Menu
Busca sexta, 24 de maio de 2019
(67) 9860-3221
JUSTIÇA

Empresa deve indenizar por danos morais e substituir celular com defeito

23 abril 2019 - 20h50Por Da Redação

Sentença proferida pelo juiz da 5ª Vara Cível de Campo Grande, Wilson Leite Corrêa, julgou procedente a ação de obrigação de fazer, interposta pelo consumidor L.B. de P. contra uma rede varejista de eletrônicos e móveis da Capital. Na decisão, o magistrado determinou que a empresa substitua o celular do cliente por um novo, além de pagar R$ 1.000,00 de indenização por danos morais.

De acordo com os autos, no dia 15 de maio de 2015 o consumidor adquiriu da loja um aparelho de celular Smartphone LG F 60 de dois chips, no valor de R$ 499,00 e contratou a garantia estendida do aparelho. Pouco tempo depois, o celular começou a apresentar falhas, motivo pelo qual acionou a garantia contratada, conforme o procedimento administrativo.

A empresa solicitou ao autor que enviasse o aparelho celular via correios, o que foi feito no dia 29 de agosto de 2016, porém até o dia 22 do mês seguinte, o consumidor não havia recebido o aparelho de volta, razão pela qual ingressou com a ação pedindo danos morais e que a empresa entregasse um aparelho de qualidade igual ou superior ao que foi pago.

Em contestação, a ré alegou sua ilegitimidade passiva por ser mera comerciante do produto adquirido pelo consumidor e que a responsabilidade pela garantia estendida é da seguradora contratada. Sustenta que os fatos estão ligados à conduta da fabricante e há ausência de demonstração do ato ilícito indenizável.

Com base no art. 18 do Código de Defesa do Consumidor, o juiz destacou que se o vício do produto não for sanado no prazo de 30 dias pelo fornecedor, o consumidor tem o direito a optar pela substituição ou por outro produto da mesma espécie, em perfeitas condições de uso, ou a restituição imediata da quantia paga, sem prejuízo de eventuais perdas e danos, ou o abatimento proporcional do preço.

Em relação ao dano sofrido pelo consumidor, o magistrado destacou que “é incontroversa a existência de vício no aparelho celular, assim como o transcurso de mais de 30 dias sem a devolução do bem efetivamente reparado, restando comprovado, portanto, o nexo causal necessário para a caracterização do dano moral”.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

MATO GROSSO DO SUL
Governo convoca candidatos de concursos PM e Bombeiros para entrega de Formulário de Investigação Social
CAGED
Dourados fecha abril com quase 500 novos postos de trabalho
BRASIL
Marinho: Reforma da Previdência pode ser votada no 1º semestre
NOVE ANOS DEPOIS
Fazendeiros são condenados por acidente com gado solto na pista
ECONOMIA
Governo assina termo cooperação técnica para reformulação do Regime de previdência
ANASTÁCIO
Polícia encontra quase 200kg de maconha no porta-malas de veículo
ECONOMIA
Abril tem a maior criação de emprego formal para o mês desde 2013
DECOR
Parede de giz na cozinha pode dar um toque especial no decor
APÓS INVESTIGAÇÃO
Polícia conclui que atentado registrado por vereadora foi acidente de trânsito
ARTES MARCIAIS
Competição de MMA divulga card de lutas

Mais Lidas

DOURADOS
Preso em operação estava sob monitoramento por assalto
DOURADOS
Vereadora vai à delegacia e diz ser vítima de atentado
DOURADOS
Ciclista atropelado na Marcelino morre após meses de tratamento
DOURADOS
Preso é encontrado morto na PED em mesmo raio onde ocorreu pente-fino
Rapaz estava enforcado em uma das celas da unidade penal