribuição de gás natural.

A abertura do mercado de gás pode ser usada, por exemplo, como contrapartida nos planos de equilíbrio fiscal dos estados no acesso a empréstimos com garantia da União.

Segundo o ministro da Economia, Paulo Guedes, muitos estados já disseram que pretendem abrir mão do monopólio. "É melhor o estado ter gás natural do que ter o monopólio", afirmou.

Ao abrir mão do monopólio da distribuição, o estado permitirá que uma indústria compre gás diretamente do produtor, fazendo contratos de longo prazo, o que pode reduzir o preço.

Com o monopólio, esse contrato direto entre uma indústria e quem vende gás não é permitido, já que a venda para o consumidor só pode ser feita pelas distribuidoras estaduais.

Energia mais barata

O governo conta com essa abertura, e com o consequente aumento da concorrência no setor, para reduzir o preço do gás natural e também da energia elétrica (parte das usinas térmicas brasileiras usam este combustível para gerar eletricidade).

"Em suma, o Novo Mercado de Gás visa promover a livre concorrência no mercado de gás do Brasil. Busca reduzir o preço da energia, permitir a reindustrialização do país e um desenvolvimento sustentável", disse o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque.

Segundo ele, estudos indicam que a queda de 10% no preço da energia permite um aumento de 2,1% no Produto Interno Bruto (PIB) industrial. As indústrias serão as principais beneficiadas com a medida

Já o consumidor deve ser o beneficiado pela queda no preço da energia elétrica gerada pelas térmicas que usam gás natural.

Segundo informações do Ministério de Minas e Energia, mais de 80% do gás natural é consumido pela indústria e por usinas térmicas. Em março deste ano, por exemplo, os consumidores residências responderam por 1% da demanda. Já os automóveis representaram 9% da demanda total.

Segundo o ministro de Minas e Energia, em dois ou três anos o preço do gás deve ter uma redução de cerca de 40%.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICA
Membros da Frente da Suinocultura tomam posse hoje na Assembleia de MS
BRASIL
Eduardo Bolsonaro é indicado novo líder do PSL na Câmara do Deputados
UEMS
Terminam hoje as inscrições do workshop “Redação de Patentes - Além dos Guias”
JUDICIÁRIO
Supremo julga nesta quinta-feira prisão após segunda instância
DINHEIRO NOVO
Pagamento do Pis/pasep aos nascidos em outubro começa nesta quinta
SÃO PAULO
Carreta carregada com material bélico do Exército tomba na divisa com MS
TEMPO
Quinta-feira de sol com aumento de nebulosidade em Dourados
INVESTIMENTO
MEC vai liberar mais R$ 43 milhões para 96 obras em universidades
UEMS
Semana Técnica de Computação acontece de 21 a 25 de outubro
SAÚDE
Senado aprova obrigação de exame em 30 dias para diagnóstico de câncer

Mais Lidas

POLÍCIA
Irmãos são detidos após polícia encontrar droga no Jardim Flórida
DOURADOS
Ciclista morre no HV após ser atropelado por ônibus
DOURADOS
UPA passa a atender apenas casos de urgência e emergência
EXPULSÃO
Chefão do narcotráfico é entregue à Polícia Federal brasileira