Menu
Busca sexta, 20 de julho de 2018
(67) 9860-3221
EM 8 MESES

Exportações chegam a US$ 1,9 bi no ano na indústria

14 setembro 2017 - 09h34

A receita com as exportações de produtos industrializados de Mato Grosso do Sul alcançou a marca de US$ 1,91 bilhão de janeiro a agosto deste ano, o que representa um crescimento de 10% na comparação com o mesmo período do ano passado, quando atingiu o patamar de US$ 1,73 bilhão, conforme levantamento do Radar Industrial da Fiems (Federação dasInsdústrias de Mato Grosso do Sul). Apenas comparação de agosto de 2016 com agosto de 2017, a receita com a exportação de produtos industriais aumentou em 26%, saindo de US$ 230,8 milhões para US$ 290 milhões.

Já em relação à participação relativa, no mês, a indústria respondeu por 59% de toda a receita de exportação de Mato Grosso do Sul, enquanto no acumulado do ano, na mesma comparação, a participação ficou em 58%. Na avaliação do coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende, de janeiro a agosto, os principais destaques ficaram por conta dos grupos "Celulose e Papel", "Complexo Frigorífico", "Açúcar e Etanol", "Extrativo Mineral", "Óleos Vegetais", "Couros e Peles" e "Siderurgia e Metalurgia", que, somados, representaram 98% da receita total das vendas sul-mato-grossenses de produtos industriais ao exterior.

No caso do grupo "Celulose e Papel", de janeiro a agosto de 2017, as exportações somaram US$ 638,9 milhões, apontando queda de 5% sobre igual período de 2016, quando as vendas atingiram US$ 675,8 milhões. "A redução observada foi ocasionada principalmente pela diminuição nas compras em importantes mercados para a celulose de Mato Grosso do Sul, com destaque para a China e Itália. Somados, esses dois países reduziram suas aquisições em 137,9 mil toneladas", pontuou Ezequiel Resende.

Já no "Complexo Frigorífico a receita de exportação de janeiro a agosto de 2017 alcançou US$ 612,3 milhões, indicando crescimento de 17% sobre igual período de 2016, quando o total ficou em US$ 524,4 milhões. "A expansão é relativa à combinação entre o aumento do preço médio da tonelada e o crescimento do volume de vendas. Em relação ao preço, o valor médio da tonelada das carnes exportadas por Mato Grosso do Sul passou de US$ 2,5 mil em 2016 para US$ 2,7 mil em 2017, crescimento de 10%", detalhou economista.

No grupo "Açúcar e Etanol" a receita de exportação de janeiro a agosto de 2017 totalizou o equivalente a US$ 317,7 milhões, aumento de 71% sobre igual período do ano passado quando a receita foi de US$ 186,1 milhões. "Esse resultado foi influenciado principalmente pelo aumento das compras realizadas por Malásia, Estônia, Geórgia, Bangladesh, Egito e Iraque, que somados apresentaram incremento de US$ 155,8 milhões, e pela elevação do preço médio da tonelada do açúcar de cana, único produto do grupo com registro de vendas ao exterior no acumulado deste ano", informou o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems.

O grupo "Extrativo Mineral" teve receita de exportação acumulada de janeiro a agosto de 2017 de US$ 133,1 milhões, indicando aumento de 43% sobre o mesmo período de 2016, quando as vendas foram de US$ 93 milhões. "O resultado se deu pela alta de 109% no preço médio da tonelada do minério de manganês, que em 2017 está em US$ 143,47 contra US$ 69,71 em 2016 e pela alta de 17% no preço médio da tonelada do minério de ferro que em 2017 está em US$ 29,65 contra US$ 25,33 em 2016", relatou Ezequiel Resende.

Em relação ao grupo "Óleos Vegetais", o período de janeiro a agosto de 2017 fechou com receita equivalente a US$ 79,5 milhões, demonstrando queda de 32% sobre o mesmo intervalo de 2016, quando as vendas foram de US$ 117,3 milhões, tendo a Tailândia e Indonésia como principais responsáveis pela redução observada, com uma retração nas compras equivalente US$ 45,0 milhões. Já no grupo "Couros e Peles" a receita de exportação de janeiro a agosto de 2017 totalizou o equivalente a US$ 69,5 milhões, indicando redução de 9% sobre igual período de 2016, quando as vendas foram de US$ 76 milhões. "Resultado influenciado principalmente pela diminuição das compras efetuadas pela China, Vietnã e Holanda, que somados apresentaram redução de 4,9 mil toneladas ou 98% de toda retração ocorrida no volume de venda, quando comparado com o mesmo período do ano passado", analisou o economista.

Encerrando, o grupo "Siderurgia e Metalurgia" fechou o período de janeiro a agosto de 2017 com receita equivalente a US$ 22,7 milhões, evidenciando aumento de 71% na comparação com o mesmo período de 2016, quando as vendas foram de US$ 13,3 milhões. "O crescimento foi influenciado, principalmente, pela elevação das compras feitas pela Argentina, que proporcionou receita adicional de US$ 16,0 milhões. Quanto aos compradores, os principais foram Argentina, com US$ 17,7 milhões ou 78%, Bolívia, com US$ 3,3 milhões ou 14,4%, e Paraguai, com US$ 1,3 milhão ou 5,6%", ressaltou o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICA
PSC muda planos e procurador pode disputar governo de MS
ESTADO
Resolução aprova projeto de curso técnico em Hospedagem para escolas da Rede Estadual
CRIME AMBIENTAL
Caçador é preso com armas e munições ilegais
OPORTUNIDADE
Faculdades do Senai da Capital e Dourados encerram segunda as inscrições do vestibular de inverno
POSSE
MPT-MS tem novo procurador Regional do Trabalho
PROMOÇÃO
Rotary Guaicurus realiza 9º “pirão do bem” em Dourados
PREVISÃO
Seco, final de semana em Dourados deve ser de sol com temperaturas amenas
IVINHEMA
MPE recomenda medidas para suprir falta de livros em escola estadual
CAMPO GRANDE
Prisão de Puccinelli é preventiva por desdobramento da 'Papiros de Lama'
ECONOMIA
INSS começa a cobrar segurados que receberam a desaposentação

Mais Lidas

DOURADOS
Ladrões levaram mais de R$ 1,5 mil em assalto a padaria
DOURADOS
Polícia prende trio acusado de assaltar padaria no III Plano
OPERAÇÃO ECHELON
Facção tem "casa de apoio" para presos em MS
MS-156
Traficantes abandonam caminhonete com mais de 1t de maconha