Menu
Busca sábado, 04 de abril de 2020
(67) 9860-3221
MS

Exportações de soja e milho caem em janeiro

17 fevereiro 2020 - 12h20Por André Bento

Dados do mais recente boletim Casa Rural da Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul), divulgado na sexta-feira (14), revelam que as exportações de soja e de milho caíram em janeiro deste ano no comparativo com o primeiro mês de 2019.

No caso da oleaginosa, houve retração de 89,83%. Já o cereal teve queda de 52,41%. As informações foram obtidas pela entidade sul-mato-grossense a partir da Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Economia, Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

Quanto à soja em grãos, o Estado comercializou 3,5 mil de toneladas em janeiro, volume 89,83% inferior ao do primeiro mês de 2019. Com isso, a receita de US$ 1,2 milhão representou queda de 90,3% no mesmo comparativo.

Ao detalhar que o Brasil exportou 1,4 milhão de toneladas no mês passado (retração de 26,87% no comparativo com igual período de 2019) e faturou US$ 513 milhões (retração de 33,23%), o levantamento indica que “o recuo nas exportações da oleaginosa no mês de janeiro é sazonalmente baixo, por ser um período em que o país ainda está apenas no início da colheita e o baixo excedente de passagem, mas esse menor movimento de grãos foi atípico”.

Para Mato Grosso do Sul, a China segue como principal destino das exportações de soja em grão. No mês passado respondendo o país asiático comprou 3,2 mil toneladas, pelo que pagou US$ 1,1 milhão, valor que representa 90,14% do faturamento estadual com as exportações dessa commoditie.

Já o milho produzido em território sul-mato-grossense teve 82 mil toneladas exportadas em janeiro. Esse volume rendeu US$ 14 milhões, queda de 52,41% em relação ao primeiro mês do ano passado.

Em âmbito nacional, as exportações do cereal totalizaram 2,2 milhões de toneladas, retração de 40,70% no mesmo comparativo, enquanto as receitas superaram US$ 388 milhões, mas representaram queda de 41,09%.

Para o setor produtivo estadual, o principal destino do milho no mercado externo é o Japão, que comprou 53.161 toneladas ao custo de US$ 9 milhões, 66,28% de todo o volume exportado por Mato Grosso do Sul desse produto.

Situação diferente foi observada com o volume exportado de farelo de soja, que totalizou 71 mil toneladas em janeiro de 2020, avanço de 12,13% no comparativo com 2019, mas as receitas de US$ 24 milhões indicam queda de 12,43%.

A Famasul também cita levantamento realizado pela Granos Corretora para informar que até 10 de fevereiro o Estado já havia comercializado 46,50% da safra de soja 2019/20, avanço de 8 pontos percentuais comparado a mesmo índice apresentando em igual período em relação à safra 2018/19. No entanto, a colheita segue atrasada por causa do plantio tardio decorrente da falta de chuvas.

O milho, por sua vez, ainda no início da fase de cultivo justamente por causa da colheita tardia da soja, teve 19,30% vendidos nessa safra, atraso de 5 pontos percentuais comparado a mesmo índice apresentando em igual período em relação à safrinha 2019.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAPITAL
Polícia localiza jovem que estava desaparecida desde quarta-feira
POLÍTICA
'Médico não abandona paciente', diz Mandetta sobre eventual demissão
CAPITAL
Mulher vê filha ser estuprada pelo avô que também a violentou quando criança
COVID-19
Saúde de MS recebe seis mil testes rápidos para diagnóstico do coronavírus
FRONTEIRA
Polícia Militar apreende 327 quilos de maconha em dois veículos
Marie Claire
Ex-BBB20 Felipe Prior é acusado de violentar mulheres, diz revista
SEU BOLSO
Governo antecipa prazo final de saque do abono do PIS-Pasep
JUSTIÇA
Mulher ofendida por rede social será indenizada por dano moral
ESCOLTA
PRF realiza escolta no repatriamento de brasileiros vindos da Bolívia
SAÚDE
Estudantes da UFGD criam site para divulgar dados atualizados da covid-19

Mais Lidas

DOURADOS
Exame de jovem que morreu no HU testa negativo para coronavírus
COVID-19
Dourados tem mais um caso confirmado de coronavírus
DOURADOS
Jovem morre no HU e município pede agilidade no resultado do exame de coronavírus
CORONAVÍRUS
Dourados registra mais dois casos de Covid-19 e MS tem 60 confirmações