Menu
Busca terça, 19 de fevereiro de 2019
(67) 9860-3221
ECONOMIA

Dólar fecha estável com mercado atento a crise na Grécia

26 junho 2015 - 18h30

G1

Após dia instável, o dólar fechou nesta sexta-feira (26), em meio a persistentes preocupações com a crise envolvendo a dívida da Grécia e ao sabor da perspectiva de mais altas de juros no Brasil.
A moeda norte-americana fechou praticamente estável em relação à cotação da véspera: a R$ 3,1282 na venda, variação de 0,003% frente ao real – após subir 0,86% na véspera. No mês de junho, a moeda acumula queda de 1,86% e, na semana, alta de 0,84%.

Analistas da corretora Lerosa Investimentos escreveram em relatório que, em relação à Grécia, a semana "começou esperançosa e termina com incertezas e angústias". Nesta sexta-feira, os líderes da Alemanha e da França ofereceram liberar bilhões de euros em auxílio financeiro, uma tentativa de última hora de convencer o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, em aceitar reformas previdenciárias controversas.

Nesse contexto, o dólar se fortaleceu em relação a moedas como o euro e os pesos chileno e mexicano. No Brasil, no entanto, a perspectiva de que o Banco Central continue elevando os juros sustentava expectativa de entradas de capitais externos no país, o que aliviaria as cotações aqui.

Na véspera, o governo afixou a meta de inflação medida pelo IPCA em 4,5% ao ano para 2017, mas reduziu a margem de tolerância para 1,5 ponto percentual para mais ou para menos, ante os atuais 2 pontos, sustentando as expectativas de que o BC continuará adotando uma postura austera ao elevar a Selic.
No mercado de juros futuros, investidores apostam que a taxa básica de juros, atualmente a 13,75%, pode subir a 14,75% ao fim do atual ciclo de aperto monetário.
"A expectativa de alta de juros limita o espaço para altas muito fortes do dólar, pelo menos enquanto não temos grandes novidades em relação ao Fed", disse o superintendente de câmbio da corretora Intercam, Jaime Ferreira, sobre quando o Federal Reserve, banco central norte-americano, começará a elevar os juros.

Mais cedo, o BC deu continuidade à rolagem dos swaps cambiais que vencem em julho, com oferta de até 5,2 mil contratos.

A moeda norte-americana subiu 0,86% frente ao real, a R$ 3,1281. O dólar chegou a avançar mais de 1%, a R$ 3,1339, na máxima da sessão, segundo a Reuters. Na semana, a moeda acumula alta de 0,84% e no mês, queda de1,86%. No ano, há valorização de 17,66%.

Deixe seu Comentário

Leia Também

COXIM
Idosa de 80 anos é agredida a pauladas por jovem que invadiu casa
ESPORTE
Funed conclui elaboração de calendário anual de atividades esportivas
APOSENTADORIA
Bolsonaro fará pronunciamento na TV para defender reforma da Previdência
PROJETO
UFGD seleciona shows musicais para o projeto Celebração 2019
CAMPO GRANDE
Júri é suspenso após advogada chorar e ameaçar suicídio
NOVA ANDRADINA
Adolescente que sufocou a filha de 28 dias fará tratamento psiquiátrico
RIO
Justiça nega indenização a Bolsonaro por declarações de Jean Wyllys
UEMS
Estão abertas as inscrições para Intercâmbio Sanduíche no Canadá
CAPITAL
Dupla em moto atira contra carro de autoescola; motorista é atingido
POLÍTICA
Câmara suspende decreto presidencial sobre sigilo de dados públicos

Mais Lidas

TRAGÉDIA
Motociclista atropela, mata criança de 1 ano em Dourados e foge do local
DOURADOS
Motorista tenta desviar de outro veículo e bate carro em árvore
NOVA ANDRADINA
Mãe de 16 anos mata filha de apenas 21 dias
DOURADOS
Um ano após pedido de demissão, ex-secretário de Délia retorna à prefeitura