Menu
Busca sábado, 23 de fevereiro de 2019
(67) 9860-3221
ECONOMIA

Dólar fecha junho em queda, mas sobe 16,9% no ano

30 junho 2015 - 18h15

G1

O dólar recuou em relação ao real nesta terça-feira (30), reagindo a vendas de divisas relacionadas à briga pela formação da Ptax de junho, taxa média de câmbio calculada pelo Banco Central.

Investidores também acompanharam os desdobramentos da crise entre a Grécia e seus credores, mas a percepção de que o impacto do provável calote grego seria pequeno no Brasil continuava amortecendo as preocupações.

A moeda norte-americana recuou 0,33%, a R$ 3,1095 na venda, após cair 0,28% na véspera. No mês de junho, o dólar caiu 2,45%. Em 2015, contudo, a moeda acumula alta de 16,9%.

Ptax

Embora no Brasil a taxa de câmbio seja negociada livremente, há a taxa oficial calculada pelo governo, chamada de Ptax. Essa taxa não tem o objetivo de servir de referência para a negociação da moeda norte-americana, mas trata-se de uma taxa média, calculada pelo Banco Central, junto a instituições financeiras.

"Estamos vendo alguns fluxos relevantes nas janelas da Ptax. Tudo leva a crer que os vendidos estão ganhando dos comprados", resumiu à Reuters o operador da corretora Intercam Glauber Romano. Nas últimas sessões do mês, operadores costumam disputar para deslocar a Ptax para patamares mais favoráveis a suas posições cambiais.

Grécia

Na cena externa, a Grécia caminhava para não pagar o que deve ao Fundo Monetário Internacional (FMI), agravando sua crise financeira antes do referendo de domingo acerca de um acordo de resgate que Atenas rejeitou. Os parceiros europeus da Grécia dizem que a votação seria uma escolha sobre ficar ou não na zona do euro.

Investidores também continuavam atentos à estratégia de intervenção do Banco Central. A autoridade monetária sinalizou que deve rolar 70% dos swaps cambiais --que equivalem a venda futura de dólares-- a vencer em agosto, proporção aproximadamente igual à rolagem dos contratos para julho.

"Está dentro do esperado. Se vir oportunidade, o BC deve reduzir a oferta ainda mais", disse à Reuters o operador de um banco internacional, sob condição de anonimato.

Desde agosto de 2013, o órgão trabalha com o compromisso de recompra da moeda, para conter o avanço do dólar frente ao real. Os leilões diários de "swaps cambiais" funcionam como venda de divisas no mercado futuro, além de venda de dólares com compromisso de recompra. O objetivo é fornecer "hedge" (proteção contra a flutuação cambial) ao mercado e evitar maiores pressões sobre o câmbio.

Na véspera, o BC havia anunciado um montante para o primeiro leilão dessa rolagem que sinalizava a intenção de rolar cerca de 67% do total. Mas nesta manhã o BC alterou a oferta, segundo sua assessoria de imprensa, para ajustar os números devido ao feriado paulista de 9 de julho.

Na véspera, a moeda norte-americana terminou a sessão vendida a R$ 3,1195, em baixa de 0,28%, após chegar a R$ 3,1528 na máxima do dia.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZZ
Apenas de meia-calça, Juliana Paes celebra presença no carnaval: "melhor notícia"
FUTEBOL
Fifa tira Mundial Sub-17 do Peru, e Brasil vai sediar a competição
BELA VISTA
Policial perde controle da direção, viatura cai de ponte e pega fogo
COMBUSTÍVEIS
Preço da gasolina nas bombas cai pela 18ª semana seguida, diz ANP
MEIO AMBIENTE
PMA captura tamanduá-bandeira em quintal de residência em Coxim
EDUCAÇÃO
UFGD divulga os aprovados na 5ª chamada do Vestibular 2019
COXIM
Policial civil invade emissora de rádio e agride entrevistado
FISCO
Programa para receber declaração do IR estará disponível 2ª-feira
DOURADOS
Sindicalistas cobram salários para ex-empregados da Fertilizantes Heringer
CAPITAL
Fumaça provoca engavetamento com 7 veículos na rodovia BR-262

Mais Lidas

DOURADOS
Trio é preso após tentar repetir furto em loja do shopping
SIDROLÂNDIA
Colisão entre motos termina com jovem morto
DOURADOS
Desconhecido pede água, invade residência e ameaça mulher de morte para furtar celular
CAMPO GRANDE
Interno é encontrado morto dentro de cela de presídio